Caminhoneiros fazem paralisação no Porto de Santos

Entre as reivindicações, está a redução do ICMS sobre o diesel

greve-porto-de-santos

Por Adamo Bazani

Caminhoneiros realizam uma paralisação no Porto de Santos desde zero hora desta segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020.

O ato ocorre mesmo com um liminar da Justiça proibindo o fechamento dos terminais portuários.

O juiz federal Roberto da Silva Oliveira determinou multa de R$ 200 mil por dia ao Sindicam (Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários Autônomos).

Entre as reivindicações da categoria, está a redução do ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços do óleo diesel.

A paralisação é parcial e por 24 horas.

Alguns veículos estão acessando o Porto, mas o grupo em paralisação tenta convencer os outros caminhoneiros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

____________________________________

O texto desta postagem foi inicialmente publicado pelo “Diário do Transporte” [Aqui!] .

Apesar de ocultada pela mídia e perseguida pelo judiciário, a greve nacional dos petroleiros se amplia

greve-petroleiros

Ocultada pela mídia corporativa e pressionada pelo judiciário, a greve nacional dos petroleiros não apenas não está recuando, mas dando mostras de que irá se ampliar ainda mais com a entrada de novas unidades no movimento paredista.

O vídeo abaixo mostra a  emoção dos petroleiros ao desembarcar da Plataforma P-58 para se somar à greve nacional da categoria. A P-58 plataforma opera o Campo de Jubarte, no Parque das Baleias, área do pré-sal no litoral do Espírito Santo.  

#PetroleirosPelaSoberania

ADUENF divulga nota de apoio à greve nacional dos petroleiros

wp-1581534124605.jpg

A greve dos petroleiros já tem um alcance histórico com mais 100 unidades de proteção paralisadas em todo o Brasil. Apesar disso reina um silêncio ensurdecedor por parte da mídia corporativa e uma crescente pressão por parte do judiciário para coagir os sindicatos para impedir a luta em defesa do caráter nacional da produção de petróleo (ver vídeo abaixo sobre a resistência dos petroleiros em Cubatão (SP).

.

Por isso é importante divulgar o apoio a essa greve que já se reveste de caráter histórico por colocar em xeque a política de desnacionalização da indústria do petróleo que está sendo executada pelo governo Bolsonaro.

Abaixo a nota de apoio divulgada no dia de hoje pela Associação de Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense em apoio à greve nacional dos petroleiros.

 

ADUENF_logotipo_OK_reduzido-rgb.png

NOTA DE APOIO AOS PETROLEIROS EM GREVE

A ADUENF, por sua diretoria, declara seu apoio aos trabalhadores petroleiros, setor estratégico para o país e, especialmente, para o Norte Fluminense, que se encontra em greve contra a privatização de ativos da Petrobras e a perda de seus empregos.

Pouco noticiada pela mídia corporativa, a greve dos petroleiros chega ao 12o dia de sua resistência contra o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR) e a demissão de seus mil trabalhadores. Luta também contra a política de sucateamento e a privatização dos ativos da Petrobras e por uma política de preços justa para os combustíveis.

Todo apoio aos petroleiros! Rumo à greve geral

DIRETORIA ADUENF-SESDUENF

Gestão Avançar na Luta!

2019/2021