Ao adiar o lockdown inevitável, novo governo municipal garante colapso da saúde e o aumento de corpos esperando enterro

valasValas coletivas são abertas em Manaus para dar vazão à demandas de enterros dos mortos pela COVID-19

Não é preciso ser nenhum infectologista famoso para se saber que a fragilização das medidas de isolamento social e o atraso no processo de vacinação acarretarão um aumento exponencial no número de infectados e de óbitos pela COVID-19. É que largada à mercê da própria sorte, a maioria da população resolveu ligar o famoso “fod….-se” e se colocou de peito aberto (e sem máscara) para o coronavírus. O resultado dessa combinação de inépcia governamental e falta de auto cuidado por parte da população será visto já no mês de janeiro, com as expectativas sendo as mais sombrias.

Por causa do cenário traçado acima, considero que o novo governo municipal de Campos dos Goytacazes comete um erro gravíssimo ao adiar um lockdown que será inevitável dada o espalhamento exponencial do SARS-Cov-2 em meio aos festejos de final de ano.

Além disso, me parece emblemático que o anúncio da postergação de uma medida que será inevitável em poucas semanas tenha se dado na sede da Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic). É que os comerciantes de Campos dos Goytacazes têm sido de uma insensibilidade social atroz ao pressionar pela retomada de uma normalidade que se sabe impossível, na medida em que o governo liderado por Jair Bolsonaro sabota todos as possibilidades de conter a expansão da pandemia.

Melhor faria o prefeito Wladimir Garotinho se ouvisse seu próprio secretário de Saúde, Geraldo Venâncio, que teve a rara coragem de defender o aperto nas medidas de isolamento social para conter a pandemia. É que dada a situação de catástrofe em que receberá as contas municipais, coragem teria de ser a principal do governo que se inicia. E não há nada menos corajoso neste momento até a Acic para anunciar que o inevitável terá que esperar sabe-se lá até quando. Provavelmente até que os cemitérios de Campos dos Goytacazes tenham fila de espera para se enterrar os mortos da pandemia ou que as várias lojas funerárias fiquem sem estoque, como já voltou a ocorrer em Manaus (ver vídeo abaixo).

Mas voltando ao futuro secretário municipal de Saúde, Geraldo Venâncio, eu só posso imaginar a saia curta em que ele se encontra neste momento: aplicar os critérios científicos que demandam a imposição imediato do lockdown ou seguir a vontade dos membros da Acic e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).  Dr. Geraldo Venâncio, fique com a ciência, pois o julgamento da História será terrível para quem ignorar o que os cientistas já demonstraram serem os melhores caminhos neste pandemia letal.

Finalmente, aos leitores deste blog, peço encarecidamente que todos adotem suas medidas de isolamento social e utilizem as medidas de profilaxia básica que envolvem o uso de máscaras faciais e de asseio pessoal. Na falta do Estado que sobre a conscientização coletiva.

2 comentários sobre “Ao adiar o lockdown inevitável, novo governo municipal garante colapso da saúde e o aumento de corpos esperando enterro

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s