Novo roubo em unidade experimental mostra quão elusiva e impossível é a vida dentro da Uenf sob ataque do (des) governo Pezão

uenf-1

Há hoje nas universidades estaduais do Rio de Janeiro um debate sobre a realização de um esforço para que se alcance um mínimo de normalidade para que estas instituições estratégicas possam continuar funcionando. 

Na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) tem ocorrido um esforço descomunal para que se garantir a confecção de um calendário acadêmico que mais parece um Frankstein de datas de maneira a que os estudantes possam voltar ao campus Leonel Brizola em Campos dos Goytacazes e ao campus avançado de Macaé.

Lamentavelmente esse esforço não recebe nenhuma contrapartida real do (des) governo Pezão que continua se fazendo de morto em face de suas responsabilidades, enquanto o pau continua literalmente cantando dentro das universidades, colocando em risco inclusive a vida dos que teimam em continuar fazendo essas instituições cumprirem suas obrigações com a sociedade.

Um exemplo disso foi um roubo que ocorreu na madrugada desta 5a, feira no interior das unidades experimentais que a Uenf têm no interior das dependências do Colégio Agrícola Antonio Sarlo quando um grupo de assaltantes invadiu a área, imobilizou e manteve em cativeiro um estudante de doutorado do Programa de  Pós Graduação Produção Animal que dormia num alojamento existente no local, para depois roubarem animais usados em pesquisas, balanças digitais, computadores,  e aparelhos de ar condicionado. 

E o pior é que dada a greve em curso na Polícia Civil do Rio de Janeiro não está sendo possível sequer a confecção de um Boletim de Ocorrência, quiça a apuração do caso que já causou sérios prejuízos financeiros cujas estimas iniciais são de um prejuízo de quase R$ 100.000,00, mas que comprometerá a continuação de pesquisas com custos ainda incalculáveis para a Uenf e a ciência fluminense.

Esse caso expressa bem o quadro de abandono de nossas instituições de ensino superior e o completo descompromisso do (des) governo Pezão com a coisa pública. A questão que se coloca é a seguinte: por quanto tempo mais estamos dispostos a aturar tanto desmando por parte do (des) governo Pezão?

6 pensamentos sobre “Novo roubo em unidade experimental mostra quão elusiva e impossível é a vida dentro da Uenf sob ataque do (des) governo Pezão

  1. disse:

    Isso é na UENF mesmo? Não é aqui que teremos dois semestres em paralelo? Achei que estava tudo bem !

  2. João Pedro disse:

    Como ex-aluno estou cansado de ver professores enchendo a boca pra reclamar da falta de verbas e auxiliando a piorar o quadro da UENF para seu próprio projeto político.
    Há tempos que os professores do LZNA trabalham no colégio agrícola que só não foi encampado pela UENF por politicagem contra a própria UENF.
    Caso tivesse sido encampado o colégio agrícola muito mais poderia ter sido feito pelos professores do LZNA e funcionários que trabalham lá sem auxílio da instituição.
    Parece piada quando houve a chance de ganhar uma fazenda a UENF não quis e depois reclama de falta de dinheiro.
    As faculdades paulistas de agricultura foram todas estruturadas em fazendas que geram lucro (administradas pelo próprios professores sem exigir mais do governo por isso) revertido para o ensino só o RJ vai na contramão do país.

    • João Pedro, o que de diferente teria acontecido na madrugada desta 5a. feira se a UENF tivesse encampado o Coégio Agrícola? E o atual arranjo não impede a geração de renda a partir de serviços eventualmente prestados naquela unidade. Então, me desculpe, acho que você está “latindo na árvore errada” (ou se preferir em inglês “barking at the wrong tree!”

  3. João Pedro disse:

    Problemas de segurança nessa unidade existiam mesmo quando havia empresas de segurança, roubo de pasto e materiais de trabalho sempre foram frequentes.
    Caso fosse encampado o colégio agrícola a administração dos problemas gerais da instituição poderiam ficar a cargo da UENF e não abandonados.
    Uma vez que uma terra não tem dono não há como produzir, sem segurança jurídica.
    Sr. Pedlowski me preocupo quando há um problema em não culpar o mundo, mas o que faço de errado e neste ponto a comunidade uenfiana não costuma fazer uma autocrítica.
    Não foi gentil da sua parte desmerecer meu comentário, a sociedade espera dos doutores respeito e não petulância

    • João Pedro, não fui petulante de forma alguma, apenas respondi o seu comentário que não foi lá muito ameno. E repito a falta de segurança na unidade experimental não tem nada a ver com a encampação do Colégio Agrícola Antonio Sarlo, mas sim com a falta de quaisquer verbas de custeio desde Outubro de 2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s