Uenf lança nota sobre roubo na unidade experimental no Colégio Agrícola Antonio Sarlo

Área da UENF no Colégio Agrícola é vítima de vandalismo e roubos

Sem contar com serviço de segurança desde novembro de 2016, a área utilizada pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf ) no Colégio Agrícola Antônio Sarlo foi vítima de vandalismo e diversos roubos na última noite. Ainda não foi possível avaliar a extensão total dos prejuízos, que foram muitos. Além dos danos materiais, um aluno que estava no local foi amarrado pelos ladrões.
A empresa que fazia o serviço de segurança da Uenf suspendeu os trabalhos em novembro de 2016 devido à falta de pagamento pelo Governo do Estado. Apesar de a Uenf ter cobertura orçamentária, o efetivo pagamento compete à Secretaria de Fazenda, que desde outubro de 2015 não realiza os repasses. O local ainda deveria contar com apoio do PROEIS, que também não está funcionando por falta de pagamentos aos policiais. No final do ano passado, foi feita uma tentativa de contratação emergencial de uma empresa de vigilância, mas não houve interessados em prestar esse serviço.
O Prefeito da Uenf, Rogério Castro, informou que acionou a Polícia assim que soube da ação dos ladrões. Segundo ele, tudo indica que a ação foi planejada. 
– Eles pegaram um trator e, com a ajuda de uma tesoura de vergalhão, foram arrombando as portas dos diversos setores e laboratórios e roubando tudo o que viam pela frente, como aparelhos de ar condicionado, roçadeiras, motores, bujões de gás etc. Tudo era colocado no reboque do trator, que foi encontrado abandonado em frente a Furnas – disse.
O reitor informou que vem tentando, junto ao Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Campos, uma solução para o problema da falta de segurança na Uenf.  No início do ano, o campus da Uenf também foi alvo de vandalismo, mas não houve roubo.

Novo roubo em unidade experimental mostra quão elusiva e impossível é a vida dentro da Uenf sob ataque do (des) governo Pezão

uenf-1

Há hoje nas universidades estaduais do Rio de Janeiro um debate sobre a realização de um esforço para que se alcance um mínimo de normalidade para que estas instituições estratégicas possam continuar funcionando. 

Na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) tem ocorrido um esforço descomunal para que se garantir a confecção de um calendário acadêmico que mais parece um Frankstein de datas de maneira a que os estudantes possam voltar ao campus Leonel Brizola em Campos dos Goytacazes e ao campus avançado de Macaé.

Lamentavelmente esse esforço não recebe nenhuma contrapartida real do (des) governo Pezão que continua se fazendo de morto em face de suas responsabilidades, enquanto o pau continua literalmente cantando dentro das universidades, colocando em risco inclusive a vida dos que teimam em continuar fazendo essas instituições cumprirem suas obrigações com a sociedade.

Um exemplo disso foi um roubo que ocorreu na madrugada desta 5a, feira no interior das unidades experimentais que a Uenf têm no interior das dependências do Colégio Agrícola Antonio Sarlo quando um grupo de assaltantes invadiu a área, imobilizou e manteve em cativeiro um estudante de doutorado do Programa de  Pós Graduação Produção Animal que dormia num alojamento existente no local, para depois roubarem animais usados em pesquisas, balanças digitais, computadores,  e aparelhos de ar condicionado. 

E o pior é que dada a greve em curso na Polícia Civil do Rio de Janeiro não está sendo possível sequer a confecção de um Boletim de Ocorrência, quiça a apuração do caso que já causou sérios prejuízos financeiros cujas estimas iniciais são de um prejuízo de quase R$ 100.000,00, mas que comprometerá a continuação de pesquisas com custos ainda incalculáveis para a Uenf e a ciência fluminense.

Esse caso expressa bem o quadro de abandono de nossas instituições de ensino superior e o completo descompromisso do (des) governo Pezão com a coisa pública. A questão que se coloca é a seguinte: por quanto tempo mais estamos dispostos a aturar tanto desmando por parte do (des) governo Pezão?

Estripulia à vista! Reitoria da UENF tenta aprovar nas férias a assimilação do Colégio Agrícola Antonio Sarlo

pezão silvério

Não estivesse a  Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) afundada numa grave crise financeira, certas ações alopradas da sua reitoria até poderiam ser consideradas simplesmente como apenas mais uma pedra na longa estrada de desatinos que hoje causam graves prejuízos ao funcionamento administrativo, acadêmico e cientifico da universidade idealizada por Darcy Ribeiro.

No entanto, o fato  é que a UENF hoje mal tem recursos para continuar com as portas abertas e com serviços de eletricidade e água sendo disponibilizadas para a comunidade universitária poder exercer suas atividades de ensino, pesquisa e extensão.  Essa situação é de conhecimento  público dentro da UENF, especialmente para centenas de estudantes que ainda não viram a cor do dinheiro referente ao pagamento das bolsas acadêmicas relativas aos meses de fevereiro, março e abril de 2015!

Mas se alguém achava que  esta grave crise financeira impediria a reitoria de tentar novas estripulias, pense de novo! É que na última reunião do Conselho Universitário realizada no período de recesso acadêmico foi apresentada a proposta de assimilação do Colégio Agrícola Antonio Sarlo que, curiosamente, era o 13º.  ponto da pauta! Em suma, com poucos conselheiros  na reunião e muitos suplentes presentes!

E se não fosse pela insistência de uma conselheira, a proposta teria sido aprovada sem o necessário quórum qualificado e, mais, sem que se tenha qualquer garantia por parte do (des) governo Pezão de que uma verba específica seria incluída no orçamento da UENF para custear anualmente o funcionamento de uma estrutura que, até os pés de maracujá mais inocentes sabem, demandará altos investimentos para simplesmente não desabar.  É que, como sempre, para atender às vontades do (des) governo do Rio de Janeiro, a reitoria  não hesita em tripudiar sobre o Estatuto e o Regimento da UENF.

A pergunta que não quer calar é a seguinte: a quem realmente interessa a assimilação do Colégio Antonio Sarlo pela UENF? Essa pode ser uma das questões que poderão ser respondidas pelos eventuais candidatos a reitor na eleição que foi marcada nessa reunião do Conselho Universitário. A ver!