Sertanista Sidney Possuelo devolve medalha do mérito indigenista após honraria ter sido dada a Jair Bolsonaro

SIDNEY POSSUELO 1

O ex-presidente da Funai, o sertanista Sidney Possuelo, devolvendo sua medalha do mérito indigenista após a honraria ter sido entregue também ao presidente Jair Bolsonaro

A piada de mau gosto realizada pelo ministro da Justiça, o policial federal Anderson Torres, que resolveu premiar o presidente Jair Bolsonaro com a medalha do mérito indigenista serviu de motivo para que o ex-presidente da Funai, o sertanista Sidney Possuelo,  devolvesse a mesma honraria que lhe foi entregue há 35 anos por seus extensos serviços em prol dos povos indígenas, especialmente os que ainda vivem isolados.

Segundo a carta entregue junto com a medalha no ministério da Justiça, a entregue do mérito indigenista a Jair Bolsonaro representa uma “flagrante, descomunal, ostensiva contradição em relação a tudo que vivi e a todas convicções cultivadas por homens da estatura dos irmãos Villas Boas“. Possuelo acrescentou ainda que devolvia a honraria ao governo brasileiro porque em sua opinião a mesma “perdeu toda a razão pela qual, em 1972, foi criada pelo presidente da república“.

SIDNEY POSSUELO

Ainda que as opiniões de Possuelo tenham chance próxima de zero de comover Anderson Torres, o certo é que a devolução desta medalha por uma figura como Possuelo deverá gerar ainda mais constrangimentos externos, já que internamente a coisa parece muito bem controlada por Jair Bolsonaro e seus ministros do fim do mundo.