Explica essa, Rafael!

Resultado de imagem para rafael diniz prefeito

Dona da empresa de terreno alugado pela PMCG é também diretora de Patrimônio do Previcampos

Apesar de seus muitos defeitos, um fato que não se pode negar é que a existência das redes sociais tornou mais permeável os esforços no tocante a garantir a transparência da administração da coisa pública.

Pois bem, postei na manhã de hoje o caso de um curioso contrato assinado pela Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes com a empresa Loureiro e Cia Administradora Patrimonial  para alugar por um ano o terreno localizado na Rua Rockfeller, 25 no bairro do Caju [1].

Agora pouco recebi dois arquivos que tornam bem mais curiosa a situação desse contrato. É que, vejam abaixo, agora podemos saber que a empresa em tela tem como uma de suas proprietárias, Luiza Leite Cabral Loureiro, que, curiosamente, foi nomeada pelo jovem prefeito Rafael Diniz para ocupar o cargo de Diretora de Patrimônio do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Campos dos Goytacazes  (Previcampos) no dia 08 de Agosto de 2017, cerca de 3 meses antes da assinatura do contrato de locação do terreno na Rua Rockfeller!

IMG-20171206-WA0001

IMG-20171206-WA0000

Mas as curiosidades envolvendo o referido terreno não cessam no fato de que a Diretora de Patrimônio é uma das sócias da empresa que detém sua propriedade. 

É que fui informado, o referido terreno é anexo ao prédio da antiga Comauto, onde funcionam hoje várias repartições municipais, incluindo a Secretaria de Transportes, a Empresa Municipal de Habitação (EMHAB), além do DETRAN. A mesma fonte me deu conta que esse prédio é objeto de penhora por motivo de débitos trabalhistas e fiscais dos proprietários da Comauto, sendo que parte do terreno foi arrematado em leilão por Fernando Luiz Cavalcanti Loureiro, também apontado como sócio da Loureiro e Cia Administradora Patrimonial  e pai da Diretora de Patrimônio do PREVICAMPOS.

Agora, ganha uma passagem para Búzios (destino preferido para descanso de Rafael Diniz) quem adivinhar qual foi o papel cumprido por Fernando Luiz Cavalcanti Loureiro na vitoriosa campanha eleitoral que levou o jovem Rafael Diniz ao cargo da gloriosa cidade de Campos dos Goytacazes!

De toda forma, o que me parece mais curioso (aliás, curiosíssimo), é ter uma pessoa que é dublê de empresária e diretora de patrimônio de órgão público sendo nomeada por alguém que prometia mudar as regras e costumes da administração municipal.

Mas como é sempre dar o direito à dúvida,  peço ao prefeito da “mudança” que explique essa. Se puder!


[1] https://blogdopedlowski.com/2017/12/06/o-governo-rafael-diniz-e-seus-curiosos-contratos-com-dispensa-de-licitacao/

O governo Rafael Diniz e seus curiosos contratos com dispensa de licitação

rafa 1

Quase todo dia ouvimos um dos menudos neoliberais que compõem o secretariado do jovem prefeito Rafael Diniz falar sobre as escolhas técnicas que são feitas para poupar o dinheiro do contribuinte.  De quebra, ainda temos de ouvir que apenas na gestão de Rosinha Garotinho ocorriam contratações que passavam ao largo das boas e corretas práticas públicas.  E, não raramente, ainda somos brindados com a explicação de que tudo que anda mal está relacionado a uma “herança maldita” vinda da gestão anterior. 

Mas será que é tudo assim tão técnico e racional como querem nos fazer crer os menudos neoliberais de Rafael Diniz?

Vejamos o exemplo do extrato abaixo que nos dá conta de mais um contrato firmado pela gestão de Rafael Diniz na modalidade “dispensa de licitação” (ver imagem abaixo).

aluguel

A empresa agraciada é a Loureiro e Cia Administradora Patrimonial que vai receber R$ 114.000,00 pelo aluguel de um terreno para colocação de veículos da Secretaria Municipal de Gestão Pública. Isto representa a bagatela de R$ 9.500 mensais por um imóvel localizado na Rua Rockfeller no bairro do Caju.

rockfeller

Aí é que eu pergunto aos leitores deste blog se não acham curioso que um imóvel seja alugado por um preço nada camarada e sem o devido processo licitatório? Eu particularmente acho.  Aliás, essa é apenas mais uma curiosidade nos vários contratos feitos por dispensa de licitação justamente na administração de um prefeito que se notabilizou por criticar essa prática quando estava na bancada de oposição à prefeita Rosinha Garotinho dentro da Câmara de Vereadores. E se me lembro bem da campanha eleitoral, algo prometido foi exatamente  a celebração de contratos sempre sob os ditames da Lei  8.666/1993.

Pelo jeito, certas críticas só valem enquanto tal. È que ao assumir o poder o que se vê é a repetição de práticas iguais ou piores do que se criticava.