A prisão de Anthony Garotinho e a mulher de César

A decretação da prisão domiciliar com pitadas de silêncio obsequioso a que o ex-governador Anthony Garotinho foi submetido pelo juiz Ralph Manhães está ganhando projeção nacional, e por motivo bastante correlato ao caso conhecido como “Operação Chequinho”.

A coisa que está mais causando o transbordamento do caso do plano local para o nacional se refere à nomeação de parentes do delegado da Polícia Federal que vem comandando as investigações da “Operação Chequinho” para ocuparem cargos de confiança na gestão do prefeito Rafael Diniz (PPS).

O primeiro a abordar essas nomeações foi o jornalista Lauro Jardim no seu blog no “insuspeito” jornal O GLOBO [1].  Neste sábado (22/9) quem toca no caso é o jornalista Fernando Brito do respeitado blog de circulação nacional “Tijolaço” [2]

Em sua postagem, Fernando Brito foi bastante ácido em relação à situação vigente em relação à “Operação Chequinho” ao afirmar que “Campos, no Norte Fluminense, por tantos anos controlado por suas oligarquias, agora tem  “coronéis de toga e de distintintivo”.

De minha parte afirmo que em determinados casos, como é o da “Operação Chequinho”, vale a máxima originada da frase do Imperador romano Júlio César num caso envolvendo sua esposa Pompéia e um jovem que teria entrado disfarçado de mulher numa das festas promovidas pela imperatriz. Apesar de não ter encontrado provas que sua mulher teria cometido adultério, César se divorciou dela, dizendo que ““minha esposa não deve estar nem sob suspeita”. Assim,  ter parentes nomeados pelo prefeito cuja candidatura teria apoiado nas eleições de 2016, e ainda por cima ter chefiado as investigações que resultaram na prisão de Anthony Garotinho, não contribui para evitar que suspeitas, mesmo que infundadas, sejam levantadas. Pois como diz o provérbio que resultou do imbróglio entre César e Pompéia, “À mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta”.

Já no que se refere ao jovem prefeito Rafael Diniz, ele deve estar consciente das inevitáveis repercussões que a publicização das nomeações citadas por jornalistas de projeção nacional terão sobre seu governo. Do contrário, não as teria feito. Resta apenas saber se os riscos envolvidos foram bem calculados.

Mas não nos esqueçamos que em breve o “habeas corpus” (HC) impetrado por Anthony Garotinho será julgado pela Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Se o HC for concedido é muito provável que essas nomeações ainda vão ser citadas num certo programa radiofônico que é veiculado pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro. A ver!


[1] http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/emprego-para-os-irmaos.html

[2] http://www.tijolaco.com.br/blog/prefeito-nomeia-2-irmaos-do-delegado-que-prendeu-adversario-garotinho/

Hospital, que nada! A “licença médica” do (des) governador Pezão está sendo cumprida num Spa 5 estrelas!

pezao rituaali

Na última 6a. feira (14/07), o jornalista Lauro Jardim informou em seu blog no jornal “O GLOBO” que o (des) governador Luiz Fernando Pezão estava tirando mais um período de licença médica, preocupado que estaria com as suas taxas altas de glicose [Aqui!].

pezao spa 0

Apesar de não morrer de amores pelo (des) governador Pezão, acabei nem comentando mais essa saída dele da direção do executivo fluminense, exatamente num momento em que mais de 200 mil servidores continuam imersos em graves dificuldades pessoais por causa de sua incompetência para gerir uma crise da qual ele é um dos artífices.  Afinal, há que se respeitar a doença alheia, mesmo sem a expectativa de que este paciente fosse se internar num dos muitos hospitais estaduais que ajudou a precarizar.

Mas minha posição relativamente leniente para com Pezão sofreu um abalo considerável quando o mesmo Lauro Jardim nos informou que o (des) governador ungido para o poder pelo hoje presidiário Sérgio Cabral não se internar num hospital, mas sim se hospedar num spa 5 estrelas, o Rituaali,  que fica localizado na charmosa e aprazível Penedo, que fica nos pés da Serra da Mantiqueira na região sul fluminense, e cuja construção custou aos seus donos a “bagatela” de R$ 20 milhões [Aqui!]. 

pezão spa

Ao verificar o site do “Rituaali” pude notar que o estabelecimento é um daqueles que os ultraricos brasileiros vão para se recuperar de doenças e do cansaço que suas vidas difíceis sempre carregam [Aqui!].  Uma indicação que o local não é para qualquer um é o fato de que não são fornecidas tarifas para ocupação dos chalés e apartamentos que compõem o Rittuali, distribuidos em uma área de 16 hectares! Entretanto, uma dica sobre valores foi dada por uma frequentadora deste spa na Veja Rio, que chegaram a salgados a R$ 14.000,00 por uma semana com a família em um apartamento. Entretanto, a mesma matéria nos informa que a tarifa semanal pode chegar a R$ 11 mil por pessoa num dos chalés privativos do Rituaali [Aqui!] (ver imagens de alguns aspectos da estrutura deste spa na apresentação abaixo).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Que o (des) governador Pezão gosta de estabelecimentos de alto luxo já se sabe quando veio a público o fato de que ele havia se hospedado com diárias pagas por seu padrinho político, Sérgio Cabral, no Resort Hotel PortoBello entre 2009 e 2012 [Aqui!]. A novidade aqui é que ele se põe a usar uma suposta doença para ir se alojar num spa 5 estrelas, num momento em milhares de aposentados estão sem dinheiro para comprar remédios e alimentos [Aqui!].

Um detalhe a mais que foi levantado pelo “The Intercept” do jornalista Glenn Greewnald revela que o (des) governador Pezão gosta da proximidade com pessoas que lhes são conhecidas a partir de negócios realizados com o estado do Rio de Janeiro. É que segundo o jornalista Ruben Berta, o “Rituaali” tem  sócio-administrador  o Sr. Marcos Ferreira Trindade, um dos homens fortes da FSB, empresa que realiza trabalhos de assessoria de imprensa para o governo  do Rio de Janeiro [Aqui!]. Além disso, nos mostra que Pezão é um  habituée do Rituaali, já que teria passado quatro dias neste spa de luxo em Fevereiro [Aqui!]

A verdade é que falta ao (des) governador Pezão o mínimo de decoro que se requer daqueles que se elegem supostamente para avançar os interesses da população. Por muitos menos do que está acontecendo no Rio de Janeiro, políticos japoneses e coreanos se suicidam para não desonrar suas famílias. Já na China….

Aliás, não custa nada lembrar que no dia em que o (des) governador Pezão rumou para o seu retiro de luxo se lembravam os 228 anos da queda da Bastilha, evento que marcou a derrubada da nobreza francesa do seu poder absolutista pela plebe revoltada com as diferenças de oportunidades e, principalmente, com o desprezo dos nobres para com sua pobreza.  

A crise se aprofunda: (des) governador Pezão sob risco de cassação no TRE

pezao-cabral

Como eu havia aventado na minha postagem anterior sobre a situação do (des) governador Pezão e a possibilidade da consumação da Lei de Murphy que postula que “nada está tão ruim que não possa piorar”,  parecemos que temos uma confirmação disso. É que segundo informa o jornalista Lauro Jardim no seu blog no “O GLOBO”, o processo que pede a cassação da chapa Pezão/Dornelles está numa situação para lá de precária, e só a aprovação da impugnação pretendida só não se consumiu por causa de um daqueles oportunos pedidos de vista  (Aqui!).

pezao-cassacao

Ainda que não haja qualquer ilusão de que a eventual cassação da chapa Pezão/Dornelles resulte numa imediata remoção do (des) governador Luiz Fernando de Souza do posto de (des) governador, a situação desta votação reflete a imensa fragilidade em que ele se encontra neste momento.

E qual é a consequência objetiva que podemos tirar da complicada posição em que Pezão se encontra? Ir às ruas e pressionar por um novo modelo de solução que a receita ultraneoliberal que foi adotado no Rio de Janeiro seja adotado. E, sim, se a roseira for balançada na velocidade e força devidas é bem provável que Pezão caia. 

Finalmente, a pergunta que não quer calar: no meio desse tiroteio todo, por onde anda o vice (des) governador Francisco Dornelles? São João Del Rey?

A delação do marqueteiro pode explicar pressa do (des) governo Pezão

O jornalista Lauro Jardim traz hoje a informação de que o marqueteiro Renato Pereira, responsável pelas campanhas eleitorias de Sérgio Cabral, Eduardo Paes, e Luiz Fernando Pezão está em processo de negociação de sua delação premiada com a chamada Operação Lava Jato (Aqui!).

delacao-pezao

Essa informação pode explicar toda a pressa com que o (des) governador Luiz Fernando Pezão vinha tratando o fechamento de um acordo de arrocho fiscal com o presidente “de facto” Michel Temer e seu ministro/banqueiro Henrique Meirelles.

É que se essa delação realmente ocorrer é bem provável que os dias do (des) governador Pezão no Palácio Guanbara estarão irremediavelmente contados. É que segundo o site “Btasil 247”, Renato Pereira iria entregar o número da conta usada pelo (des) governador Pezão no exterior (Aqui!).

De qualquer maneira, o simples vazamento desse suposto acordo já criará dificuldades para Luiz Fernando Pezão na Assmbleia Legislativa do Rio de Janeiro, na medida em que os deputados de sua própria base poderão adotar a posição pragmática de cortar laços políticos para minimizar as eventuais consequências dessa delação.

Agora, com a divulgação desta nota de Lauro Jardim, é provável que a pressa seja ainda maior. É que se não conseguir impor o arrocho nos servidores e a privatização da CEDAE, a utilidade do (des) governo Pezão será mínima. Dai que…..

Lauro Jardim, Sérgio Cabral e Odebrecht: notas de um romance arruinado. Resta saber quem se sente magoado com quem

O jornalista Lauro Jardim postou neste domingo duas notas que precisam ser lidas juntas para que se possa realmente aferir o tamanho do buraco em que pode estar metido o ex (des) governador Sérgio Cabral (ver reproduções abaixo).

É que se depender da nota da direita, Sérgio Cabral só vai mesmo precisar com o que a ODebrecht tem a delatar sobre o tempo que ele reinava no Palácio Guanabara e e em Paris lá pelos meados de Novembro. O problema para Cabral é que Lauro Jardim anuncia que a delação do ex-presidente da Odebrecht deverá dar detalhes sobre as propaladas propinas que a construtura teria pago ao ex(des) governador.

Há que se lembrar que o atual (des) governador Luiz Fernando Pezão ocupou o papel duplo de vice-governador e secretário de Obras em várias das empreitadas que a Odebrecht tocou duranteos dois mandatos de Sérgio Cabral.  

Um elemento paralelo destas notas é que um aspecto que transparece é que houve um azedamento nas relações dos personagens envolvidos. Resta saber entre quem o pH da relação baixou mais: se entre Cabral e a Odebrecht ou entre Lauro Jardim e Sérgio Cabral, ou se entre todos os personagens listados. 

Eu explico o porquê da minha dúvida. É que acima do potencial valor jornalístico das duas notas, o que sobressai em minha opinião são avisos de que o bicho vai pegar para Sérgio Cabral, restando apenas se saber se vai. Mas que parece aviso de gente magoada, isto parece!

 

Lauro Jardim anuncia que Carioca Engenharia entregou provas de pagamento de propinas a Sérgio Cabral e Wilson Carlos

sergio-cabral-2

Sérgio Cabral e Wilson Carlos em tempos mais felizes na cidade de Paris onde ficaram famosas as festanças da chamada “Turma dos Guardanapos”.

O jornalista Lauro Jardim informou na manhã deste domingo que a Carioca Engenharia provas que incriminam o ex (des) governador Sérgio Cabral e seu “jack of all trades”, o ex-secretário de governo Wilson Carlos, como recebedores de propinas (Aqui!) (ver reprodução abaixo).

Lauro Jardim Carioca

Com mais essa delação de uma grande empreiteira sobre pagamento de propinas a ele e seus associados no (des) governo do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral se tornou uma espécie de recordista em termos de denúncias sobre o recebimento de vantagens ilícitas enquanto ocupante do principal cargo do executivo fluminense.

O que mais me impressiona nessa coisa toda não é que Sérgio Cabral ainda esteja solto até o presente momento. O que realmente salta aos olhos é o fato de que ele ainda mantém um grau importante de podet dentro da política fluminense. Ou alguém acha que seu filho, Marco Antonio, é secretário estadual de Esportes no período extremamente lucrativo dos Jogos Olímpicos por sua plena capacidade profissional?

E ainda tem gente que tem a cara de pau de vir a público para dizer que os servidores públicos e aposentados são os responsáveis pela crise financeira (seletiva) que se abate neste momento sobre o estado do Rio de Janeiro!