O relatório “pós-doutoral” de Carlos Alberto Decotelli: mais para lista telefônica do que para avanço científico

Ao tentar defender o ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, do fato inescapável de que ele incluiu um título de Doutor que não obteve, e que sua dissertação de Mestrado possui traços óbvios de plágio, o MEC divulgou uma nota supostamente para defender os méritos acadêmicos do terceiro chefe da pasta em 18 meses de governo Bolsonaro.

Um parágrafo em especial trata do agora inverossímil pós-doutorado na Universidade de Wuppertal e diz o seguinte:

decotelli pós

O curioso é que, ao contrário do que declara nota do MEC, há um relatório de pesquisa depositado na Biblioteca Digital da Fundação Getúlio Vargas no qual o ministro Decotelli apresenta os resultados dos trabalhos que realizou na Universidade de Wuppertal, em alemão Aqui! e inglês Aqui!.

Para mim, o mais notável do relatório preparado pelo ministro Decotelli é que 60 das 92 páginas que compõe o documento são usadas para apresentar uma lista de empresas que comercializam implementos agrícolas no Brasil. O restante, desde a introdução até