Acidente em obras de Belo Monte deixa três feridos e três desaparecidos

belo monte

Um acidente nas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, deixou três pessoas feridas e outras três ainda estão desaparecidas, informou o consórcio responsável pela obra; de acordo com o consórcio, um dos silos da central de concreto da obra desabou durante uma operação de descarga de um caminhão por volta das 2h deste sábado (30)

SÃO PAULO (Reuters) – Um acidente nas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, deixou três pessoas feridas e outras três ainda estão desaparecidas, informou nesta sábado o consórcio responsável pela obra.

De acordo com o consórcio, um dos silos da central de concreto da obra desabou durante uma operação de descarga de um caminhão por volta das 2h deste sábado.

“Até o momento, lamentavelmente, três funcionários que trabalhavam no local não foram localizados pelo Corpo de Bombeiros de Altamira (PA) e pelas equipes de resgate baseadas naquele canteiro de obras”, informou em nota o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM).

“Outros três funcionários atingidos pelo desabamento foram atendidos no local por equipes médicas do CCBM –dois com ferimentos leves, já liberados, e um com fratura no ombro.”

Ainda de acordo com a nota, equipes da perícia e da Polícia Civil estão trabalhando no local do acidente.

Construída no rio Xingu, no Pará, a usina hidrelétrica de Belo Monte deve se tornar a terceira maior do mundo quando estiver concluída, o que deve acontecer em 2019. A expectativa é que a usina gere 11.233 megawatts de energia no período de pico da produção.

(Por Eduardo Simões)

FONTE: http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN0OF0TW20150530

Ururau: acidente na BR-356 mata operários que iriam participar de treinamento de salvatagem no Açu

Duas vítimas fatais e 18 feridos em acidente na BR-356

Um acidente grave envolvendo um Micro-ônibus, um caminhão de gás e um Astra, na BR-356, trecho que liga São João da Barra a Campos dos Goytacazes deixou várias vítimas.

acidente
Com o impacto da colisão várias vítimas foram parar na pista. Crédito: Foto: Kelly Silva

Um acidente grave envolvendo um microonibus, um caminhão e um Astra, na BR-356, altura de Martins Lage, em Campos, deixou dois mortos e 18 feridos, na tarde desta sexta-feira (11/07).

As vítimas foram socorridas e levadas para o Hospital Ferreira Machado (HFM) por ambulâncias do Corpo de Bombeiros Militar de Campos e o Resgate de São João da Barra. A colisão aconteceu no Km 154, próximo ao Casarão.

De acordo com informações do local do acidente, o caminhão da empresa Ultra Gás, com placa de Salvador, seguia sentido Campos e o microonibus no sentido contrário, nas durante uma ultrapassagem acabaram colidindo de frente. Um Astra de cor preta, com placa de São João da Barra, também foi atingido.

Com o impacto da colisão, o microonibus perdeu o controle bateu em um poste e tombou as margens da rodovia. Nele havia 16 passageiros, sendo que dois foram projetados para fora do veículo, ficando um corpo caído no meio da pista e outro preso a uma cerca de arame farpado. Os demais, que chegaram a ficar presos às ferragens, foram resgatados pelos bombeiros. Eles seguiam de Rio das Ostras para a Praia do Açu onde fariam um treinamento de salvatagem.

No caminhão, além do motorista, que precisou ser socorrido para o Ferreira Machado, estava um carona, que saiu ileso. Ele contou que foi tudo muito rápido.

De acordo com Rogério da Glória, membro do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário, que estava no local do acidente, o socorro às vítimas foi dificultado por enxame de abelhas que caiu sobre o microonibus. As abelhas estavam em um buraco no poste de iluminação pública atingido pelo veículo. “Alguns populares ajudaram no socorro às vítimas que gritavam muito, alguns chegaram a ser picados pelas abelhas”, disse Rogério.

O motorista do Astra, o caldeireiro Waltemir Fanz, de 45 anos, sofreu um corte no rosto. De volta ao local do acidente, uma hora depois do ocorrido, ele contou que deixou o local por estar sendo atacado por abelhas.

“Eu seguia para São João da Barra quando o microonbus passou pelo meu carro. Chovia muito no momento e o microonibus chegou a derrapar na pista e não conseguiu voltar para a mão dele. Só vi quando capotou e foi deslizando em direção ao meu carro que ficou preso na traseira”, relatou o caldeireiro acrescentando ainda que alguns passageiros que conseguiram sair do coletivo foram atacados pelas abelhas, inclusive ele levou picadas na cabeça.

Uma das pessoas que morreu [homem que teve corpo preso ao arame fardado] teve o corpo tomado por abelhas. O Corpo de Bombeiros Militar chegou a usar um extintor com a finalidade de dispersar os insetos e prestar socorro à vítima, mas a mesma não resistiu e foi a óbito no local.

FONTE: http://ururau.com.br/cidades46692_Dois-mortos-e-18-feridos-em-colis%C3%A3o-com-tr%C3%AAs-ve%C3%ADculos–na-BR-356

Denúncia de condição de alojamento impróprios para operários da Acciona no Porto do Açu

Recebi no e-mail interno deste blog, a denúncia abaixo que me parece genuína, pois já tinha ouvido rumores de que o problema. Agora, o que me impressiona é o fato de que o denunciante diz que ninguém está indo fiscalizar as condições em que os operários estão sendo acomodados! Agora vamos que o Ministério Público do Trabalho ou o próprio Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Campos apurem essa denúncia, Mesmo porque o denunciante deu o local onde estaria hospedado.
 

Denúncia sobre más condições de alojamento de operários da Acciona

Acordei muito cedo,cheguei quase  agora do trabalho e estou tentando dormir e não consigo porque o quarto é muito abafado e apertado. Todos os amigos estão reclamando porque sou funcionário da empresa Acciona Infraestrutura, e quarta-feira(11/06) fomos obrigados a sair do alojamento em que estávamos a mais de um ano no bairro Alphaville em Campos, que  era muito bom porque tinha ar condicionado nos quartos, tudo muito novo e limpinho,refeitório com ar condicionado, quartos limpos e roupas lavadas,quartos com janelas grandes,quarto muito bom com cortina,garagem. Enfim, tudo direito.
 
Fomos pegos de surpresa sem explicação e nos levaram para uma pousada chamada W.A no inicio de Grussaí, que não tem área de lazer,quartos com umidade e tem um basculante nos quartos. Se fosse na época da OSX não ia permitir porque está tudo errado.Ficamos sabendo que o motivo foi para economizar,só que não viram como estamos ficando e nosso bem estar.
 
Peço que não divulgue meu nome porque fomos avisados que se falássemos ou reclamássemos,  a gente seria mandado embora. Ajude-nos. A empresa Acciona não está respeitando nem as normas e nem seus empregados.

Peço que venha ver o que está acontecendo porque  a Acciona está fazendo isso e ninguém fala conosco, e estou até agora sem dormir! Aqui ninguém veio fiscalizar: mandaram a gente entrar e acabou.

Jornal Terceira Via: Vigilância Sanitária arquiva caso sobre caso coletivo de diarreia e vômitos em 100 funcionários do Porto do Açu

O Jornal Terceira Via publicou hoje uma matéria (veja abaixo) informando que o caso envolvendo a ida de mais 100 operários trabalhando nas obras do Port do Açu foi arquivado pela Vigilância Sanitária por não terem sido encontradas provas de contaminação na alimentação fornecida pela empresa “Vivace Alimentação”. 

Bom, até ai tudo bem. Mas a pergunta que me fica na cabeça é o seguinte: se não foi a alimentação fornecida pela Vivace, o que terá sido? Obra do acaso é que não foi.

Uma coisa certa, o proprietário da Vivace Alimentação deve ter respirado de alívio. Afinal, contaminação coletiva por comida contaminada é péssimo para os negócios. Aliás, quem é mesmo o dono da Vivace?

Análise de intoxicação de operários do Porto é divulgada

Mais de 100 funcionários deram entrada no Centro Municipal de Emergência Pedro Otávio Enes Barreto com sintomas de diarreia e vômitos

 A empresa Vivace Alimentação, responsável pelo fornecimento da alimentação dos funcionários do Porto do Açu, divulgou na tarde desta quarta-feira (9 de abril), o resultado do laudo sobre intoxicação ocorrido no dia 25 de março.

De acordo com a empresa, o resultado não constatou nenhuma contaminação nos alimentos.

Mais de 100 funcionários de duas empresas terceirizadas deram entrada no Centro Municipal de Emergência Pedro Otávio Enes Barreto, com sintomas de diarreia e vômitos. Na época, Agentes do Programa Saúde do Trabalhador e da Vigilância Sanitária do município apuraram as possíveis irregularidades por parte das empresas Carioca Engenharia e Armatek, onde atuam os trabalhadores, e, ainda, na Vivace Alimentação.

Como nada de irregular foi confirmado, a Vigilância Sanitária finalizou o caso. 

FONTE: http://www.jornalterceiravia.com.br/noticias/norte-noroeste_fluminense/45768/analise_de_intoxicacao_de_operarios_do_porto_e_divulgada

O Diário: Operários do Porto do Açu ameaçam nova greve por reajuste salarial

Funcionários do porto ameaçam greve


Carlos Emir
Clique na foto para ampliá-la

Mais de oito mil trabalhadores do Superporto do Açu, em São João da Barra (SJB), poderão paralisar as atividades e entrar em greve por tempo indeterminado na próxima segunda-feira (24/3), caso a campanha salarial não seja atendida pelas empresas que atuam no local. A decisão foi tomada em assembleia realizada na manhã de ontem no estacionamento do porto. Hoje acontece reunião no sindicato patronal para definir o percentual de reajuste. O que for definido será avaliado numa nova assembleia dos trabalhadores, na segunda-feira, quando eles definirão se haverá greve ou não.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil e Mobiliários de Campos (STICONCIMO), José Carlos Eulálio, a campanha salarial é pelo reajuste de no mínimo 10%, enquanto a última proposta do sindicato das 36 empresas que atuam no Porto foi de 7%. Eulálio disse que em negociação, a categoria aceitou baixar o percentual de 15% para 10%, porém, menos que 10% não será aceito. Segundo ele, dependendo do percentual oferecido, os 8.400 trabalhos entrarão em greve.

Eulálio disse que o reajuste deveria ter sido dado em fevereiro e, desde então, a categoria vem negociando com o sindicato patronal.

FONTE: http://www.odiariodecampos.com.br/funcionarios-do-porto-ameacam-greve-9893.html

Tiros na greve do COMPERJ são apenas a ponta de um imenso iceberg de violações dos direitos dos trabalhadores

Rio de Janeiro Dois operários do Comperj foram baleados durante o segundo dia de protesto da categoria, em Itaboraí (Foto: Reprodução/ TV Globo)

O fato de dois operários terem sido baleados a tiro numa concentração da greve que está ocorrendo na construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ) (Aqui!) permitiu saibamos mais das péssimas condições em que os trabalhos estão se dando. E como em outros mega-empreendimentos sendo construídos no Brasil neste momento, as violações começam na falta de pagamento de direitos trabalhistas, mas alcançam aspectos relacionados ao atendimento de necessidades básicas dos trabalhadores como, por exemplo, a existência de banheiros.

A nota formal emitida pela Petrobras dizendo-se preocupada com a situação que ocorre no COMPERJ é só isso mesmo, uma formalidade. É que as práticas e costumes que marcam a relação da Petrobras com as empreiteiras contratadas para construir o empreendimento indicam que determinados abusos não poderiam ocorrer sem o conhecimento da empresa. Em suma, se dizer preocupada para a direção da Petrobras é apenas um jeito de não fazer nada para impor o cumprimento da lei pelas suas contratadas.  E bem sabem disso os pescadores artesanais que atuam na Baía da Guanabara que vem sofrendo na carne, inclusive com a morte de vários membros da categoria, o que significa ficar no caminho dos interesses corporativos da Petrobras.