87% dos pais e responsáveis acreditam que a tecnologia contribuiu na aprendizagem na pandemia, mas 51% dos alunos não têm computador ou notebook com acesso à internet

  • Estudo foi encomendado por Itaú Social, Fundação Lemann e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e realizado pelo Datafolha entre agosto e setembro de 2021, com 1.301 responsáveis por crianças e adolescentes da rede pública, de todas as regiões do país;
  • Para um terço dos entrevistados (32%), a possibilidade de estudar em qualquer lugar, que as ferramentas tecnológicas trouxeram, deveria ser mantida no futuro;
  • A maioria reconhece a importância de as atividades remotas estarem articuladas com as presenciais na preparação para o futuro dos alunos (60%) e/ou no desenvolvimento socioemocional (52%);
  • No entanto, o acesso à internet de banda larga é um desafio nas diferentes partes do país – principalmente na Região Norte e no meio rural – e a falta de equipamentos adequados ainda é uma realidade da maioria dos alunos

ead pandemia

São Paulo, novembro de 2021 – Com a pandemia, a articulação entre educação e tecnologia é vista por muitos como uma parceria sem volta, que tem garantido aprendizado e acesso ao ensino e pode ser uma via para recuperação de aprendizagem a partir de agora. Esta é a visão de muitos pais e responsáveis ouvidos na pesquisa “Educação não presencial na perspectiva dos estudantes e suas famílias”, encomendada pelo Itaú Social, Fundação Lemann e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e realizada pelo Datafolha, que mostra que a maior parte deles (87%) acreditam que o uso da tecnologia foi positivo no desenvolvimento da aprendizagem dos estudantes, na pandemia. Esse número aumenta de acordo com a evolução de cada ciclo escolar, sendo maior (91%) entre aqueles que respondem por adolescentes cursando o Ensino Médio.

Os pais e responsáveis de estudantes de escolas públicas também destacaram a importância das atividades remotas estarem articuladas com as presenciais, por diferentes motivos como: “preparar os alunos para o futuro (60%)”, “estimular a curiosidade (60%)”, “garantir o aprendizado previsto para o ano (53%)” e “promover o desenvolvimento socioemocional (52%)”. Um legado que o uso das ferramentas tecnológicas trouxe e que, segundo eles, deveria ser mantido no futuro é o da “opção de poder estudar remotamente em qualquer lugar (32%)” e da “possibilidade de tirar dúvidas com os professores por meio de plataformas digitais (24%)”.

Acesso à conectividade e equipamentos ainda é um desafio 

Os benefícios do uso da tecnologia esbarram nos problemas de conectividade e de acesso a equipamentos. Houve um leve crescimento no número de alunos com computador desde o início da pandemia, de 42% para 49%, contudo, a maior parte (51%) segue sem acesso à computador ou notebook com internet para estudar. O equipamento mais usado é o celular (85%), porém, sabe-se que o aparelho limita as possibilidades de aprendizado do aluno. Mais de um terço (34%) dos estudantes que utilizam o aparelho para fazer as atividades o dividem com outras pessoas, segundo seus responsáveis. Para 27% dos estudantes, a escola é o principal local onde se tem acesso a computadores.

“Se você deixar ele [o aluno] só com o celular, realmente, quando você vai ver ele está assistindo outra coisa… Então, eu acho que é complicado”, disse uma entrevistada da etapa qualitativa da pesquisa, realizada pela Rede Conhecimento Social.

“Apesar dos esforços de gestores públicos e dos pais para oferecer internet e computadores aos estudantes durante a pandemia, a situação ainda é grave. Não podemos aceitar que um quarto das escolas não tenha acesso à internet e que a maioria dos alunos não tenha computador para estudar. Muitos dependem da escola para utilizar a tecnologia e ter acesso ao mundo digital. Quando olhamos para as classes mais baixas, os números são ainda piores. O Brasil precisa investir urgentemente em conectar suas escolas e equipar seus alunos para que estar no mundo digital seja um direito de todos”, diz

Cristieni Castilhos, gerente de Conectividade na Fundação Lemann.

“A necessidade de incluir os estudantes digitalmente é uma demanda antiga, que ficou mais evidenciada durante a pandemia. Ampliar o acesso à internet e promover o letramento digital são os primeiros passos de uma transformação que envolva a todos. Mesmo com a reabertura das escolas, as ferramentas utilizadas durante o ensino remoto continuarão apoiando as aulas e proporcionando novas interações entre estudantes e professores. A implementação de políticas públicas neste sentido deve ser urgente e permanente. Este é, aliás, um direito firmado na legislação por meio da Lei 14.109, de 2020, que estabelece como meta que todas as escolas públicas estejam conectadas à internet de alta velocidade até 2024”, afirma Angela Dannemann, superintendente do Itaú Social.

Apenas 66% das famílias têm acesso a banda larga no país, de acordo com a pesquisa, sendo que a Região Norte registra o menor índice de acesso (47%, contra 75% na Região Sul). Os números também mostram a desigualdade nos meios urbano (68%) e rural (37%) e entre estudantes de diferentes raças – 75% para brancos e 61% para alunos negros.

“Nem todo mundo tem uma boa internet em casa, nem um celular ou computador. É difícil estudar assim. Esses dias veio uma mãe pedir: ‘Você me empresta o wi-fi para o meu filho fazer a tarefa?’”, afirmou uma entrevistada.

A pesquisa

Estes são dados levantados pela sétima onda da pesquisa “Educação não presencial na perspectiva dos estudantes e suas famílias”. As entrevistas foram realizadas entre os dias 13 de agosto e 16 de setembro de 2021, com abordagem telefônica, com 1.301 responsáveis que responderam por um total de 1.846 crianças e adolescentes com idades entre 6 e 18 anos da rede pública, em todas as regiões do país. A etapa qualitativa foi realizada pela Rede Conhecimento Social, entre 26 e 28 de julho, por meio de Grupos de Discussão (GDs) on-line, realizados por plataforma digital.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s