Mistério resolvido em Mariana: desde 2013 Samarco sabia que barragem podia desabar

BrazilMineSpill

Desde o dia 5 de Novembro uma debate que eu considero estéril ocorreu sobre se teria havido ou não um acidente na barragem do Fundão operada pelo Mineradora Samarco (Vale + BHP Billiton) em Mariana (MG). Desde os primeiros dias após o início do TsuLama me alinhou com aqueles que viram a negligência e a ganância corporativa como a real causa do incidente que destruiu vidas e colocou o Rio Doce numa condição de coma profunda. 

Eis que hoje a Rede Globo colocou no programa “Fantástico” uma matéria mostrando que apurações do Ministério Público de Minas Gerais possui documentos que mostram que a Samarco sabia do risco de desabamento da barragem do Fundão desde 2013 (Aqui!).

Essa veiculação no Fantástico já foi ecoada pelo jornal Valor Econômico que dá maiores detalhes sobre a investigação realizada pelo MPMG (Aqui!)

A matéria do Valor Econômico informa que um documento da Polícia Federal obtido pelo “Fantástico” mostrou que em Setembro de 2014, a Samarco (Vale + BHP Billiton)  foi alertada sobre a presença de trincas na estrutura da barragem do Fundão, as quais caracterizavam um início de movimento de escorregamento do maciço da pilha[de rejeitos.

Em palavras curtas, os dirigentes da Samarco sabian que a barragem poderia romper, e não adotou as medidas técnicas necessárias para impedir a explosão da barragem, o que acabou acontecendo no fatídico dia 5 de Novembro de 2015, quase um ano depois do alerta. 

Agora que essa etapa da disputa retórica sobre as causas do incidente de Mariana está superada, vamos ver como fica esse caso.  Mas o mínimo que se espera é que as multas bilionárias sejam de fato cobradas das mineradoras, e que a população de Mariana e de todas as cidades atingidas pelo TsuLama não sejam deixadas à mercê do destino, como, aliás, está acontecendo até agora.

Mineração Herculano: após um ano, sai apuração policial que constata omissão como causa do incidente

2391_acidente01

A matéria abaixo assinada pelo jornalista Danilo Emerich para o jornal “O TEMPO” mostra que após um ano, a Polícia Civil de Minas Gerais chegou a uma conclusão das causas do rompimento da barragem de rejeitos da Mineração Herculano no município de Itabirito.

herculano mineração

O que fica demonstrado nas apurações feitas pela Polícia Civil é que o incidente de Itabirito foi como que um prenúncio do que viria a acontecer em Mariana na barragem da Mineradora Samarco. Tivessem as autoridades mineiras tratado o evento de Itabirito com a devida responsabilidade, em vez de também se omitir, é bem possível que não tivéssemos tido que presenciar a hecatombe ambiental iniciada pelo rompimento da barragem do Fundão.

A minha dúvida é se efetivamente algo foi aprendido com esses dois incidentes, visto que existem um número de barragens de rejeitos em Minas Gerais que se encontram em estado de alta precariedade. Por último, vejo com ceticismo qualquer possibilidade de punição pelos crimes perpetrados pela Mineração Herculano que, aliás, foram inúmeros.  Para quem quiser ler a matéria completa, basta clicar (Aqui!).

Tragédia em Mariana: em entrevista à Globo News, professora da UFOP fala da situação de caos causado pela mineração

mariana

Em entrevista concedida á Globo News, a professora do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Juçara Brittes, deu detalhes sobre a situação de caos ambiental que cerca a região de Mariana por causa da atuação praticamente descontrolada das empresas de mineração. 

Segundo o que disse Juçara Brittes, a conservação ambiental se dá basicamente na área histórica de Mariana, enquanto no resto do município a atuação das empresas de mineração se dá praticamente de forma secreta, já que nada se sabe sobre o que acontece dentro das minas. 

Além da tragédia humana que não para de crescer já que se estima que até 45 pessoas podem ter morrido, Juçara Brittes informou que a cidade de Mariana se ecnontra sem abastecimento de água, podendo este fato estar ligado também ao incidente que ocorreu na mina da Mineradora Samarco.

O que mais salta aos olhos neste caso é a combinação de ação praticamente desregulada do setor da mineração, o que favorece a que este tipo de incidente se torne rotineiro em Minas Gerais, já que não faz muito tempo um incidente semelhante ocorreu em Itabirito. Resta saber agora como vão se comportar os governantes e, especialmente, a população mineira. É que se nada for feito, novas tragédias deverão ocorrer cedo ou tarde.

 

O Globo também noticia incidente com represa da Mineradora Samarco

Barragem de rejeitos se rompe em Mariana, Minas Gerais

Distrito está sendo esvaziado; prefeitura e empresa não falam em número de vítimas

POR O GLOBO 

Luis-Eduardo-FrancoTV-Globo

Barragem se rompeu em Mariana (MG) e causou estragos na região – Reprodução / Luís Eduardo Franco / TV Globo

RIO — Uma barragem de rejeitos se rompeu na tarde desta quinta-feira no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. Moradores da região disseram que pessoas estão soterradas. De acordo com o site “G1”, entre 15 e 16 pessoas morreram e 45 estão desaparecidas, segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Extração de Ferro e Metais Básicos de Mariana (Metabase). Prefeitura e empresa responsável pela barragem, no entanto, não falam ainda em número de vítimas.

As equipes do Corpo de Bombeiros, agentes da Guarda Municipal e Defesa Civil Municipal estão no local neste momento para avaliação dos danos.

De acordo com nota oficial divulgada pela prefeitura de Mariana, o rompimento da Barragem de Fundão, da Samarco Mineração, ocorreu por volta das 16h20 desta quinta-feira, atingindo parte do distrito de Bento Rodrigues, zona rural há 23 quilômetros de Mariana. A nota acrescenta que a empresa Samarco, em contato com a prefeitura, está pedindo aos moradores de Bento Rodrigues que evacuem a comunidade local e sigam, imediatamente, para o distrito de Camargos, que é mais alto e seguro.

Já a Samarco Mineração, em nota publicada em seu site às 18h04, confirmou o rompimento de sua barragem de rejeitos, denominada Fundão, nos municípios de Ouro Preto e Mariana e reforçou que está “mobilizando todos os esforços para priorizar o atendimento às pessoas e a mitigação de danos ao meio ambiente”. Além disso, a empresa disse que, neste momento, não é possível confirmar as causas e extensão do ocorrido, assim como a existência de vítimas.

Reproducao-TV-Globo
Imagem do Google mostrando a localização da barragem – Reprodução TV Globo

FONTE: http://oglobo.globo.com/brasil/barragem-de-rejeitos-se-rompe-em-mariana-minas-gerais-17975110#ixzz3qeXL5dKl