Derrota de Macron na França, greves contra Johnson na Inglaterra: os custos políticos e econômicos da guerra na Ucrânia começam a emergir

bojomacron

Dois fatos são notáveis nesse final de semana na Europa: a derrota de Emmanuel Macron no segundo turno das eleições legislativas francesas e a crescente pressão dos trabalhadores contra Bóris Johnson na Inglaterra.  Esses dois fatos parecem sinalizar que a paciência dos trabalhadores europeus está se esgotando, colocando em xeque as políticas neoliberais por um lado, e o custoso apoio à Ucrânia no conflito armado em que este país serve como “proxy” no enfrentamento geopolítico com a Rússia.

Os próximos meses deverão aumentar a impaciência da classe trabalhadora europeia em outros países, a começar pela Alemanha, onde dezenas de bilhões de euros estão sendo alocados para a ajudar militar para os ucranianos, o que tem sido acompanhado por retaliações russas no fornecimento de gás, combustível essencial para tocar a vida na Europa.