Dá para confiar no Google? Entrega de dados do Wikileaks ao FBI mostra que não!

O jornal britânico “The Guardian” colocou no ar neste domingo uma matéria assinada pelos jornalistas Ed Pilkington and Dominic Rushe mostrando que a Google demorou “quase” três anos para informar ao Wikileaks que havia passado informações concernentes a membros do grupo ao governo estadunidense, mais precisamente para o FBI (Aqui!).

Apesar de já fazer algum tempo que o Wikileaks vinha denunciando o Google por colaborar o governo dos EUA no esforço massivo de violar a privacidade de usuários da internet, esta confirmação certamente contribuirá para um acirramento nas relações entre as duas partes.

O mais grave é que se suspeita que os dados passados pela Google para o FBI se referem a um processo criminal que corre em segredo de justiça, tendo como motivo o massivo vazamento de documentos secretos por parte do Wikileaks, e que levaram ao encarceramento de Bradley Manning e ao exílio de Julian Assange dentro da embaixada do Equador em Londrres..

Agora fica mais claro que podemos até usar as ferramentas associadas ao Google, mas que com o devido grau de desconfiança em relação à prometida confidencialidade de contas de correio eletrônico. É que para quem entregou dados de pessoas ligadas ao Wikileaks, entregar os de pessoas comuns é nada.