Minério de ferro atinge a menor cotação em cinco anos e meio

ferro2

SÃO PAULO  –  O minério de ferro atingiu hoje seu menor nível em mais de cinco anos, por conta das preocupações em relação à demanda de aço na China somadas ao momento de grande excedente de produção mundial da commodity.

A matéria-prima com teor de 62% de ferro entregue em Qingdo, na China, caiu 1,6%, para US$ 66,84 por tonelada métrica, de acordo com dados compilados pelo Metal Bulletin. Esse é o menor nível desde 2 de junho de 2009.

O minério de ferro caiu 50% neste ano, na medida em que as gigantes BHP Billiton, Rio tinto e Vale aumentaram a produção, inundando o mercado. Isso, somado à atividade mais fraca na China,  levou a Australia, principal exportadora mundial da commodity, a cortar as estimativas de preço para o próximo ano em 33%.

“O cenário não é muito animador”, disse Dominic Schnider, da unidade de gestão de fortunas do UBS de Cingapura. “Não há muito suporte [para os preços] nem mesmo em 2015. A China ainda vai desacelerar”, ressaltou.

(Bloomberg)

FONTE: http://www.valor.com.br/empresas/3835324/minerio-de-ferro-atinge-menor-cotacao-em-cinco-anos-e-meio

Reuters: Minério de ferro cai para mínima de 5 anos com excedente de oferta

minerio

CINGAPURA (Reuters) – Os preços do minério de ferro caíram ao menor nível desde setembro de 2009 nesta terça-feira e davam sinais de recuar ainda mais, com um excedente de oferta pressionando as cotações da commodity, que já acumula perdas de 42 por cento neste ano.

O iminente inverno na China, que em anos anteriores elevaram a demanda das siderúrgicas chinesas por minério importado, provavelmente não dará um impulso aos preços, já que muitas minas de minério de ferro do país já estão fechadas, disseram operadores.

“Muitas usinas já mudaram para o uso de mais minério importado devido à queda nos preços neste ano, portanto eu não entendo que aquela demanda adicional durante o inverno será muito maior”, disse um operador de minério de ferro de Xangai.

A queda nos preços tem forçado muitas minas de alto custo na China, maior importador e consumidor da commodity, a interromper as atividades, em meio a um aumento de produção no Brasil e na Austrália.

O minério de ferro com entrega imediata na China caiu 0,9 por cento nesta terça-feira, a 77,10 dólares por tonelada, segundo dados compilados pelo Steel Index.

Os futuros do minério também caíram, com o contrato mais negociado na bolsa de Dalian, vencimento maio, encerrando a sessão com queda de 1,3 por cento, a 520 iuanes (85 dólares) por tonelada.

“A demanda permanece fraca na China, com compradores em compasso de espera, já que muitas siderúrgicas foram forçadas a interromper a produção antes de um encontro da Apec”, disseram analistas do banco ANZ, em nota.

Dezenas de usinas em áreas industriais ao redor de Pequim estão fechadas desde 1 de novembro, numa tentativa de reduzir a poluição do ar, em antecipação à um encontro de líderes mundiais, incluindo o presidente Barack Obama, marcado para 5 a 11 de novembro, na reunião do bloco de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico.

A China impôs interrupções semelhantes durante os Jogos Olímpicos de 2008.

(Por Manolo Serapio Jr)

FONTE: http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN0IO18S20141104

Valor: Minério em queda pode comprometer projetos

A forte queda nos preços do minério de ferro pode comprometer os investimentos em projetos de mineradoras sem logística integrada, que não têm ferrovia e porto próprios. Entre essas empresas estão grandes siderúrgicas, como Gerdau, Usiminas e ArcelorMittal, além das mineradoras Ferrous e MMX, que juntas investiram entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões para aumentar a produção de minério de ferro em Minas Gerais. Elas poderão ser obrigadas a rever seus projetos se a cotação não se recuperar ou se não houver um ajuste nos preços dos serviços logísticos de exportação.

FONTE: http://www.valor.com.br/empresas/3689592/minerio-em-queda-pode-comprometer-projetos#ixzz3CuXeCw7f

Os problemas nas ex-empresas “X” continuam: ações da ENEVA (ex-MPX) caem abruptamente por problemas operacionais

Ainda que a mídia corporativa brasileira ainda não tenha noticiado, a Bloomberg nos informa que aa ações da ENEVA (ex- MPX) deram um belo mergulho ao longo da última semana, voltando aos tempos em que essa empresa, sob o comando do ex-bilionário Eike Batista, vivia dias bem difíceis. Os motivos do mergulho estão ligados à contínua incapacidade que a ENEVA herdou da MP(X) de fazer as suas plantas termelétricas funcionarem.

Como as ações da ENEVA perderam 45% do seu valor, num tendência contínua de queda, existem segundo a Bloomberg analistas que vêem a possibilidade real de que a empresa siga o mesmo destino de empresas que nasceram dentro do império de empresas “X” e tenha que pedir recuperação judicial. A razão para isto é muito simples: a ENEVA pode ficar sem dinheiro!

Como se vê, para se livrar a herança maldita de Eike Batista, é preciso mais do que tirar o “X” do nome. O problema é que essas dificuldades poderão obrigar o BNDES a ampliar o seu pacote de bondades para beneficiar também a ENEVA, como já fez com a ex-LL(X).

Eneva Plunges on Delayed Startup of Power Plant: Sao Paulo Mover

By Denyse Godoy and Julia Leite

Eneva SA (ENEV3), the Brazilian power generator controlled by EON SE and Eike Batista, plunged after a person with knowledge of the matter said the company is postponing the start of its Parnaiba 2 power plant.

The shares dropped an eighth day today, losing 5.6 percent to a five-year low of 1.85 reais at the close of trading in Sao Paulo. Volume was 3.5 times the three-month daily average. Today’s decline extended the loss this year to 38 percent.

The natural gas-fueled plant had been scheduled to begin operations by the end of March, said the person, who asked not to be identified because the delay hasn’t been publicly disclosed. The person said the company isn’t sure when the plant will go online.

The delay will force Eneva to buy electricity from other generators in Brazil’s North to meet its contractual obligations after spot prices surged because of a drought. That, combined with rising interest rates and cost overruns, prompted UBS AG analysts led by Lilyanna Yang to cut their rating on the stock to hold from buy.

“Eneva should soon run out of cash,” Yang, who also cut her 12-month price target by more than half to 2.50 reais from 7 reais, said in a report dated yesterday. Operational problems are coming “at the worst possible time.”

Eneva’s press office didn’t respond to phone calls and an e-mail today.

The stock is down 45 percent in the past month, the most among Sao Paulo’s 100 most-traded stocks. Eneva had plunged 72 percent in 2013 as investors speculated that the company might be dragged into a debt default along with other Batista companies.

Generating Capacity

The Rio de Janeiro-based company has said the plant would have a generating capacity of 517 megawatts and would boost revenue by 373.7 million reais ($156 million) a year.

In northern Brazil, Eneva expects wholesale-market prices to decrease on higher hydropower output, the person said. Dam reservoir levels in the north are at 75 percent, the highest among the country’s four regions, according to a statement on the website of the country’s grid operator.

Eneva’s output capacity is 2.4 gigawatts currently. The company announced yesterday that it got authorization from Brazil’s power regulator, known as Aneel, to start operations of the second generation unit at the Parnaiba 3 plant.

To contact the reporters on this story: Denyse Godoy in Sao Paulo at dgodoy2@bloomberg.net; Julia Leite in New York at jleite3@bloomberg.net

To contact the editor responsible for this story: Brendan Walsh at bwalsh8@bloomberg.net

FONTE: http://www.bloomberg.com/news/2014-02-19/eneva-said-to-postpone-startup-of-gas-power-plant-beyond-march.html

Daily Beast: símbolo X das empresas de Eike Batista virá pó

EIKE FALL

Jornal do Brasil

Eike Batista era o oitavo homem mais rico do mundo, o garoto-propaganda para o novo Brasil, chamava atenção pelo nível de riqueza, até que estourou a bolha envolvendo o seu petróleo e gás. A afirmação está na matéria publicada pelo portal do americano The Daily Beast, neste fim de semana. A reportagem foi assinada por Mac Margolis e comenta a ascensão e queda do império do ex-megaempresário Eike Batista.

Margolis comenta uma entrevista que Eike concedeu à uma revista de celebridades brasileira, há dois anos, quando ele comenta que “sabia onde queria estar”, se referindo a sua posição social e posição no ranking dos homens mais ricos do planeta. Segundo a reportagem, o pai de Eike, Eliezer Batista, um lendário executivo da mineração no país, ficou revoltado quando soube que seu filho havia comprado uma “mina de ouro na Amazônia”. “Eu vou dar-lhe o diploma de um idiota”, reproduziu Margolis a frase de Eliezer Batista. Segundo o jornal, Eike e seu pai não se falam há uns 10 anos, mas o Batista filho recuou.

O texto destaca que, com seu ego à prova de bala e o sorriso na camera-ready, Batista aproveitou suas participações na Amazon e dinheiro em caixa para alavancar empreendimentos cada vez maiores. Em pouco tempo, ele era o alto investidor emergente da nação brasileira, mudando a imagem “de playboy mimado” para se tornar o oitavo homem mais rico do mundo, cortejado por investidores e políticos. Todos os grandes grupos queriam a participação de Eike Batista. “Sua emergente mineração e conglomerado de energia dispararam para o topo do mercado de ações de São Paulo. Cordial, com um ar de superioridade tropical, Batista não era apenas um brasileiro, mas um emblema do próprio Brasil. Cerca de dois milhões de pessoas seguiram Eike pelo seu Twitter”, comenta o texto.

Segundo a publicação, a queda de Batista foi algo “tão espetacular”. Citando o declínio do império de Eike na Bolsa de Valores de São Paulo e no mercado internacional, a matéria afirma que a letra X que imprime uma marca registrada nas empresas de Batista e foram considerada símbolo da multiplicação de riqueza nacional, se transformou em pó.

FONTE: http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2013/11/11/daily-beast-simbolo-x-das-empresas-de-eike-batista-vira-po/

Cai mais um alto dirigente do grupo de Eike Batista

Presidente da OSX é demitido

RENATA AGOSTINI, DE BRASÍLIA & RAQUEL LANDIM DE SÃO PAULO

alhos

O presidente da OSX, Marcelo Gomes, foi demitido nesta sexta-feira (8), segundo apurou a Folha. A empresa naval, de Eike Batista, prepara-se para entrar em recuperação judicial, seguindo o caminho de sua principal cliente, a petroleira OGX.

O pedido da OSX, que era esperado para quinta-feira (7), vem sendo adiado e agora deve acontecer apenas na semana que vem.

Com a demissão, a consultoria Alvarez & Marsal, que assumiu a reestruturação da OSX em meados deste ano, deixará a empresa. Gomes ocupava o cargo de presidente da companhia desde agosto.

A Angra Partners, de Ricardo K, deve passar a comandar o processo de recuperação da companhia juntamente com o da OGX.

A petroleira seguiu roteiro similar. Eike decidiu afastar o presidente Luiz Carneiro em outubro e deixou nas mãos da Angra Partners as negociações com os credores da companhia.

A OGX entrou com seu pedido de recuperação judicial na semana passada com dívidas de R$ 11,2 bilhões.

REAÇÃO EM CADEIA

A OSX ficou em situação delicada diante da derrocada da petroleira de Eike. A empresa foi criada justamente para suporte à campanha exploratória da OGX.

Com o fracasso de seus planos, sete das nove encomendas de plataformas feitas pela OGX para a OSX foram canceladas – e a empresa já avisou que deve desistir de mais uma.

Diante disso, a recuperação judicial da companhia tornou-se quase inevitável. A decisão, contudo, só foi selada na última terça-feira após o comando da companhia finalizar uma complexa negociação com os bancos credores, que permitiu a rolagem de dívidas de curto prazo de R$ 1 bilhão.

Os financiamentos, concedidos por Caixa e BNDES, têm os bancos Votorantim e Santander como garantidores. Ficou acertado que essa dívida só será paga agora em outubro do ano que vem.

A Caixa firmou novo contrato, prorrogando o pagamento dos R$ 461 milhões devidos pela empresa. Já o BNDES, cujo empréstimo vence no próximo dia 15, ainda analisa se irá exercer as garantias e reaver os cerca de R$ 550 milhões que concedeu à OSX.

O acordo prevê, contudo, que, caso isto aconteça, o Votorantim pagará o banco estatal, assumindo o crédito com a empresa, mas só o cobrará da OSX no ano que vem.

O plano prevê ainda que Santander e Votorantim, além de assegurarem a carência no pagamento dos financiamentos, aportem R$ 20 milhões na companhia após a recuperação judicial.

Eike Batista, que detém 66,7% da OSX, também prometeu injetar outros R$ 100 milhões.

O dinheiro é necessário para que a OSX sobreviva ao processo de recuperação. Mesmo com o pedido aceito pelo juiz, ela não pode quebrar enquanto prepara seu plano de reestruturação.

Procurada, a OSX ainda não respondeu ao pedido da reportagem.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/11/1368752-presidente-da-osx-e-demitido.shtml