Mineração: mais para praga do que para benção

mineração

A condição de colônia portuguesa por mais de 300 anos deu ao Brasil um legado de exploração que tem na mineração uma das facetas mais persistentes (a outra notável é a forte concentração da propriedade da terra) de sua formação econômico enquanto Estado independente.  Um aspecto que cerca a mineração é que, apesar de todos os danos socioambientais que a acompanham, ela é normalmente vendida como dádiva econômica, já que nosso país possui grandes reservas de vários minérios estratégicos para o desenvolvimento mundial.

Em função disso, os eventuais questionamentos que são feitos sobre a propensão das atividades mineradoras de causarem menos benefícios do que seus empreendedores anunciam são normalmente rejeitadas como coisa de “ambientalista” ou de anti-desenvolvimentistas.  E para que essa visão se perpetua, as mineradoras realizam um forte lobby na mídia e no congresso nacional para que sejamos convencidos de que mineração é uma benção.

Felizmente, há um crescente corpo de literatura que mostra a outra face da mineração a partir de estudos realizados sobre os efeitos da mineração e de seus grandes projetos. Assim, graças a um dos estudantes que compõe o meu grupo de pesquisa à obra da autoria de Tádzio Peters Coelho, que aparece abaixo, e que aborda os efeitos da implantação do projeto “Grande Carajás” no estado do Pará.

carajas 1

Selecionei duas tabelas de um dos capítulos em que o livro foi dividido, as quais considero bastante didáticas para que possamos entender o balanço que deve ser feito de um dos maiores projetos de mineração ainda em realização no Brasil.

carajas 2
carajas 3

O que essas tabelas mostram de forma é que não apenas existem uma série de impactos intrínsecos ao processo de mineração, mas como também os efeitos negativos são bastante numerosos e complexo que acompanham esta atividade. E, pior, se considerarmos o que há de positivo poderemos notar que se reduzem a benefícios fiscais que não levam em conta a necessidade de se reparar e compensar os danos causados pela mineração.

Aliás, quem já visitou áreas sob efeito da mineração verá logo que o caos socioambiental que a atividade gera implica também numa forte implicação no aumento da concentração da riqueza. Só isso me basta para apontar que a mineração está muito mais para praga do que para a benção que as mineradoras e seus áulicos tentam nos empurrar.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s