O salário como miragem: mídia corporativa apresenta pagamento de salário atrasado como dádiva adiantada

extra

O fato de que cerca de 200 mil servidores estaduais estão tendo a conclusão do pagamento dos salários de Fevereiro nesta segunda-feira (17/04) está sendo apresentado como uma espécie de dádiva concedida pelo (des) governo Pezão. Esse esforço de parte da mídia corporativa só pode ser explicado por uma opção de tentar salvar um (des) governo que claramente perdeu a capacidade de se manter em pé.

Abaixo posto um comentário que fiz sobre a situação salarial destes servidores e dos impactos que isto traz para a população fluminense.

A mais execrável das propinas: desvio de verbas nas obras de reconstrução na região Serrana

friburgo

Estive em Nova Friburgo em janeiro de 2011 para entregar um caminho de doações recolhidas no campus da Universidade Estadual do Norte Fluminense. O cheiro que exalava por todo as ruas e avenidas por que passei era característico, o da morte. Até a presente data não se sabe ao certo quantas vidas foram terminadas pela avalanche de lama e pedras que varreram a região Serrana do Rio de Janeiro naquela hecatombe.

Entretanto, agora já pode se saber um pouco mais como a máquina de corrupção comandada pelo ex (des) governador Sérgio Cabral se aproveitou daquela imensa tragédia humana para financiar a campanha para (des) governador do Sr. Luiz Fernando Pezão a partir da delação do Sr.  Benedicto da Silva Junior, ex-dirigente da empreiteira Odebrecht (Aqui!).

propina serranaSem incorrer em falsos moralismos, não posso deixar de apontar que esse caso em especial me faz pensar que o (des) governador Pezão faria um enorme favor a si mesmo e ao povo do Rio de Janeiro se resolvesse renunciar à chefia do executivo fluminense.

É que diante das evidências de que seu grupo político se serviu de um enorme tragédia social para captar recursos de campanha, não há como arguir qualquer resquício de legitimidade para continuar tentando retirar o Rio de Janeiro da crise em que este tipo de prática nos colocou.

Afinal, há algo mais execrável e deslegitimador do que se valer da morte e da destruição para recolher recursos de campanha? Pelo menos para mim esse caso deveria ser o ponto final nessa gestão desastrosa.  Ponto final!

Organizações Globo e a sua síndrome do Flautista de Hamelin

charge-burro

O Flautista de Hamelin é um conto folclórico, reescrito pela primeira vez pelos Irmãos Grimm e que narra um desastre incomum acontecido na cidade de Hamelin, na Alemanha, em 26 de junho de 1284, que estava sofrendo com uma infestação de ratos. Um dia, chega à cidade um homem que reivindica ser um “caçador de ratos” dizendo ter a solução para o problema. Prometeram-lhe um bom pagamento em troca dos ratos – uma moeda pela cabeça de cada um. O homem aceitou o acordo, pegou uma flauta e hipnotizou os ratos, afogando-os no Rio Weser. 

Apesar de obter sucesso, o povo da cidade esqueceu  da promessa feita e recusou-se a pagar o “caçador de ratos”, afirmando que ele não havia apresentado as cabeças. O homem deixou a cidade, mas retornou várias semanas depois e, enquanto os habitantes estavam na igreja, tocou novamente sua flauta, atraindo desta vez as crianças de Hamelin. Cento e trinta meninos e meninas seguiram-no para fora da cidade, onde foram enfeitiçados e trancados em uma caverna. Na cidade, só ficaram opulentos habitantes e repletos celeiros e bem cheias despensas, protegidas por sólidas muralhas e um imenso manto de silêncio e tristeza.  

Fecha o pano em Hamelin.

Agora, cheguemos ao Brasil e presenciemos o espetáculo diário que a TV Globo está realizando para enfeitiçar os brasileiros, tendo como mote as propinas e as verbas ilegais de campanha pagas pela empreiteira Odebrecht.  Ainda que não tenhamos solicitado esse serviço que se apresenta como de limpeza dos ratos da política nacional, a família Marinho insiste em tentar hipinotizar com seus “jornalistas” e intelectuais homologados.

Antes que eu me estenda muito sobre mais esse ato da família Marinho contra a frágil democracia brasileira, quero compartilhar uma indagação com os leitores deste blog: quem é que está realmente surpreso com as revelações acerca das relações íntimas entre as empreiteiras e a maioria dos partidos brasileiros? É que desde que se começou a liberar as contas de campanha, sabemos que todas as empreiteiras, começando pela Odebrecht, sempre investiram pesado nos seus candidatos. E, mais, que a influência das corporações não se resumia a elas, pois empresas como a Vale também colocavam fortunas para garantir que teriam a devida contrapartida na hora de se formular leis ou de afrouxar as existentes.

E mais, quem ainda não leu o livro “Brazilionnaires” do jornalista Alex Cuadros (Aqui!) pode até se surpreender, mas o chefão da Odebrecht, Emílio Odebrecht, já nos deu a pista. O  esquema de financiamento ilegal de partidos é algo que começou há mais de três décadas. Aliás, começou durante o regime militar de 1964!

E se mais gente ler o livro de Alex Cuadros, maior será a consciência de que as investidas dessas corporações não tem se restringido ao legislativo e executivo, mas também atingem o judiciário e, tchã tchã, a mídia corporativa! Em outras palavras, parte da explicação para a decisão da TV Globo de se comportar como um tipo de Flautista de Hamelin midiático é a simples necessidade de se afastar do fogaréu. Se tomarmos o exemplo do Rio de Janeiro onde a família Marinho deu completa cobertura aos (des)governos do PMDB, é óbvia a necessidade de lançar todos às chamas para que sejam esquecidos os investimentos gastos com “publicidade” .que propiciaram injeções milionárias na Rede Globo pelo hoje ex (des) governador e atual presidiário Sérgio Cabral.

Desta forma, em vez de se ficar prestando atenção nas encenações da família Marinho é partir para o fortalecimento de instâncias autônomas de ação política, incluindo partidos de esquerda, sindicatos e movimentos sociais. Com isso, talvez nos livremos não apenas de uma democracia tutelada pelas corporações, mas também das ações de encantamento da mídia corporativa cujo único objetivo é manter a nossa sociedade completamente alienada.

 

(Des) governador Pezão cada vez mais próximo da fogueira

Em que pese o fato de que a informação ainda está tendo pouca repercussão na mídia corporativa, já se sabe que a situação do ainda (des) governador Luiz Fernando Pezão se encaminha para uma condição para piora substancial.  Isso é o que se depreende da notícia publicada pelo jornal “EXTRA”  que joga uma luz sobre a participação do (des) governador Pezão no esquema que subtraiu algumas centenas de milhões de reais dos cofres públicos do Rio de Janeiro (Aqui).

pezao 1

A situação do (des) governador Pezão só não é mais crítica porque junto com ele outras dezenas de políticos ocupando cargos foram denunciados pelo ministro Luiz Fachin do Supremo Tribunal Federal (STF) no dia de ontem. Tivesse essa notícia sobre o envolvimento do (des) governador Pezão aparecido em voo solo, o mais provável é que ele tivesse sido convidado a fazer companhia a Sérgio Cabral não naquele famoso e paradisíaco hotel resort em Mangaratiba, mas sim no complexo prisional de Bangu.

A questão que me parece cristalina neste momento é o seguinte: até quando os servidores públicos e seus sindicatos vão aceitar a situação dramática imposta ao Rio de Janeiro sem questionar fortemente a continuidade do (des) governador Pezão no Palácio Guanabara?  Lamento aos sindicalistas que ainda perdem tempo em conversas com Pezão, mas a hora desse tipo de colóquio já passou. A hora agora é de exigir a saída de Luiz Fernando Pezão da direção do executivo estadual.

Ou será que vamos aceitar que um político tão enrolado em questões de cunho policial (já que é disso que trata a matéria acima) ainda possa destruir direitos e desmantelar o aparelho de estado fluminense?

Mas que surpresa! Lava Jato carioca aponta que corrupção na saúde continua na gestão Pezão

A imagem abaixo é uma reprodução parcial de matéria publicada pelo site UOL onde a equipe da Lava Jato aponta para o fato de que a corrupção ocorrida no período do (des) governador de Sérgio Cabral ainda continua no (des) governo comandado por Luiz Fernando Pezão (Aqui!).

pezao saude

Aí é que me vem a pergunta que não quer calar: há ainda alguma alma ingênua que pensa que não? Por favor, me digam que não. É que até para a ingenuidade há limite!

Síntese do dia: mais um secretário de Sérgio Cabral preso, e servidores com risco de serem ainda mais penalizados

 

Abaixo posto mais um vídeo que produzi para o “Blog do Pedlowski” para fazer uma rápida síntese do dia de hoje.  É que começamos com a mais do que esperada prisão do ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Cortês, e podemos terminar com a aprovação pela Câmara de Deputados do PL da Maldade que deverá impor medidas draconianas aos servidores de estados falidos como é o caso do Rio de Janeiro.

Há ainda espaço para um rápido comentário sobre a visita do ainda secretário estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social, Pedro Fernandes, ao campus da Uenf no dia de ontem.

 

Mais uma profecia: secretário veste camisa de defesa da Uenf e deve cair em breve

Após uma longa reunião na sala de reuniões da reitoria da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), o ainda secretário estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social, o deputado estadual Pedro Fernandes (PMDB), foi presenteado com uma camiseta criada pela Associação de Docentes da Uenf para simbolizar a defesa da instituição contra o desmonte promovido pelo (des) governo do qual ele faz parte.

Pois bem, o jovem secretário não apenas recebeu a camiseta, mas como a vestiu de forma voluntária, como mostra a imagem abaixo, produzindo uma ótima imagem de marketing para os enfrentamentos que certamente ainda ocorrerão entre a comunidade universitária da Uenf e o (des) governo Pezão.

pedro fernandes

Insira uma legenda

Lamentavelmente para o secretário Pedro Fernandes, esse gesto de aquiescência da justeza das reivindicações da comunidade universitária da Uenf deverá brevemente lhe custar o cargo que ele ocupa. É que desde que ocupou o cargo, sabe-se lá por quais razões, Pedro Fernandes já amealhou vários inimigos dentro da equipe mais próxima do (des) governador Pezão. Agora, ao vestir a camisa com a bela charge de Darcy Ribeiro,  Pedro Fernandes deverá balançar de vez no cargo.

Mas que ninguém se preocupe muito com o jovem secretário, pois Pedro Fernandes precisará apenas voltar para o Palácio Tiradentes para retomar seus funções parlamentares. Já a Uenf e sua comunidade universitária vão ter que continuar se virando por conta própria!