Relatório do Banco Mundial mostra que 33% da comida produzida no mundo é desperdiçada

Os argumentos de natureza malthusiana que indicam a superpopulação como culpada pela existência de 1 bilhão de famintos na Terra acaba de receber um duro golpe por meio de um relatório produzido pelo Banco Mundial. Segundo esse relatório, um terço da comida produzida no mundo é jogada fora ou perdida sem ser tocada pelos seus potenciais consumidores (Aqui!).

A situação de desperdício seria generalizada em países desenvolvidos como os EUA e a Inglaterra, onde as perdas financeiras com comida jogada fora alcançam valores médios em torno de R$ 3 mil anuais. Enquanto isso, as perdas nos países pobres se dariam principalmente pelas condições de beneficiamento e estocagem que seguem sendo bastante precárias.

feature_food_waste

Além disso, o mesmo relatório alerta que a situação historicamente alto dos preços dos alimentos pode ser piorada pelas mudanças climáticas que estão acarretando eventos climáticos extremos e pela alta dos combustíveis que impulsionam o modelo de agricultura da Revolução Verde.

Grupo dos 85 mais ricos do mundo tem riqueza igual à dos 3,5 bilhões mais pobres

yacht-landscape-billion-oxfam

Segundo Oxfam International, bilionários acumulam fortuna de US$ 1,7 trilhão. Às vésperas do Fórum Econômico, entidade alerta para luta contra desigualdade

RIO – O pequeno grupo das 85 pessoas mais ricas do mundo concentra a mesma riqueza que os 3,5 bilhões mais pobre do planeta, revelou nesta segunda-feira uma pesquisa da organização Oxfam International. O estudo foi divulgado às vésperas do Fórum Econômico Mundial e tem como objetivo estimular o debate sobre a desigualdade social no encontro, que ocorre a partir de quarta-feira em Davos, na Suíça.

De acordo com o relatório, o grupo de super-ricos acumula fortuna de US$ 1,7 trilhão. A entidade afirma ainda que 1% da população mundial detém quase metade da riqueza mundial: US$ 110 trilhões.

Para a Oxfam, dedicada ao combate à pobreza, o alto nível de desigualdade está relacionado à concentração de poder, que garante mais oportunidades aos mais favorecidos. A entidade cita pesquisas realizadas em seis países, inclusive o Brasil, que mostram que a maioria das pessoas acredita que as leis são distorcidas em favor dos mais ricos. Segundo o estudo, paraísos fiscais, práticas anticompetitivas e baixo investimento em serviços públicos estão entre os fatores que dificultaram uma melhor distribuição de oportunidades.

“Esta captura de oportunidades pelos ricos às custas dos pobres e da classe média ajudou a criar uma situação onde sete de dez pessoas no mundo vivem em países onde a desigualdade aumentou desde os anos 80”, afirmou a Oxfam.

Para o diretor da organização, Winnie Byanyima, que estará em Davos, a luta contra a pobreza está relacionada ao combate à desigualdade.

– O aumento da desigualdade está criando um círculo vicioso onde riqueza e poder estão cada vez mais concentrados nas mãos de poucos, deixando o resto de nós lutando por migalhas que caem da mesa – afirmou Byayima.

FONTE:  http://oglobo.globo.com/economia/grupo-dos-85-mais-ricos-do-mundo-tem-riqueza-igual-dos-35-bilhoes-mais-pobres-11355568#ixzz2rDW2jGmn