O ministro da Educação e o jornalista “agente da KGB”: desmentindo e sendo desmentido

rafael

Rafael Vélez Rodriguez, ministro da Educação, desmentiu e foi desmentido por Ancelmo Gois acerca da retirada de videos do site do Instituto Nacional de Educação de Surdos

Já abordei diversas vezes o papel distracionista que alguns ministros  parecem ter escolhido para si para poderem permitir que o núcleo “duro” do governo Bolsonaro (i.e., o ministro Paulo Guedes e todos os que operam para transformar o Brasil num espécie de neocolonia em pleno Século XXI). 

Um dos mais, digamos, pitorescos é o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, que em um mês de governo já se envolveu em diversas escaramuças com o que parece acreditar ser um grupo de agentes do regime soviético de Stalin et caterva.

A última dessas escaramuças envolve o jornalista, colunista e blogueiro Ancelmo Gois que na última terça-feira (29/01) postou a informação de que sob ordens do Ministério e Educação e Cultura comandado por Vélez Rodriguez, o Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) teria tirado do ar vídeos da “TV Ines” que contavam a história de personagens como Karl Marx, Friedrich Engels, Marilena Chauí, Antonio Gramsci e Friedrich Nietzche.

ancelmo 0

Aparentemente se sentindo ofendido pela informação divulgada por Ancelmo Gois, o ministro Vélez Rodriguez fez divulgar via um “comunicado oficial” do Ministério da Educação e Cultura (MEC) onde não só o desmente a nota publicada no “O GLOBO”, mas como lembra o passado “comunista” do jornalista como insinuouque a publicação (que ofereceria falsas informações) seguiria os métodos da extinta KGB (ver imagem abaixo).

IMG-20190131-WA0012.jpg

A veiculação dessa informação seria realmente devastadora para a credibilidade de Ancelmo Gois se não fosse por um simples e mero detalhe: o jornalista havia salvo imagens do site do Ines em 2 de janeiro de 2019 mostrando que os vídeos aludidos ainda estavam disponíveis para serem visualizados (ver imagens abaixo).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em outras palavras, o desmentido de Vélez-Rodriguez foi rapidamente desmentido pela equipe de Ancelmo Gois, e com provas materiais. Essa que seria apenas mais uma das trapalhadasdo ministro que foi indicado pelo “jack of all trades” Olavo de Carvalho, serve para revelar o tipo de mentalidade que guia o responsável por um dos ministérios mais importantes para o processo de desenvolvimento nacional. E essa mentalidade está presa no período da Guerra Fria onde tudo se movia pela lógica de que era preciso exterminar o “perigo vermelho”.

Mas por mais quixotescas que as manifestações de Vélez-Rodriguez possam parecer, há que se levá-la a sério. É que, como mostra uma matéria do jornal cearense “O ESTADO”, o ministro da Educação vem se reunindo com parlamentares que pretendem sugerir a inclusão de”obras” de  Olavo de Carvalho e de Carlos Alberto Brilhante Ustra como paradidáticos no Ensino Básico.  Se isto se confirmar em termos de ações práticas, as crianças brasileiras seriam inoculadas com ideias de um negacionista de heliocentrismo que vive recluso num montanha no leste dos EUA, e de um reconhecido torturador que morreu sem ser punido por seus crimes.

Some-se a tudo isso o fato de que a nota do MEC serviu para incitar a uma série de ataques a Ancelmo Gois na rede de blogs e páginas em redes sociais que apoiam as ideias do ministro Vélez Rodriguez e aquele que aparentemente o indicou para ocupar o cargo. Com isso se soma o sinistro elemento que é o de tentar coagir todas as informações que coloquem em xeque a retórica oficial, no melhor estilo do livro 1984 de George Orwell.

1984

Sejam bem vindos ao (nada) formidável mundo (nada) novo de Vélez-Rodriguez!

Caveira de burro…

Resultado de imagem para caveira de burro

O jornalista Ancelmo Gois postou a nota abaixo dando conta que o dublê de ministro e banqueiro Henrique Meirelles ligou ontem para o Banco Mundial (provavelmente para Joaquim Levy, o homem de vários (des) governos que hoje é diretor financeir oda instituição multilateral) para destravar seja o que for que esteja travado em relação ao empréstimo que está sendo gestado entre o (des) governo Pezão e o banco francês BNP Paribas [1].

caveira de burro

A nota cria uma verdadeira saia justa para o (des) governador Pezão, na medida em que Henrique Meirelles além de manter a sua versão da história envolvendo o empréstimo, também desmente o desmentido do cada vez mais enrolado chefe do executivo fluminense.  Se eu fosse mais cínico, diria que Meirelles está dançando sobre o cadáver de um (des) governo insepulto, apenas para lançar sua candidatura presidencial.

Agora, alguém precisa avisar que ao Ancelmo Gois que a verdadeira caveira de burro que coloca o Rio de Janeiro para trás é o (des) governo Pezão. Simples assim!


[1] http://blogs.oglobo.globo.com/ancelmo/post/caveira-de-burro.html

Eike Batista, o onipresente

A nota abaixo, vinda do blog que o jornalista Ancelmo Gois possui no jornal “O GLOBO” mostra que a Polícia Federal descobriu a participação do ex-bilionário Eike Batista em mais de 35 empresas.

eike batista

Além desta nota mostrar que Eike Batista repete o comportamento tradicional das elites brasileiras, especialmente as agrárias, de quebrar empresas e continuar rico, ela me faz pensar que cedo ou tarde (talvez mais cedo do que tarde) vamos descobrir que existem empresas com participação dele em municípios não muito distantes do seu principal projeto de infraestrutura,  o Porto do Açu. Aliás, eu nem me surpreenderia muito se Eike Batista tivesse participação em empresas que estão atuando dentro do seu ex-megaempreendimento favorito.

Por que essa previsão? É que sendo Eike quem é, ele dificilmente iria se afastar de um projeto onde colocou tanto a perder.  É que Eike Batista pode ser tudo, menos despojado com suas criações. Especialmente num momento em que elas dão um mínimo de retorno. A ver!

A vida mais ou menos difícil de Jorge Picciani: sai Range Rover, entra Porsche Cayenne

A imagem abaixo reproduz uma notinha publicada pelo jornalista Ancelmo Gois em sua coluna no jornal  O GLOBO no dia de hoje (Aqui!). Nessa nota somos informados que o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB), procedeu com a troca de seu carango de estimação. Segundo, Ancelmo Góis, saiu um Range Rover e entrou um Porsche Cayenne cujo preço inicial gira em torno de “módicos” R$ 600 mil. 

porsche

Mas esqueçamos a “cereja no bolo” desta nota! É que segundo Góis, a caranga foi emplacada em Uberaba (MG), município onde seu filho Felipe é proprietário da Fazenda Nova Trindade, onde a família Picciani se dedica à criação de gado das raças Gir e Nelore. (Aqui!).

Diante dessa situação, eu fico imaginando como deve ser difícil a vida de Jorge Picciani…. tendo que se dividir entre a presidência da Alerj e os múltiplos negócios de sua família! Mas, pelo menos, ele não precisa de se preocupar muito com seus meios de transporte.

Já os milhares de servidores e aposentados que se encontram sem salários, esses que se virem como puderem, não é?