O oceano está se aproximando

Aumento do nível do mar e excesso de sal: habitat perdido no rio Pangani, na Tanzânia

pangani

Não é saudável, mas não há alternativa. O Pangani como fonte de água doce

Por Federico Romano / Parallelozero, para o JugenWelt

Na foz do rio Pangani, na Tanzânia, o aquecimento global é algo muito real: você pode literalmente bebê-lo. O nível do mar no Oceano Índico vem subindo há décadas, retirando água doce do rio e permitindo que a água salgada entre em aquíferos e poços. Agora, esse processo está se acelerando: um litro de água do rio pode conter até 2.000 miligramas de sólidos dissolvidos (TDS), enquanto o nível aceitável para água potável segura não deve ultrapassar 800 miligramas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Até o sabor é desagradável, mas os locais, principalmente os pescadores, bebem lentamente como um remédio ruim e perigoso. Cada vez com mais frequência, eles acabam em hospitais com problemas de desidratação devido às águas subterrâneas contaminadas.

O governo estabeleceu seus próprios parâmetros para definir a água doce, mas está incentivando os moradores a deixar a área e continuar morando no interior. Na cidade de Pangani e na região ribeirinha, o descontentamento e os conflitos crescem, porque no interior do país o pescador não consegue fazer o seu trabalho e os agricultores e pecuaristas também têm seus problemas com a água. Muitos deles simplesmente não têm dinheiro para se mudar, e os planos para proteger os poços da água salgada com a ajuda de barreiras ainda não estão totalmente desenvolvidos, pois os meios necessários parecem não estar disponíveis.

Pangani parece um paraíso, com palmeiras e uma vida lenta. Mas agora a areia cintila e brilha – há cada vez mais minerais no solo. Um inimigo invisível ronda esta bela parte da costa africana, deixando sinais de sua presença que poucos podem ler, mas todos começam a odiar.

compass

Este texto foi escrito inicialmente em alemão e publicado pelo jornal Jugen Welt [Aqui!].