Lauro Jardim anuncia que Fernando Cavendish vai virar “delator premiado”. E manda o recado: te cuida, Sérgio Cabral!

cabral cavendish

O colunista Lauro Jardim acaba de postar uma nota que deverá abalar corações de diferentes matizes da política fluminense. Na prática a nota de Lauro Jardim (ver reprodução abaixo) é um aviso de que o ex-todo poderoso dono da Delta Construções, Fernando Cavendish, resolveu aderir ao seleto grupo dos “delatores premiados).

cavendish cabral

Lauro Jardim aproveita para inserir na nota o nome de três potenciais atingidos pela delação premiada de Cavendish: César Maia, Anthony Garotinho e, sim como não!?, Sérgio Cabral. De quebra, há o realce de que Cavendish seria “toda mágoa” com o ex-parceiro de festanças parisienses, o ex (des) governador Sérgio Cabral.

Particularmente acho que entre personagens como Fernando Cavendish e Sérgio Cabral não há espaço real para mágoas pessoais. O que existe corriqueiramente são negócios mal resolvidos. E isto os dois lá devem ter, a começar pela mal explicada queda do helicóptero no sul da Bahia onde morreram, entre outras pessoas, a esposa de Fernando Cavendish, Jordana (Aqui!). Eu pessoalmente desconfio que esse episódio, mais do que qualquer outra coisa, é que alimenta a disposição de Fernando Cavendish de falar o que sabe sobre os anos em que a Delta Construções reinou soberana nas obras públicas realizadas no auge da gastança dos royalties no território fluminense.

Agora, com toda certeza, não é apenas Sérgio Cabral que deve estar de cabelos em pé com a possibilidade de Fernando Cavendish abrir o seu baú de segredos. A ver! 

Vai um acarajé ai, Eike Batista?

Eike-Batista Foto Luís Macedo Câmara dos DeputadosFoto Luís Macedo/ Câmara dos Deputados

As duas notas abaixo são da lavra do jornalista Lauro Jardim e versam sobre duas situações aparentemente díspares envolvendo o ex-bilionário Eike Batista. 

É que enquanto a primeira nota fala de uma tentativa de ressurreição de Eike num novo conglomerado que já não carrega o “X” da multiplicação (o que é compreensível porque a única coisa que o Grupo EBX multiplicou foram perdas financeiras); a segunda fala das preocupações que teriam levantado os cabelos implantados de Eike após a realização da chamada Operação Acarajé no âmbito da temida “Lava Jato”.

Agora, juntando as duas notas, fica parecendo que Eike Batista tem todas as razões do mundo para continuar seu giro mundial atrás de recursos para seu novo projeto. É que se voltar logo para o Brasil, ele pode acabar tendo de engolir vários acarajés.

Assim, a pergunta que fica no ar é a seguinte: Quo Vadis, Eike Batista? A ver!

Eike monta empresa e já sonha com Bill Gates e Di Caprio no conselho

POR LAURO JARDIM

Michel Filho / Agência O Globo | Mary Cybulski / Paramount
Michel Filho / Agência O Globo | Mary Cybulski / Paramount | Andrew Harrer / Bloomberg

 

Eike Batista tem um novo xodó empresarial. Trata-se de um empreendimento que o fez mandar para o espaço uma tradição cara a ele.

Criou uma empresa e não a batizou com o X, a letra que para ele era sinal de multiplicação: é a CWT (Clean World Technologies), uma espécie de núcleo de novos negócios.

Para Eike,o grupo X acabou com a entrega no mês passado de vários ativos ao fundo Mubadala.

Por enquanto, o Eike é o CEO da empresa e o seu filho Thor o diretor-geral, mas o empresário procura alguém para comandar a CWT.

Eike já perambulou pelos EUA e Europa em busca de investidores. Mas, por enquanto, nada rolou. Se, no entanto, abandonou o X, não deixou de lado a ambição.

Em reuniões de diretoria da CWT, já se discutiu até uma lista de convidados para o futuro conselho consultivo. Os nomes falados iam de Leonardo Di Caprio e Bill Clinton a Bill Gates e Al Gore.

Acarajé deixa Eike tenso

POR LAURO JARDIM

Aílton de Freitas

Aílton de Freitas | Agência O Globo

Eike Batista ficou de cabelo em pé assim que tomou conhecimento dos detalhes da Operação Acarajé, a nova fase da Lava-Jato.

Lauro Jardim e o Rio falido por Cabral e Pezão

lauro jardim

A imagem acima reproduz uma postagem do jornalista Lauro Jardim ontem em seu blog no O Globo,  A postagem é curtam as traz duas informações indigestas: a primeira é de que a estimativa de que o déficit financeiro do estado do Rio de Janeiro deverá ser de R$ 20 bilhões em 2016, enquanto que a segunda é de que o (des) governador Pezão não sabe ainda de onde vai tirar para pagar os salários de janeiro dos servidores estaduais.

Lauro Jardim deixou de dar duas informações importantes nesta postagem. A primeira é de que os servidores do Rio de Janeiro não tem nada a ver com esse déficit, pois são os que consomem a menor porção do orçamento estadual entre todos os estados brasileiros.  Jardim também deixou de mencionar que se o (des) governador Pezão e seu padrinho político, Sérgio Cabral, não tivessem feito uma verdadeira farra com o dinheiro público com obras faraônicas ou com concessões bilionárias com isenções fiscais, é bem provável que não estivéssemos na pindaíba em que o Rio de Janeiro se encontra neste momento.

Mas pensando bem, pedir essas duas últimas informações de Lauro Jardim talvez seja demais dado o veículo de imprensa para o qual ele trabalha.

Reinações de Pezão ou…. Rio na pindaíba

O Rio na pindaíba: como pagar os salários de janeiro?

Por LAURO JARDIM

pezao-guanabara

No coração do governo do Rio de Janeiro há uma penca de dúvidas e apenas uma certeza: não há dinheiro para pagar o salário do funcionalismo deste janeiro que está começando.

Diz um secretário de Luiz Fernando Pezão: “Se não houver uma ajuda federal ou uma moratória da dívida, não teremos recursos”.

FONTE: http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/o-rio-na-pindaiba-como-pagar-os-salarios-de-janeiro.html?utm_source=Facebook

Agora no “O Globo” Lauro Jardim lembrou do Porto do Açu

aff,-que-mico!_3074

Se fosse eu a dizer da forma que está dita abaixo, diriam que eu peguei pesado e fui injusto. Mas como foi o jornalista Lauro Jardim quem disse em seu blog no “O Globo”, o mais provável é que os áulicos do Porto do Açu leiam, façam contrição e esperem que péssimas notícias como essa não recebam o mesmo rótulo.

E o pior é que elas estão vindo. Só não sei se de carroça de burro ou a Jato.

Mico no Porto do Açu

POR LAURO JARDIM

Vista aérea do Porto do Açu
Vista aérea do Porto do Açu | Divulgação

Micou a negociação  de seis meses entre a Prumo (empresa que hoje toca o projeto do Porto do Açu) e a Bolognesi para que a empresa gaúcha de energia desenvolvesse projetos de gás natural no local idealizado por Eike Batista.

FONTE: http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/mico-no-porto-do-acu.html

O tubarão sem dentes

O campo de Tubarão Azul: não rendeu o prometido

Em agosto, a OGPar (ex-OGX) deixa de explorar o campo de Tubarão Azul. Não é mais economicamente viável. Numa palavra, o campo está esgotado.

Tubarão Azul era uma das promessas mais reluzentes de lucros para a OGX nos tempos delirantes em que Eike Batista imaginava ter uma petrolífera do tamanho de uma Petrobras.

Eike prometeu ao mercado que Tubarão Azul tinha condições de produzir 20 000 barris de petróleo por dia. Mas o campo nunca conseguiu passar dos 5 000 e atualmente produz 3 500 barris.

A partir de agosto, a empresa tem apenas um campo em produção, o de Tubarão Martelo.

FONTE:http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/economia/o-tubarao-sem-dentes-de-eike-esta-esgotado/