Cláudio Tognolli, um jornalista com o ancinho e a tocha na mão

Das coisas mais desprezíveis que ocorreram no dia de ontem em função do habeas corpus concedido em favor do ex-presidente foi a divulgação pelo jornalista (jornalista?) e professor (professor??) da Escola de Comunicação da Universidade de São Paulo, Cláudio Tognolli, do número do telefone celular do desembargador Rogério Favreto via sua página oficial no Twitter [1].

favreto 1

Ainda que Tognolli tenha depois tenha apagado a veiculação do telefone do desembargador Rogério Favreto, o mal já está feito e o detentor do número divulgado, fosse o desembargador ou outra pessoa de sua família, certamente já teria ouvido ou lido centenas de mensagens de ódio e intimidação. 

tognolli

Na imagem acima, Cláudio Tognolli aparece ao lado do juiz federal Sérgio Moro.

Mas uma coisa positiva desta ação pouquíssimo ética de Cláudio Tognolli é que agora, mais do que nunca, ficou explícito que a mídia corporativa brasileira está repleta de indivíduos que não agem para difundir informação e fomentar debates sadios,  mas para fortalecer um estado de anomia social que serve apenas para impor uma agenda marcada por profundas regressões ao povo brasileiro.


[1] https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/apos-repercussao-negativa-claudio-tognolli-apaga-postagem-em-que-divulgava-celular-de-desembargador/