A denúncia de Rodrigo Janot desvela um presidente e ministros nada acima de suspeitas

temer minis

A esperada bomba atômica que era esperada para hoje foi efetivamente lançada pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente “de facto” Michel Temer foi efetivamente lançada, mas uma leitura preliminar do documento aponta que os piores temores do PMDB foram confirmados.

É que a denúncia de Rodrigo Janot não ficou apenas circunscrita a Michel Temer e o hoje deputado suplente Rodrigo Rocha Loures, mas atinge figuras de proa do ministério de “notáveis” que tomou o poder, digamos, de assalto após o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A denúncia aponta para o envolvimento direto de Wellington Moreira Franco e Eliseu Padilha, dois dos ministros mais poderosos de Temer.

Entre os crimes arrolados por Janot se encontram  a prática de crime de corrupção
em coautoria, o que segundo o procurador geral impediu a separação das responsabilidades.

Um dos pontos mais espinhosos que aparecem na denúncia se refere à aludida ligação de Michel Temer com a  Rodrimar S/A  Transportes, Equipamentos e Armazéns Gerais e do malfadado “decreto dos portos” que beneficiaria diretamente a empresa com forte atuação no Porto de Santos (SP).

Dada a magnitude da denúncia e dos nomes arrolados por Rodrigo Janot, é bem provável que a volatilidade política aumente no Brasil nas próximas horas e dias, o que poderá ainda ser agravado se a greve geral marcada para o dia 30/06 tiver um alcance semelhante à anterior.

Para os interessados, o completo teor da denúncia  pode ser acessado Aqui!

Repetindo FHC, deputado relator “the flash” da reforma da Previdência chama aposentados de vagabundos

captura-de-tela-2016-05-26-axxs-13-30-39

Repetindo um jargão lançado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 1998 (Aqui!), o deputado federal Alceu Moreira (PMDB) que relatou e deu parecer integralmente favorável à proposta da reforma da Previdência do governo “de facto” Michel Temer em impressionantes 48 horas (Aqui!) usou no dia 24/10/2016 a tribuna da Câmara de Deputados para chamar os aposentados brasileiros de “vagabundos remunerados” (ver vídeo abaixo).

O interessante  é que quem lê um vasto material publicado pelo blog “Viomundo” (Aqui!) vai descobrir que além de fã de Michel Temer, Alceu Moreira tem como antigo associado o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, com quem teve negócios analisados pela Polícia Federal, dos quais saiu ileso. 

Agora, convenhamos, os parlamentares ligados umbilicalmente ao golpe “light” desferido contra a ex-presidente Dilma Rousseff anda mesmo com uma tremenda síndrome de “Queda da Bastilha” ou perdeu totalmente o temor em relação às possíveis reações que este tipo de declaração descabida pode provocar na classe trabalhadora.

Mas depois que não reclamem se a reação que vier não for “de vossa excelência” como estão acostumados dentro da gaiola dourado que a Câmara de Deputados é.

(Des) governo Temer: a troça do ministro Padilha explícita a essência do golpe

A imagem abaixo é do ministro Eliseu (Quadrilha) Padilha fazendo uma continência ao presidente de facto Michel Temer. A intenção aparente é fazer piada com quem acusa o PMDB e seus aliados de terem organizado um golpe de estado contra a presidente Dilma Rousseff.

quadrilha

Mas se Eliseu (Quadrilha) Padilha tivesse ficado só na pose não haveria nada além de uma encenação pobre. É que segundo o ministro Eliseu o presidente de facto tem que se comportar com se fosse o imperador do Brasil, um que supostamente “tenha condições de definir o rumo da vida das pessoas” (Aqui!).

Do jeito que esse pessoal vai posando e falando, não me surpreenderei se houver alguma emenda constitucional no congresso para anular os efeitos da Lei Áurea. É que essa gente não vai se contentar apenas com retirar as minguadas políticas que foram concedidas nos anos em que o PT comandou o governo federal. Pelo menos isso é o que mostram a pose e as declarações de Padilha.