Enquanto Bolsonaro distrai, a Câmara de Deputados passa a boiada e aprova a MP da Grilagem

bolsonaro fogo

Uma das medidas mais anti-ambiente e anti-povos indígenas acaba de ser aprovada por expressiva maioria na Cãmara de Deputados (foram 296 votos a favor e 136 contra). Falo aqui do PL 2633, mais conhecido como PL da Grilagem. Essa aprovação representa um prêmio aos grileiros de terras que hoje saqueiam as riquezas amazônicas e causam taxas de desmatamento que causam graves danos ao meio ambiente global.

É interessante notar que a Câmara de Deputados dá esse imenso presente aos grileiros de terras públicas mesmo sob a ameaça de boicote por parte de grandes cadeias de supermercados europeias  empresas europeias, incluindo as redes britânicas de supermercado Tesco e de lojas de departamentos Marks & Spencer, que ameaçaram parar de comprar commodities brasileiras caso o Congresso aprovasse o PL da Grilagem.

tesco

Diversas redes de supermercados, incluindo a britânica Tesco,  ameaçaram boicotar produtos agrícolas brasileiros caso o MP da Grilagem fosse aprovado. Agora que ele foi, veremos se cumprirão a ameaça

Para mim essa aprovação reflete uma velha aposta que as oligarquias agrárias brasileiras (rebatizadas de agronegócio) fazem em relação ao resto do mundo que compra as commodities agrícolas que são produzidas em terras públicas griladas. Essa aposta vai ser testada em futuro próximo, a começar pela tentativa de se ratificar no parlamento europeu o Acordo Comercial com o Mercosul.

De toda forma, um aspecto dessa aprovação absurda sob todos os pontos de vista é que ela revela o erro que é se colocar as pessoas nas ruas para pedir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Essa votação revela que ainda que o governo Bolsonaro seja a fonte de graves problemas, existem outras forças tão ou mais retrógradas quanto o presidente Jair Bolsonaro que operam para destruir a Amazônia e os povos que dependem das suas florestas para se manterem vivas. O fato é que essa aprovação tão fácil do PL da Grilagem só foi possível porque tudo está sendo concentrado na figura de Jair Bolsonaro em vez de se atacar aqueles que efetivamente o mantém no poder e se beneficiam de sua presença no cargo de presidente da república. 

E que todos se preparem para as nuvens de fumaça que brevemente chegarão no centro sul do Brasil por causa dos gigantescos incêndios que ocorrerão em breve nas novas áreas de desmatamento na Amazônia. É que se se preparem para a coisa ficar ainda pior nos próximos anos, pois com a aprovação do PL da Grilagem teremos ainda mais desmatamento e degradação das florestas amazônicas.

PL da grilagem gera novas ameaças de boicote ao Brasil

Carta enviada em maio recebe apoio de nove gigantes do varejo e produção de alimentos do Reino Unido e da Holanda

grilagem

Uma carta de empresários europeus ao congresso brasileiro alertando para não aprovarem o PL da grilagem acaba de ganhar a adesão de mais empresas do Reino Unido e da Holanda:

  • Nando’s,
  • Albert Heijn
  • Aquascot (produtor de salmão)
  • Centraal Bureau Levensmiddelenhandel (CBL)
  • C.I.V. Superunie B.A.
  • Jumbo Supermarkten B.V.
  • Nevedi (ração animal)
  • Ocado
  • Woolworths Group

Em maio, 38 grandes supermercados e produtores de alimentos britânicos e europeus já tinham enviado ao Congresso Nacional uma carta com ameaças de boicote caso o PL510/21 fosse aprovado. Segundo os empresários, a nova lei levaria a um desmatamento maior da Floresta Amazônica e de outros biomas.

Tanto o PL 510/2021, que tramita no Senado, quanto o PL 2633/2020, que tramita na Câmara dos Deputados, buscam legalizar a grilagem de terras. O requerimento para tornar o PL 2633/2000 pauta urgente foi aprovado com folga na sessão plenária desta terça-feira (13), por 330 votos a favor e 109 contrários. O fato de o assunto tramitar duplamente no Congresso mostra que a aprovação da matéria é provável.

A carta publicada em maio e que recebeu novas adesões hoje está disponível aqui: : https://www.retailsoygroup.org/wp-content/uploads/2021/05/Letter-from-Business-on-Amazon_2021.pdf

Redes de varejo europeias consideram boicote a produtos brasileiros por causa do PL da Grilagem

O desmatamento ilegal está destruindo a floresta tropical brasileira. Redes de supermercados europeias agora ameaçam interromper as relações de fornecimento – se o Brasil aprovar uma lei para legalizar a grilagem de terras

BRAZIL-ENVIRONMENT-FIRE

Remoção ilegal de floresta tropical no Brasil no verão de 2020.  Foto de Carl de Souza/AFP

Os piores incêndios em décadas ocorreram no Pantanal brasileiro em 2020. Mesmo assim, o governo brasileiro ainda quer aprovar uma lei que deveria legalizar a grilagem de terras pelos agricultores. Não são apenas os ambientalistas que temem mais desmatamentos: dezenas de grandes cadeias de varejo europeias agora uniram forças para impedir que os planos sejam aprovados.

“No ano passado, percebemos várias circunstâncias que levaram a um número extremamente alto de incêndios florestais e desmatamento no Brasil ”, disse a carta aberta ao congresso nacional. É assinado por um total de 40 empresas, incluindo Aldi Süd, Lidl , Metro , Migros, Sainsbury e Tesco. A Amazônia faz parte do ecossistema global e deve ser protegida. Isso também serve para proteger o planeta.

Ação semelhante por supermercados do Reino Unido em 2020

O projeto é potencialmente “uma ameaça ainda maior” para a Amazônia. Os signatários, portanto, ameaçam o país: “Se essa medida for aprovada, não temos escolha a não ser repensar nosso apoio e uso da cadeia de abastecimento brasileira.” As corporações apelaram ao governo liderado pelo populista de direita Jair Bolsonaro para abandonar os planos.

fecho

Este texto foi originalmente escrito em alemão e publicado pela “Der Spiegel” [Aqui!].