Estudo publicado na Nature aponta para o Glifosato como causador de convulsões em nematóides. E nos humanos?

Novo estudo mostra que o glifosato é potencialmente mais perigoso do que se pensava

round up

Um estudo publicado pela Nature Scientific Reports aponta para um efeito ainda pouco estudado do uso do herbicida glifosato (ou Round up) que é produzido pela Bayer/Monsanto. Os pesquisadores sediados em instituições localizadas na Flórida  compararam como diferentes formulações do glifosato  afetam o comportamento convulsivo em em um grupo de nematóides (o C. elegans) e descobriram que a exposição ao agrotóxico mais vendido no planeta aumentou este processo.

Segundo os autores,  o tratamento com uma droga antiepiléptica interrompeu as convulsões prolongadas.  Eles descobriram ainda que mais de um terço dos nematóides expostos ao glifosato não se recuperaram de suas convulsões, mas que o tratamento com a droga antiepiléptica resultou em recuperação total.

Um dos achados mais importantes do estudo foi de que os efeitos convulsivos foram encontrados em concentrações que representam diluições de 1.000 vezes de descobertas anteriores de neurotoxicidade, usando mais de 300 vezes menos herbicida do que a concentração mais baixa recomendada para uso do consumidor.

Ao explorar os mecanismos por trás das suas observações, os autores encontraram evidências significativas de que o glifosato tem como alvo os receptores GABA-A. Os experimentos farmacológicos realizados no estudo, que combinaram dosagens subeficazes de glifosato e um antagonista GABA-A, produziram um aumento de 24% na não recuperação em comparação com o antagonista sozinho.

Experimentos com cepas mutantes de GABA não mostraram efeito em uma cepa com depleção de GABA-A, mas um efeito significativo e aumentado em uma cepa sem descarboxilase de ácido glutâmico.  Os autores apontam que as suas descobertas caracterizam a exacerbação das convulsões pelo glifosato e propõem o receptor GABA-A como alvo neurológico para as alterações fisiológicas observadas.  Uma conclusão igualmente importante foi o potencial do glifosato para desregular os circuitos neurológicos inibitórios.

E os possíveis impactos em seres humanos?

Segundo um dos autores do estudo,  Ken Dawson-Scully, dado que a pesquisa envolveu apenas invertebrados, não é possúvel dizer que resultados semelhantes ocorreriam em mamíferos, incluindo humanos.  Entretanto, Dawson-Scully afirmou que as descobertas do presente estudo mostram que mais pesquisas devem ser feitas devido ao amplo uso desses produtos. Ainda segundo, Dawson-Scully “até agora, não há informações sobre como a exposição ao glifosato e ao Roundup® pode afetar humanos diagnosticados com epilepsia ou outros distúrbios convulsivos”, mas que o seu estudo indica que há uma interrupção significativa na locomoção e deve levar a mais estudos de vertebrados”.

Apesar de ainda não ser possível afirmar que o glifosato possui capacidades similares como gerador de convulsões em humanos, esta pesquisa aponta para a necessidade de estudos específicos não apenas para outros tipos de invertebrados, mas também em mamíferos (inclusive seres humanos). De quebra, o que este estudo revela é que o grau de periculosidade do glifosato para o meio ambiente e os seres humanos pode estar sendo grosseiramente subestimado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s