E agora, Eduardo Paes? É essa a sua cidade olímpica?

A MERDA AVANÇA SOBRE A ORLA CARIOCA

rio de merda
Mais uma vez assistimos, impotentes, ao triste espetáculo do avanço da merda sobre a orla carioca.

Outra foto de ontem (03.05.2016), captada de outro ângulo pelo nosso incansável biólogo Mario Moscatelli sobre o Quebra-Mar, mostrando a invasão do mar pelo esgoto do sistema lagunar da Barra da Tijuca.

São o cocô e o lixo da Ilha da Gigóia, do Itanhangá, do Peninsula e dos prédios, casas, shoppings e condomínios da Barra da Tijuca, contaminando todo o litoral carioca.

Reparem que como ventava Sul, toda a merda foi pra São Conrado, Leblon e Ipanema, chegando até o Arpoador.

Hoje a praia de Ipanema já amanheceu tomada pelas gigogas, plantas que só proliferam no esgoto e na matéria fecal. Vejam matéria grande com foto no Globo.

Do nível do chão a gente não vê, aí todo mundo cai na água, se diverte, crente que está limpinha…

Isso é um crime ambiental inaceitável. Até quando?

Ampliem a foto para novamente ver a MERDA em High Definition.

Rio, Cidade Olímpica de Merda

Foto Copyright © 2016 – Mario Moscatelli

FONTE: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10208490308910877&set=a.1491795410486.66305.1102038550&type=3&theater

Poluição de esgoto in natura firme e forte na cidade dos Jogos Olímpicos 2016

As imagens abaixo foram tiradas da página que o biólogo Mário Moscatelli mantém no Facebook e mostra o efeito desastroso que a descarga de esgoto in natura nas lagoas da Barra da Tijuca está tendo sobre toda a orla marinha da cidade do Rio de Janeiro,

moscatelli 0 moscatelli

mar 1 mar 2

E pensar que um dos principais compromissos firmados pela Prefeitura do Rio de Janeiro com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para que a cidade pudesse sediar a edição 2016 dos Jogos Olímpicos. Se essa situação está colocada no metro quadrado mais caro da cidade, o que imaginar do entorno da Baía da Guanabara onde muitos pobres vivem!

Em suma: se alguém vai ganhar com os vultosos investimentos feitos na estrutura dos jogos não vai ser a população carioca ou, tampouco, os ricos ecossistemas que fazem da cidade do Rio de Janeiro um dos principais pontos turísticos do planeta.