Lula vira ministro, Aécio vira pária: as duas faces da agonia da Nova República

LulaAecio

As últimas semanas tem sido para lá de movimentadas no Brasil, e tudo indicava que o governo de Dilma Rousseff iria se esvair rapidamente para total alegria de Aécio Neves, o tucano inconformado. Agora,  várias delações depois, vemos a volta do ex-presidente Lula ao centro das decisões políticas e o deslocamento de Aécio Neves para a condição de pária da política nacional, após ser implodido sem dó nem pena pela delação do ainda senador Delcídio do Amaral.

Mas antes que alguém pense que esta será uma postagem celebrativa contra o golpe midiático-judiciário que galopava no horizonte, engana-se. Nunca votei em Dilma Rousseff e acho seu governo simplesmente péssimo para os setores mais pobres da nossa população, enquanto é generoso ao extremo com os banqueiros. Além disso, Dilma Rousseff conseguiu ser pior até que Fernando Collor na questão da reforma agrária, e a sua omissão frente ao massacre contra as comunidades indígenas é algo que deveria envergonhar a todos os que ainda apoiam este governo de forma sincera.

Agora, convenhamos, que chega a ser engraçado a histeria que está se fazendo em torno da nomeação de Lula para o ministério de Dilma Rousseff.  É que além de não livrar Lula de qualquer tipo de processo que se forme por causa da Lava Jato, agora vamos ver o que será feito para virar a situação econômica vigente no Brasil, de modo a que haja espaço para uma reacomodação conservadora das forças políticas que acabam de ser estraçalhadas pela soma das delações que foram feitas em Curitiba e Brasília.

O mais importante é notar que o que estamos vendo ruir sob nossos narizes é a ordem política engendrada ao final do regime militar de 1964, e que teve uma sobrevida mais de uma década por causa da capacidade pessoal de Lula de arregimentar acordos (muitos deles espúrios) e de convencer a maioria da população que estávamos melhorando a ordem social vigente.

Como em outros capítulos de crise no Brasil é provável que a principal tarefa que Lula esteja se dando é costurar uma saída que evite o colapso total das estruturas políticas da qual ele e o PT se tornaram os principais fiadores até que se consiga restabelecer a ordem. Se ele vai conseguir ou não, os próximos capítulos desta crise vão mostrar. Agora duas coisas são certas: a Nova República não tem mais salvação, e Aécio Neves agora será visto como o que sempre foi, qual seja, um falso moralista relegado à condição de pária da política nacional. O mais irônico é que lá no reino de Hades da política nacional ele se encontre com seus amigos Delcídio do Amaral e Aloízio Mercadante. 

Marina Silva declara apoio a Aécio Neves e enterra de vez a sua “nova política”

O apoio declarado por Marina Silva a Aécio Neves neste domingo (12/10) terá pouco efeito prático sobre as eleições, já que ela demorou demais a sair do muro. Assim, qualquer que seja o resultado, não vai a caudalosa declaração de Marina que irá decidir o segundo turno do pleito do dia 26 de outubro.

Agora, um mérito essa declaração teve. Desvelou de vez a carranca conservadora que Marina Silva escondia por detrás do véu de moça contrita e temente a Deus. Só por isso essa eleição já trará um enorme ganho a quem quer efetivamente construir alternativas ao modelo vigente que o PT e o PSDB possuem propostas bastante parecidas para continuar gerenciando a crise do Estado capitalista brasileiro.

E o melhor disso tudo é quem for de esquerda e quiser ajudar a construir alternativas para as mudanças estruturais para a crise que ai está não terá mais que ficar ouvindo a conversa mole da “nova política” de Marina Silva e dos “redistas”. Está mais claro do que nunca qual é o viés que Marina Silva escolheu, e ele é de direita, privatista, anti-Natureza e contra a classe trabalhadora!

Como eu disse antes: com esse apoio, Marina enterrou de vez a “nova política”.  Obrigado, Marina!

Troféu Pepino Ambiental vai para Dilma, Marina ou Aécio?

Determinadas acusações que os candidatos favoritos da mídia corporativa trocam entre si são belos exemplos do “roto falando do esfarrapado”.  Essa semana Dilma Rousseff acusou Marina Silva de ter sido culpada pelo atraso na construção das hidrelétricas no Rio Madeira em Rondônia. Marina Silva, por seu lado, retrucou dizendo que na gestão dela os licenciamentos foram acelerados, e que ela teria feito uma limpa nas gavetas dos pedidos atrasados de licenciamento para a construção de hidrelétricas, inaugurando o que eu chamei de licenciamento ambiental “Fast Food”. 

Já Aécio Neves, que aparentemente não tinha nada a ver com a briga das duas candidatas, pode se vangloriar de ter transformado o estado de Minas Gerais num verdadeiro queijo suiço, onde abundam tantas minas e buracos com os resultados que acabamos de ver em Itabirito.

Enfim, em termos de licenciamento ambiental, esses três se igualam de tal maneira que qualquer indicação para o prêmio Pepino Ambiental será uma decisão duríssima.

Telefônicas: lucra aqui, envia para lá

Por Milton Temer

lucro

A propaganda enganosa entope os canais de televisão. As teles privadas se disputam os incautos com promessas nunca cumpridas, e nunca cobradas pelos órgãos do governo que mais se preocupam de proteger seus privilégios do que em fiscalizá-las. Investimentos prometidos durante o processo de privatização, por conta da “concorrência”? Nem pensar. E a razão está aí, denunciada em matéria do insuspeito Globão. Não há investimento porque há uma deslavada e descontrolada remessa dos lucros obtidos no Brasil em direção à caixa das matrizes nos centros capitalistas do mundo. Fica a pergunta: o que faz esse governinho chinfrim para compensar tais perdas estratégicas? Nada. Está preocupado em manter boas relações com o empresariado, principalmente com os renhistes especuladores que controlam a política de juros sobre a qual se locupletam sem risco. Está preocupado com os quatro minutos de TV que seu cúmplice – PMDB – tem no horário eleitoral.

E ainda há petista histórico que acredita em Dilma como alternativa de fato a Aécio e Dudu campos, apesar da guinada que gerou esse patético neoPT? Francamente. 

Usando gíria da minha saudosa Vila Isabel, “tomem tenência. Se manquem”. E recuperem, com protestos concretos, a dignidade da legenda histórica do PT . Luta que Segue! porque a verdade não pode ser atropelada eternamente

FONTE: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=658669124169710&set=a.149176675118960.22513.100000798866786&type=1&theater