Futuros Amazônicos: Universidade Princeton e Amazônia 2030 debatem sobre os desafios de gestão de Saúde na Amazônia

Conferência terá a participação de pesquisadores das universidades de Princeton, Harvard e FGV

unnamed (2)

O Brazil LAB, da Universidade de Princeton, e o projeto Amazônia 2030 debatem sobre as evidências e desafios de gestão de Saúde na Amazônia Legal. O 4º evento da série Futuros Amazônicos será realizado na próxima quarta-feira, 2 de fevereiro, às 18h30 (horário de Brasília), no canal do Brazil LAB no YouTube.

Transmitido ao vivo, o bate-papo Saúde na Amazônia: sobre novas evidências e desafios de gestão debaterá sobre a capacidade e responsabilidades da gestão na falta de infraestrutura, medicações, situação dos médicos rotativos, territórios indígenas, municípios isolados e uma série de peculiaridades que desafiam a temática na Amazônia Legal. O evento online contará com a participação dos pesquisadores Rudi Rocha (FGV EAESP/IEPS/Amazônia 2030), João Biehl (Princeton University) e Márcia Castro (Harvard University).

O Brazil LAB (Luso-Afro-Brazilian Studies), da Universidade de Princeton, é um centro multidisciplinar de pesquisa e ensino que reúne professores e alunos da comunidade de Princeton e cujas pesquisas se desenvolvem no e sobre o Brasil.

O projeto Amazônia 2030 é uma iniciativa de pesquisadores brasileiros para elaborar um plano de desenvolvimento sustentável para a Amazônia brasileira. O evento Futuros Amazônicos é organizado em parceria com o High Meadows Environmental Institute, da Universidade de Princeton.

Para assistir ao evento online — clique aqui. Para não perder a data é só se inscrever no canal do Brazil LAB no YouTube e marcar o vídeo como lembrete.

Até o momento a série já discutiu os seguintes temas:

Bioeconomia florestal e o futuro da Amazônia (com Juliano Assunção, Salo Coslovsky e Jennifer Widner).

Desmatamento e mudança climática: o que os cientistas brasileiros estão visualizando (com Luciana Gatti, Tasso Azevedo e Stephen Pacala).

Protegendo a Amazônia brasileira: o papel crucial das políticas públicas (com Beto Veríssimo, Clarissa Gandour e Robert Socolow).
 

Sobre o Amazônia 2030 

Como desenvolver a Amazônia, aproveitando de forma sustentável os recursos naturais? Para responder a essa pergunta, quatro reconhecidas organizações de pesquisa brasileiras se juntaram para fazer o mais completo plano de ações para a Amazônia dar um salto de desenvolvimento humano e econômico preservando seus recursos naturais até 2030.
 

Trata-se do projeto Amazônia 2030. O projeto é uma iniciativa conjunta do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e do Centro de Empreendedorismo da Amazônia, ambos situados em Belém, com a Climate Policy Initiative (CPI) e o Departamento de Economia da PUC-Rio, localizados no Rio de Janeiro. Pesquisadores têm gerado conhecimento a partir de estudos empíricos, análises da literatura acadêmica e consultas documentais, bem como das experiências dos povos da floresta, empresários, empreendedores e agentes públicos, entre outras fontes. Esses documentos reunirão recomendações práticas, que poderão ser aplicadas por agentes privados e públicos.