Exposição fotográfica em Nova York mostra impactos da mineração em Minas Gerais

Barragens de rejeitos e a Exploração Mineral em Minas Gerais são tema da exposição da artista mineira Júlia Pontés que acontece a partir de 30 de maio em Nova York

Este slideshow necessita de JavaScript.

A exposição individual da artista brasileira Júlia Pontés Our Land My Landscape | Paisagens Transitórias mostra uma documentação aérea de diversas barragens de rejeitos e cavas de grandes empreendimentos de exploração mineral em Minas Gerais.

Desde 2015, Júlia pesquisa os impactos sociais, econômicos e ambientais da indústria de mineração no Brasil. O trabalho da artista teve como grande motivador o rompimento, no mesmo ano, da barragem da Samarco, quando milhões de litros de lama inundaram e contaminaram uma das bacias hidrográficas mais importantes do Brasil, a do Rio Doce.

A temática aqui abordada permanece atual e urgente, com milhares de pessoas vivendo sob a real ameaça de novos colapsos de outras barragens de rejeitos, como a de Barão de Cocais, em Minas Gerais.

Uma das imagens presentes na exposição, é a de um fragmento da barragem da Vale no Córrego do Feijão, já depois do seu rompimento que vitimou mais de 270 pessoas em Janeiro de 2019, e contaminou a bacia do rio Paraopeba.

Nos EUA, o trabalho de Júlia foi reconhecido pela Planetary Health Alliance, da Universidade de Harvard e publicado também pela Bloomberg Businessweek. 

No Brasil, esse trabalho já teve uma exposição individual no museu da cidade de Congonhas, como parte do Festival de Fotografia Foto em Pauta, e hoje está em exibição na Fundaj, em Recife, como parte da exposição Minas, com curadoria de Moacir dos Anjos, em companhia de outros trabalhos de artistas como Claudia Andujar Pedro David, João Castilho, Mabe Bethônico, William Kentridge, entre outros. Uma nova exposição está prevista para o Festival de Fotografia de Paranapiacaba, em São Paulo agora no início do segundo semestre.

A exposição estará em exibição de 29 de maio a 27 de setembro de 2019 e está localizada na 211 East 43rd Street, a poucos passos da Grand Central Station e das Nações Unidas em Nova York.

Sobre Júlia Pontés:

Nascida em Minas Gerais, Júlia Pontés é fotógrafa aérea e documental, artista e ativista, baseada entre São Paulo e Nova York. Mestranda em Direito e & Economia, com especialização em Políticas Públicas. Em 2015, Júlia se formou no International Center of Photography, ICP em Nova Iorque Desde então, foi escolhida duas vezes para o Programa para Artistas Imigrantes Emergentes da New York Foundation for the Arts, e recebeu bolsa Lillian Disney da California Institute of Arts e a Allan Sekula Social Documentary grant, da mesma instituição.

Júlia colabora com o MAM – Movimento pela Soberania Popular na Mineração – e apresentou seu trabalho e participou de palestras públicas e painéis na Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) no Recife, no Festival de Fotografia de Tiradentes, e em outras universidades públicas do país.

Abertura da Exposição
29 de Maio de 2019, de 18 a 20hs
211 East 43rd Street, NY, Nova York, EUA 11232
RSVP para hello@juliapontes.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s