Sérgio Côrtes e sua ode à “putaria” dizem muito sobre como chegamos ao caos atual

côrtes

Enquanto cerca de 208 mil servidores públicos estaduais padecem com a ausência do pagamento de seus vencimentos, mais e mais evidências emergem de que nem a repressão policial e judicial têm servido como elementos de contenção do esbulho da coisa pública no Rio de Janeiro por parte daqueles que teriam a obrigação de impedir isso.

Isso é o que se depreende do conteúdo da matéria assinada pelo jornalista Ítalo Nogueira para o jornal Folha de São Paulo onde é descortinada a tentativa do ex-(des) secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, de controlar a delação premiada de seu ex- sub-secretário César Romero (Aqui!). 

putaria

Segundo Nogueira nos informa, Côrtes teria sintetizado essa tentativa de burlar a justiça com a singela frase “Nossas putarias têm que continuar“.  Tomada de forma prática, essa frase de Côrtes requer a imediata investigação dos principais ocupantes da secretaria estadual de Saúde do (des) governo Pezão. E isso apenas para começo de conversa, pois foi ali que Côrtes e seus compadres realizaram boa parte de suas “putarias”.

A emersão dessa declaração de Côrtes, cujo mote final é impedir que haja a correta apresentação dos seus malfeitos, também serve para nos mostrar que a crise (seletiva) que coloca o Rio de Janeiro no caos pode ser mais explicada pelas práticas e costumes do (des) governo Pezão do que pelas alegadas dificuldades de geração de receita.

Por essas e outras é que os servidores estaduais, e a população em geral é preciso que se diga, não podem aceitar passivamente que os mesmos que nos colocaram neste quadro dantesco venham impor sacríficios ainda maiores. Simples assim!

Mas que surpresa! Lava Jato carioca aponta que corrupção na saúde continua na gestão Pezão

A imagem abaixo é uma reprodução parcial de matéria publicada pelo site UOL onde a equipe da Lava Jato aponta para o fato de que a corrupção ocorrida no período do (des) governador de Sérgio Cabral ainda continua no (des) governo comandado por Luiz Fernando Pezão (Aqui!).

pezao saude

Aí é que me vem a pergunta que não quer calar: há ainda alguma alma ingênua que pensa que não? Por favor, me digam que não. É que até para a ingenuidade há limite!

Síntese do dia: mais um secretário de Sérgio Cabral preso, e servidores com risco de serem ainda mais penalizados

 

Abaixo posto mais um vídeo que produzi para o “Blog do Pedlowski” para fazer uma rápida síntese do dia de hoje.  É que começamos com a mais do que esperada prisão do ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Cortês, e podemos terminar com a aprovação pela Câmara de Deputados do PL da Maldade que deverá impor medidas draconianas aos servidores de estados falidos como é o caso do Rio de Janeiro.

Há ainda espaço para um rápido comentário sobre a visita do ainda secretário estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social, Pedro Fernandes, ao campus da Uenf no dia de ontem.

 

PF prende outro (des) secretário de Sérgio Cabral. Afinal, de quem é a culpa da crise?

O jornal “O GLOBO” está noticiando a prisão do ex (des) secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Cortês, em função de sua aludida participação num cartel de distribuidoras e fornecedoras de serviços que teria fraudado as licitações da secretaria de Saúde durante a gestão de Côrtes (2007-2013) no governo Sérgio Cabral e no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) (Aqui!Aqui! e Aqui!).

Sérgio Cortês sempre foi uma figurinha carimbada no (des) governo Cabral, pois além de ser amigo de baladas, como a famosa festa dos guardanapos em Paris, sempre existiram evidências de que sua gestão na Secretaria Estadual de Saúde não era, digamos, santa.

O interessante é notar que com a prisão de Cortês poucos (des) secretários com alguma importância no reinado do período de comando de Sérgio Cabral continuam soltos pelas ruas, incluindo o notório caso do ex (des) secretário da Casa Civil, Régis Fitchner. 

Entretanto, a despeito de todas as evidências de que uma cleptocracia foi instalada no Palácio Guanabara a partir de 2007, ainda vemos o próprio jornal O GLOBO liderando uma campanha de desinformação acerca das raízes da crise financeira que assola o Rio de Janeiro, pois a culpa ainda continua sendo colocada sobre os salários e aposentadorias dos servidores estaduais.

É preciso que os sindicatos que representam os servidores aproveitem as prisões da manhã de hoje para iniciar uma campanha para deixar ainda mais claro quem colocou o Rio de Janeiro na condição lamentável em que se encontra. Afinal, não vai ser apenas com a prisão desses figurões que a coisa vai se resolver.

Nova delação contra Sérgio Cabral (que também inclui Sérgio Cortês e Regis Fitchner) sugere pagamento de R$ 1 bilhão em propinas

picciani-pezao

O site UOL repercutiu uma matéria produzida pelo “ESTADÃO” que aponta que mais uma delação envolvendo o ex (des) governador Sérgio Cabral sugere que pagamentos de propinas envolvendo desvios na área da Saúde sugerem o pagamento do astronômico valor de R$ 1 bilhão (Aqui!).

juca-bala

O denunciante é o doleiro brasileiro Vinicius Claret que operava no Uruguai e possui o sugestivo apelido de “Juca Bala”.  A curiosidade nessa delação é que “Juca Bala” teria entrado no circuito operado por Sérgio Cabral quando outros dois doleiros, os irmãos Renato e Marcelo Chebar não conseguiram dar vazão ao montante sendo lavado e resolveram pedir uma ajuda no Uruguai.

Mas a grande novidade nessa delação é o envolvimento de dois ex (des) secretários de Sérgo Cabral, Sérgio Cortês e Régis Fitchner, que até então estavam razoavelmente livres de citações diretas nas delações já conhecidas. Além disso, como pelo menos parte desses valores teriam sido obtidos com negociatas em licitações na área da Saúde,  Sérgio Cortês deverá entrar num inevitável processo de tensionamento nas próximas semanas.

Não custa nada lembrar que tanto Sérgio Cortês como Régis Fitchner estavam presentes nas festividades promovidas por Sérgio Cabral em Paris no caso que ficou celebrizado como a “Gangue dos Guardanapos”. 

guardanapos-1

A pergunta que já ficou até banal diante de tantas delações: quanto terá sido o valor total da pilhagem cometida pélo esquema comandado por Sérgio Cabral? Pelo que se vê apenas por esta delação, na casa dos bilhões.  

E mesmo assim ainda tem gente que quer culpar os servidores estaduais pelo estado calamitoso em que o Rio de Janeiro se encontra?  Por favor!

 

Queda de Sérgio Cortes abre temporada de “abandona barca” do (des) governo de Sérgio Cabral

cortes

Como já havia sido anunciado pelo próprio Sérgio Cortes, o (des) governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral anunciou a exoneração de seu (des) secretário de Saúde e parceiro de noitadas em Paris. A saída de Cortes, logo após a condenação que sofreu por causa do uso ilegal de verbas em publicidade, deve ser aquele momento de abandono do navio que já vem se desenhando desde as manifestações de junho de 2013.

Agora resta saber quem vão ser os próximos a pular da barca de Cabral que poderá acabar na miserável condição de concorrer a deputado federal para poder desfrutar de fórum privilegiado nos muitos processos que se desenham no seu horizonte político.

Sérgio Côrtes é condenado por uso indevido de verba da saúde

De saída, secretário de Saúde no Rio é condenado por desvio de verba

DO RIO

O secretário de Saúde do Rio, Sérgio Côrtes, e o subsecretário de Comunicação Social, Ricardo Cota, foram condenados por uso de verba da saúde em publicidade institucional, em 2009. A Justiça considerou a prática desvio de finalidade de recurso carimbado.

Os dois terão que restituir os cofres públicos em valor a ser apurado. A Secretaria de Saúde repassou R$ 10,15 milhões à subsecretaria para uso em publicidade institucional. A Justiça proibiu ainda novas descentralizações –como é chamado na burocracia pública o repasse– de verbas da saúde.

A condenação é fruto de ação popular movida pelo presidente do Sindicato dos Médicos, Jorge Darze. Além do desvio de finalidade, a juíza Simone Lopes da Costa considerou irregular o uso da verba sem consulta ao Conselho de Saúde.

“Inadmissível a utilização de verba claramente vinculada a saúde para propaganda institucional. Ainda que a verba não fosse vinculada, configuraria desvio de finalidade utilizar tal verba com publicidade em detrimento do serviço direto de saúde, diante do sem número de ações de improbidade questionando a ausência de leitos, tratamentos hospitalares dentre outros, sem mencionar as ações distribuídas por particulares que visam a obtenção de medicamentos”, escreveu ela na sentença, de 5 de dezembro.

A Secretaria de Saúde afirmou a descentralização de recursos é praxe na administração, e ocorreu em todos os anos. De acordo com a pasta, a verba é usada para “realização de, por exemplo, eventos científicos, seminários, campanhas de conscientização e prevenção”.

“A mais importante delas é a campanha 10 Minutos Contra Dengue, que foi responsável por fazer o Rio de Janeiro reduzir em 70% os óbitos por dengue. As ações feitas pela Comunicação Social, com os recursos FES, foram responsáveis por aumentar o número de doadores do órgãos”, diz a nota. A Subsecretaria de Comunicação Social afirmou, em nota, que vai recorrer da sentença.

SAÍDA

Condenado, Côrtes anunciou sua saída do cargo, após sete anos a frente da pasta. Ele deixará a secretaria em 31 de dezembro, e vai estudar na Universidade de Harvard e no MIT (Massachusetts Institute of Technology).

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/12/1387295-de-saida-secretario-de-saude-no-rio-e-condenado-por-desvio-de-verba.shtml