Uerj institui auxílio para financiar inclusão digital e aquisição de material didático dos estudantes de graduação. E a Uenf?

uenf estuAo contrário dos seus colegas da Uerj, os estudantes da Uenf ainda não tem garantia de que receberão auxílio financeiro para se adaptar ao ensino remoto

A Reitoria da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) deu um passo importante para possibilitar um mínimo de inclusão digital a todos os seus estudantes com a promulgação a criação de um auxílio emergencial R$ 600,00 a ser pago em cota única (ver imagens abaixo).

aux pag 1aux pag 2

O curioso é que, até onde eu saiba, na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), cuja reitoria embarcou em um esforço para o oferecimento de aulas remotas, tal auxílio ainda não foi oficializada. E isto em que pese o fato do corpo discente da Uenf ser formado por estudantes que, em grande parte, são originários das estamentos mais pobres da população brasileira.

Não custa lembrar que o atual reitor da Uenf, Raul Palacio, foi eleito com apoio do movimento estudantil, que viu nele um garantidor de seus interesses.  Vamos ver até quando os estudantes de graduação da instituição criada por Darcy Ribeiro e Leonel Brizola vão ter de esperar por este tipo de auxílio. 

Manifesto de seções sindicais do Andes – Regional/RJ contra a implementação autoritária e forçada de ensino remoto

Card-manifesto_ANDES-ADUENF-1-1080x675

Nós, de Seções Sindicais do ANDES-SN do Estado do Rio de Janeiro, expressamos publicamente nosso repúdio à ação das administrações de instituições federais e estaduais de ensino do estado, em conjunto com a associação “Redetec” e a empresa pública “MultiRio” (ligada à Prefeitura do Rio de Janeiro), de promover um curso de capacitação em ensino remoto para docentes com o seguinte mote: “conheça o programa de capacitação que visa apoiar o Ensino Remoto Emergencial a ser implementado na fase de isolamento social imposto pela COVID-19”.

1. Refutamos a ideia de que a universidade “não está fazendo nada”: é uma visão equivocada e simplista que desconsidera que o trabalho acadêmico-docente compreende o tripé ensino, pesquisa e extensão. No período de isolamento social, estamos realizando, além de tarefas administrativas, as relativas à divulgação científica, desenvolvendo orientações, submetendo projetos, estudando, publicando, fazendo e avaliando relatórios, além de uma série de atividades acadêmicas e extra-acadêmicas;

2. As aulas estão suspensas devido à pandemia, e as universidades seguem os protocolos da OMS e sanitários, medidas necessárias para evitar o contágio e o colapso nos serviços de saúde. Trata-se de um motivo de força maior e seguiremos sem atividades presenciais até que haja condições adequadas de retorno às salas de aula. Não aceitaremos quaisquer medidas que ponham em risco a integridade de nossos(as) trabalhadores(as) e de toda a comunidade acadêmica;

3. Diante das medidas de isolamento social, é preciso que as atividades remotas sejam debatidas e construídas por toda a comunidade acadêmica, com a participação de todos os setores da universidade, respeitando e fortalecendo o sentido da autonomia universitária;

4. Defendemos a autonomia universitária e repudiamos toda e qualquer iniciativa proveniente de instituições exteriores à universidade, sejam elas públicas ou privadas. As universidades dispõem de quadros próprios qualificados para informar o debate sobre ensino remoto e uma comunidade acadêmica capaz de identificar, propor e construir soluções que venham ao encontro de seus interesses;

5. Consideramos inválida qualquer iniciativa de implementação de aulas remotas não pactuadas nos conselhos universitários e instâncias deliberativas das Universidades, IF e CEFET, sem a participação da coletividade dos docentes, discentes e servidores técnicos. Decisões tomadas sem transparência ou respaldo das respectivas comunidades acadêmicas são autocráticas e contrárias ao espírito democrático e inclusivo que deve reger a vida universitária;

6. Quaisquer tentativas de implementar ensino ou aulas remotas desrespeitando as instâncias democráticas das Instituições de Ensino são ilegítimas, autoritárias e serão consideradas por nossas entidades um constrangimento e interpretadas como assédio moral. Tomaremos todas as medidas cabíveis para que os direitos de nossas categorias sejam respeitados.

Assinam esse manifesto:

  • Adcefet
  • Adesfaetec
  • Adopead
  • Aduenf
  • Aduff
  • Adunirio
  • Asduerj