The Toxic Ten: como dez editoras “superpoluidoras”alimentam 69% da negação climática nas mídias digitais

toxic ten

Um novo relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH) descobriu que as postagens de mídia social com links para artigos de apenas 10 editores “superpoluidores” representam até 69% das interações do Facebook com conteúdo de negação do clima.

Os Toxic Ten (Dez Tóxicos) são:

1. Breitbart, o site de desinformação que já foi dirigido por Steve Bannon
2. Western Journal, cujo fundador tentou desacreditar Barack Obama com teorias de conspiração islamofóbicas
3. Newsmax, um importante promotor de conspirações de fraude eleitoral
4. Townhall Media, fundada pela Fundação Heritage financiada pela Exxon
5. Media Research Center, um “think tank” que recebeu financiamento da Exxon
6. Washington Times, fundado pelo autoproclamado messias Sun Myung Moon
7. The Federalist Papers, um site que promoveu a desinformação da Covid
8. Daily Wire, um dos editores mais engajados no Facebook
9. Mídia estatal russa, divulgando desinformação via Sputnik News
10 Patriot Post, um site conservador secreto cujos escritores usam pseudônimos

Esses Dez Tóxicos têm 186 milhões de seguidores nas principais plataformas de mídia social.

Este relatório vem na sequência do Disinformation Dozen  do CCDH, que identificou as 12 fontes responsáveis ​​por quase dois terços do conteúdo antivacinas em plataformas de mídia social.

O relatório Toxic Ten também descobriu que:

* Os Dez Tóxicos obtiveram US $ 3,6 milhões em receita com o Google Ads nos últimos seis meses;

* Os sites do Toxic Ten receberam quase 1,1 bilhão de visitas apenas nos últimos seis meses, ganhando aqueles que fazem parte da plataforma do Google AdSense em cerca de US $ 3,6 milhões.

* Anúncios de marcas como Chevrolet, Capital One e da empresa de entrega DHL International foram veiculados nos sites do Toxic Ten.

Apesar de o Facebook prometer anexar rótulos de informação à desinformação climática, eles não o fizeram na grande maioria dos casos:

* 92% das postagens com conteúdo do Toxic Ten não traziam nenhum rótulo.

* Menos de 1% das interações do usuário com postagens com conteúdo do Toxic Ten foram sinalizadas com avisos ou rótulos de verificação de fatos.

Imran Ahmed, executivo-chefe do Center for Counter Digital Hate, disse:

“O desastre climático representa uma ameaça existencial, mas o Facebook e o Google – assim como fizeram com a desinformação e o ódio das vacinas – estão exacerbando a negação e a desinformação climática que buscam atrasar ações vitais para proteger nosso planeta. A negação do clima digital não é insolúvel. Nossa pesquisa mostra que a altamente organizada negação do clima pode ser rastreada até um número muito pequeno de superpoluidores – os Dez Tóxicos – que está poluindo a mídia social para todos. Essa desinformação de má-fé visa minar nossa confiança na ciência, que mostra claramente, repetidas vezes, que é necessário agir para lidar com as mudanças climáticas causadas pelo homem. A proliferação de narrativas falsas, turbinadas por algoritmos de mídia social que amplificam a contenda sobre o consenso, gera confusão quando o que precisamos é ação. As Big Tech estão mais uma vez do lado errado da ciência, da verdade e do progresso humano.”

Michael Khoo, do Amigos da Terra, disse:

“O Facebook e outras empresas de mídia social sabiam que esses eram os super-propagadores de desinformação e agora devem tomar medidas para impedir a ampliação da negação climática de suas plataformas. Esses meios de comunicação extremistas não seriam capazes de tentar persuadir os americanos tradicionais a negar as mudanças climáticas, se não fosse pela vantagem que o Facebook deu a eles”.

Julia Masters, gerente de campanha da Climate Disinformation Coalition, disse:

“A desinformação climática no Facebook e no Twitter está aumentando desenfreadamente, especialmente à medida que entramos nas negociações internacionais em Glasgow. Como a pesquisa mostrou, a grande maioria da desinformação pode ser rastreada até um pequeno grupo de atores, e a grande maioria dela vai não sinalizado. É completamente inaceitável que as Big Tech permitam a disseminação da negação do clima, ameaçando ações contra a mudança climática e nosso próprio futuro”.

Faye Holder, Influence Map, disse:

“Esta pesquisa demonstra mais uma vez que as Big Techs não estão cumprindo seus compromissos públicos com a ação climática e, em vez disso, está permitindo que a desinformação climática polua a discussão sobre as mudanças climáticas. Assim como o Big Oil mostrou que não pode ser deixado para se autorregular, o mesmo aconteceu com a Big Tech. Portanto, é vital para os formuladores de políticas intervirem para ajudar a prevenir esse dilúvio de desinformação. “

O CCDH analisou 6.983 artigos de negação do clima do ano passado apresentados em postagens do Facebook com 709.057 interações no total usando a ferramenta de análise social NewsWhip.

Esta análise mostra que as postagens contendo artigos de apenas dez editoras respondem por 69,69% das interações dos usuários do Facebook com o conteúdo de negação do clima em nosso estudo.

Os sites do The Toxic Ten receberam quase 1,1 bilhão de visitas apenas nos últimos seis meses, ganhando aquelas que fazem parte do Google Plataforma do Google AdSense estimada em US $ 3,6 milhões.

Recomendações do CCDH

· Pare de monetizar a negação do clima. Oito dos Toxic Ten estão lucrando com o Google Ads. O Google deve remover esses sites de sua plataforma AdSense, de acordo com sua nova política de não lucrar com anúncios sobre conteúdo de negação do clima.

· Pare de lucrar com a negação do clima. Oito dos Toxic Ten pagaram ao Facebook para anunciar seu conteúdo aos usuários. O Facebook deve se recusar a lucrar com os editores que são os principais disseminadores da negação do clima e de outras informações incorretas.

· Rotule de forma abrangente a negação do clima. 92% das postagens mais populares do Facebook promovendo artigos em nossa amostra não traziam rótulos de informação. Já se passaram seis meses desde que o Facebook disse que marcaria postagens sobre mudanças climáticas – ele deve agir.

Um comentário sobre “The Toxic Ten: como dez editoras “superpoluidoras”alimentam 69% da negação climática nas mídias digitais

  1. Pingback: Relatórios mostram quem promove o negacionismo climático no Facebook

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s