Cercado por militares, Sebastian Pinera declara guerra ao povo chileno

A imagem abaixo é altamente reveladora do processo político que varre o Chile neste momento.  Nela se vê, o presidente Sebastian Pinera cercado por militares para declarar guerra aos manifestantes que sacodem todo o território chileno em protesto à ampliação da carestia e dos ataques a direitos sociais e trabalhistas.

pinera guerra

Essas cenas são semelhantes ao que se viu sendo feito pelo presidente Lênin Moreno do Equador quando em seu país houve reação semelhante a um pacotaço demandado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).  E nisto não há nenhuma surpresa, visto que presidentes atacando o povo nunca hesitam em usar a mais dura repressão para fazer valer os interesses dos segmentos que mais ganham quando direitos são atacados ou removidos.

Entretanto, o caso do Chile é particularmente emblemático porque o país era apresentado até a última semana como uma ilha de tranquilidade neoliberal, onde a aplicação de um duro cardápio de ataques era apresentada como um exemplo de sucesso. Essa falsificação da história e da realidade do Chile neoliberal agora foi destroçada pela ação direta e desenfreada da maioria pobre da população chilena.

Muitos governantes da América Latina devem estar hoje com as barbas literalmente de molho temendo serem a próxima erupção da ira popular contra políticas ultraneoliberais que só fazem aumentar o fosso entre ricos e pobres. É que já se sabe que nem com fuzis e canhões, Pinera está conseguindo “restabelecer a ordem”.