Bloomberg diz que ações da OSX foram embargadas pela Acciona

A Bloomberg acaba de publicar uma matéria dando dados adicionais sobre a decisão da justiça da Holanda de embargar ações da OS(X) para honrar dívidas contraídas com a empresa espanhola Acciona na construção do estaleiro no Porto do Açu. É interessante lembrar que o “embargo” das ações da OSX Leasing só foi capaz porque Eike Batista deixou essa empresa fora do processo de recuperação judicial que abarca outras empresas do seu combalido império de empresas pré-operacionais.

Para quem na época não entendeu porque a Acciona continuou pagando o salário de trabalhadores que sequer sabiam o caminho do Porto do Açu, agora a resposta está dada. Os espanhóis receberam um esperar um pouco e pegaram Eike Batista na curva.

Esse é um perfeito exemplo de como não existem bobos no jogo das grandes corporações. Aliás, o único bobo é aquele que se julga o único esperto. E nesse caso envolvendo a OS(X) e a Acciona, já deve estar claro quem foi o bobo e quem foi o esperto. Olé!

Batista Oil Vessel Unit Stock Embargoed by Acciona

By Juan Pablo Spinetto and Blake Schmidt

Shares in Eike Batista’s oil platform leasing unit are being embargoed at the request of Acciona SA (ANA) as the Spanish power generator seeks to secure payment from the former billionaire’s shipbuilder, Acciona said.

A judge in the Netherlands granted a petition to hold the shares of OSX Brasil SA (OSXB3)’s leasing unit, Madrid-based Acciona said in an e-mailed response to questions after the ruling was reported by Veja columnist Lauro Jardim. OSX, based in Rio de Janeiro, didn’t reply to requests for comment to its press office. Acciona didn’t provide details of the legal case.

Batista’s leasing unit, which was left out of OSX’s bankruptcy protection request, owns the OSX-3 offshore oil-processing vessel built by Tokyo-based Modec Inc. (6269) and used as collateral for $500 million of OSX bonds due 2015. The defaulted bonds jumped 4.3 cents this year to 89.5 cents on the dollar on Jan. 17 partly because of expectation foreclosure of the vessel will allow creditors to get their money back.

“It’s a second bid on the money,” said Rafael Fritsch, chief investment officer at JGP Credito in Rio de Janeiro. Acciona “is hoping for any excess value after bondholders and banks,” he said. “In theory, there should be excess value.”

Shares of OSX, which have plummeted 92 percent in a year, were unchanged at 77 centavos at 1:45 p.m. in Sao Paulo.

The seizure of the company’s leasing unit could further disrupt the company’s business plan, Fritsch said.

OSX defaulted on $11.56 million of interest payments on the bond due Dec. 20.

To contact the reporters on this story: Juan Pablo Spinetto in Rio de Janeiro atjspinetto@bloomberg.net; Blake Schmidt in Sao Paulo at bschmidt16@bloomberg.net

To contact the editor responsible for this story: James Attwood at jattwood3@bloomberg.net

FONTE: http://www.bloomberg.com/news/2014-01-20/batista-oil-vessel-unit-stock-embargoed-by-acciona.html

Acciona consegue arrestar ações da OS(X) para pagar dívidas do Porto do Açu

A situação das empresas que ainda estão sob o controle de Eike Batista continua naquela situação de alto risco, a começar pela OS(X) que está com uma dívida de 300 milhões com a espanhola Acciona como mostra a matéria abaixo da Revista Exame que resultou na apreensão de ações. Nisso tudo, o certo é que não haverá num curto espaço de tempo o prometido estaleiro no Porto do Açu. Se Greta Garbo terminou no Irajá, Eike Batista parece ter selado seu destino em São João da Barra!

Pedido de arresto de bens da OSX Leasing inclui ações

O montante arrestado garante integralmente a dívida de R$ 300 milhões da empresa do empresário Eike Batista com a credora

Daniela Amorim, do 

Divulgação

 Superporto de Açu

 Obras em Açu: a Acciona é uma das empresas participantes da construção do porto em São João da Barra

A empreiteira Acciona conseguiu na Justiça holandesa o arresto das ações da OSX Leasing. Embora o pedido feito à justiça não inclua os bens da companhia, o montante arrestado garante integralmente a dívida de R$ 300 milhões da empresa do empresário Eike Batista com a credora, segundo o advogado Leonardo Antonelli, que representa a corporação espanhola.

A Acciona é uma das empresas participantes da construção do Porto do Açú, em São João da Barra, litoral norte do Estado do Rio de Janeiro. A decisão da justiça saiu no fim do ano passado, mas foi mantida em sigilo.

“Conseguimos o arresto das ações da Leasing”, afirmou o advogado ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, em entrevista por e-mail. “Cumprimos dia 31 de dezembro, mas mantivemos o sigilo até o ajuizamento da demanda principal no Brasil”, acrescenta.

Na quinta-feira passada, dia 16, a empreiteira espanhola entrou com uma ação contra a brasileira também no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, requerendo que o saldo da OSX Leasing seja depositado na conta garantia da Acciona.

“A ação cumula o pedido de garantia com perdas e danos”, conta Antonelli, que espera conhecer a decisão da justiça na terça-feira.

O advogado não revela quantas ações da Acciona contra a OSX estão em tramitação no momento, mas lembra que o embate para garantir o pagamento das dívidas da companhia brasileira com a espanhola extrapola fronteiras.

“Nossa estratégia envolve países distintos e estratégias diversas, sendo certo que o efeito surpresa possibilitará atingirmos o objetivo do nosso cliente, motivo pelo qual não podemos revelar aquilo que ainda não é público”, explica ele.

A Acciona foi contratada em 2011 para realizar a engenharia, design e construção dos diques externos do porto de Açu, situado em São João da Barra (RJ). A empresa está no Brasil desde 1996, e participou de outros projetos, como as obras da rodovia federal BR-393 do Rio de Janeiro e o Rodoanel na região metropolitana de São Paulo.

FONTE: http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/pedido-de-arresto-de-bens-da-osx-leasing-inclui-acoes–2

Bloomberg: Acciona impede na justiça a recuperação judicial conjunta OGX/OSX


Por Emma Ross- Thomas & Rodrigo Orihuela

A justiça brasileira bloqueou uma tentativa de duas empresas de Eike Batista para terem seus casos de recuperação judicial consideradas conjuntamente. Esta decisão resultou de um pedido feito pela Acciona SA (ANA), segundo o que informou uma porta-voz empresa espanhola que não pode ser identificada por causa de uma política interna da empresa.

A Acciona é credora de cerca de 100 milhões de euros devidos pela OSX Brasil SA ( OSXB3 ), empresa de construção naval de Eike Batista . A decisão, noticiada hoje pelo jornal O Globo, não pôde ser imediatamente verificada nos registros na 14 ª Vara de Apelações do Rio de Janeiro.

A OGX Petróleo e Gás Participações SA ( OGXP3 ), empresa de petróleo de Batista , e a  OSX tentavam unificar seus casos de recuperação judicial para acelerar o processo,  segundo o que afirmaram duas fontees familiarizadas com o assunto  no mês passado. Eike Batista criou a OSX para fornecer navios para OGX que, no momento está lutando para produzir petróleo após cortar estimativas de reservas e devolver blocos de exploração ao governo federal. Duas das plataformas da OSX estão no Brasil, enquanto  uma terceira está ancorada na Malásia.

Sérgio Bermudes, advogado da OGX , não ofereceu nenhum comentário imediato quando contactado pela Bloomberg. Já a assessoria de imprensa da OSX não respondeu a um pedido de informação feita por correio eletrônico.

A Acciona foi contratada pela OSX , como parte da construção de seu estaleiro naval no norte do estado Rio de Janeiro. A OSX entrou com um pedido de recuperação judicial no dia 11 de novembro, e não incluiu sua unidade de leasing, através do qual a empresa é dona de três plataformas de petróleo, como parte da recuperação judicial.

“Eles (a Acciona) podem estar pedindo para que os casos executado separadamente para proteger os ativos da OSX dos credores da OGX, ” afirmou por telefone Leonardo Theon de Moraes,  advogado de um escritório especializado em processos de recuperação judicial sediado em São Paulo Mussi, Sandri & Pimenta Advogados. “Se eu fosse um advogado de detentores de obrigações ou credores da OGX, eu pediria ativos OSX para ajudar a pagar os empréstimos”, disse Leonardo Moraes.

FONTE: http://www.bloomberg.com/news/2013-12-05/osx-ogx-joint-bankruptcy-cases-blocked-by-court-acciona.html