Cortaram as asas dos tucanos: Aécio Neves e Geraldo Alckmin são expulsos do ato da Avenida Paulista

alckmin1-2

Duas vítimas inesperadas do ato organizado na Avenida Paulista para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff vem exatamente do partido que tem tentado capitanear o processo dentro do congresso. O vídeo abaixo mostra o momento em que o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, e o governador de São Paulo, José Geraldo Alckmin, são expulsos da manifestação que ocorria na capital paulista debaixo de gritos de “vagabundos, corruptos, ladrões de merenda, etc”.

Muitas leituras podem ser feitas dessa expulsão, mas para mim mais do que celebrar a situação humilhante a que os dois políticos tucanos foram expostos (aliás,  acho que as futuras pretensões presidenciais de ambos acabam de ser enterradas!), creio que é preciso analisar o caso sob o ângulo da ojeriza à política partidária que isto expressa, É que em outros contextos históricos, esse tipo de situação levou ao evento de governos de ultra-direita como o fascista de Benito Mussolini na Itália e o nazista de Adolf Hitler na Alemanha.  A verdade é que tanto os tucanos utilizaram da demonização do neoPT que agora se arriscam a ser consumidos na mesma fogueira que ajudaram a iniciar.

Agora, o grande problema é o seguinte: agora que tiraram o gênio mau da garrafa, quem vai conseguir colocá-lo de volta? Pelo jeito, está mais do que claro  pelas imagens  mostrados no vídeo que não serão Aécio e Alckmin que vão conseguir fazer isso.