Residentes do Hospital Veterinário da Uenf paralisam por 24 horas para protestar contra atraso de bolsas e sucateamento

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os médicos veterinários que cumprem a sua residência no Hospital Veterinário da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf)resolveram todas as suas atividades por 24 horas para denunciar a grave situação em que se encontram neste momento, após quase 3 meses de atraso no pagamento de suas bolsas (ver panfleto explicativo do movimento logo abaixo).

hv panfleto

É preciso lembrar a importância dos residentes no oferecimento de serviços à comunidade campista. Segundo o que me foi informado, apenas no tratamento de pequenos animais, o número de atendimento mensais chega a 400 consultas. E neste processo de prestação de serviços, os residentes cumprem um papel fundamental, na medida em que os constantes impedimentos de novos concursos públicos têm impedido até a substituição de servidores e docentes que tenham deixado a Uenf  pelos mais variados motivos.

No vídeo abaixo, a residente de Anestesiologia, Camila Mathias, explica as razões do movimento e faz um chamado para que se apoie a luta dos residentes do Hospital Veterinário da Uenf.

De certa forma, o problema que os residentes do Hospital Veterinário estão atravessando neste momento sintetizam de forma categórica todo o drama pelo qual a Uenf e as demais universidades atravessam neste momento como produto da asfixia financeira imposta pelo (des) governo Pezão. 

Mas não é só de coisas ruins que esse movimento exemplifica, visto que a decisão dos residentes de se mobilizarem é também uma demonstração de que existem saídas que não sejam aquelas que impliquem na aceitação tácita do projeto de destruição comandado por Luiz Fernando Pezão.

Por isso, apoiar os residentes do Hospital Veterinário será um passo importante na luta em defesa da Uenf como um todo.

 

Notícias da Aduenf traz vídeo sobre caso que exemplifica o ataque do (des) governo Pezão à UENF

UENF sitiada pelo (des) governo Pezão e as múltiplas perdas que esta situação causa

Muito se fala sobre as condições em que as universidades estaduais estão sendo deixadas pelo governo Pezão, mas pouco se mostra sobre os impactos reais que a asfixia financeira que está sendo aplicada de forma meticulosa causa no cotidiano das pessoas que ali estudam e trabalham.

Abaixo postamos o depoimento da médica veterinária Yasmin Pereira que resolveu abandonar o seu programa de residência no Hospital Veterinário da Uenf por vários motivos, sendo o principal deles o atraso crônico no pagamento da bolsa residência a que ela fazia jus. Além disso, ela também mostra de forma objetiva a situação de completa insegurança em que todos os frequentadores do campus Leonel Brizola se encontram neste momento.

Combater o projeto de destruição que está sendo meticulosamente executado pelo governo Pezão é uma tarefa que não se resume aos que hoje estão na Uenf, pois como mostra o depoimento acima, as perdas que estão ocorrendo vão muito além das questões salariais e envolvem a própria existência da universidade enquanto um centro formador de novos conhecimentos e capacitação profissional.

FONTE: http://aduenf.blogspot.com.br/2017/08/uenf-sitiada-pelo-des-governo-pezao-e.html

Residentes do Hospital Veterinário da Uenf fazem campanha para cães de rua

IMG-20170719-WA0058

Em mais uma demonstração que nem mesmo a crise imposta pelo (des) governo Pezão consegue parar a comunidade universitária da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) de continuar exercendo um papel relevante em suas várias áreas de atuação.

Um exemplo disso é a campanha iniciada por servidores e médicos veterinários residentes do Setor de Reprodução e Obstetrícia do Hospital Veterinário da Uenf tiveram a ideia de fabricar camas para cães de rua que além do abandono ainda sofrem com as temperaturas mais baixas do ano (ver imagens abaixo)

Mas para continuar com essa campanha, os residentes estão precisando dos materiais que são utilizados para construir as camas. Entre os itens mais necessários estão pneus, tinta spray, travesseiros e almofadas.

Para fazer as doações para apoiar essa ação meritória dos residentes, basta deixar o material na  recepção do Hospital Veterinário da Uenf. Além disso,  contatos telefônicos podem ser feitos no número 22-2739-7313 que pertence ao Núcleo de Apoio à Reprodução de Carnívoros (Nuarc) do Hospital Veterinário.

Em paralisação, residentes do HV da UENF enviam seu recado a Pezão

IMG-20150508-WA0001 IMG-20150508-WA0000 (2)

 As imagens que mostram os residentes do Hospital Veterinário  (HV) da Universidade Estadual do Norte Fluminense demonstrando sua indignação com o atraso de três meses no pagamento de suas bolsas.  Essa demora no pagamento de salários é uma afronta não apenas aos direitos destes profissionais que cumprem até hoje suas obrigações com toda a dignidade, e recebem em troca um tratamento vergonhoso por parte do (des) governo comandado por Luiz Fernando, o Pezão. 

À luz dessa situação, a mensagem  dos residentes do HV é clara: Pezão é inimigo da educação!

É essencial neste momento que toda a comunidade universitária da UENF, especialmente os docentes com que esses residentes trabalham diretamente, ofereçam formas ativas de solidariedade, em vez de se aceitar com naturalidade este tipo de desrespeito que afronta não apenas a dignidade desses profissionais, mas à toda  a universidade!

Hospital Veterinário da UENF dá exemplo de como desperdiçar água num período de crise hídrica

Existem situações que me levam a ter sérias dúvidas se a UENF é um lugar em que efetivamente se prima pela racionalidade e onde pauta pelo oferecimento de bons exemplos à sociedade em que estamos inseridos. É que hoje me chegou a informação de que no período de recesso acadêmico alguém decidiu retirar a grama em torno do Hospital Veterinário devido ao seu estado de ressecamento total para substituí-lo por grama nova.  Esta decisão que provavelmente poderia ter sido evitada com estratégias de molhar a grama durante a noite para evitar desperdício em meio a seca aguda. Mas o pior é que se tirou a grama e não se colocou nada no lugar, o que transformou os arredores do Hospital Veterinário num tremendo terreiro empoeirado.

Eis que para minimizar o problema, a direção do Hospital Veterinário parece ter mandado (vejam imagens abaixo) que se molhe a terra para contornar (parcialmente é preciso que se diga) o problema causado pela poeira. 

hvet 1 hvet 2

Essa situação, além de ser um péssimo exemplo interno, acaba pegando muito mal para as dezenas de usuários do Hospital Veterinário que frequentam o local diariamente, e que estão assim vendo um enorme, e questionável, uso de água. Aliás, se era para usar essa quantidade de água, algum visitante poderá perguntar por que não usaram na grama enquanto não estava totalmente ressecada!

Aliás, nunca é nada demais lembrar que o orçamento da UENF é consumido em grandes quantidades para o pagamento de água e eletricidade. Se isso já deveria nos levar a economizar nessas áreas, o que dizer então de um momento em que a crise hídrica está mais que estabelecida?