Rafael Diniz vai reabrir os shopping centers: se não quiser contrair COVID-19 fique em casa

cemiterio

Acabo de ler no Portal Viu que o jovem prefeito Rafael Diniz (Cidadania) e seus menudos neoliberais resolveram escancarar as portas do comércio local, autorizando inclusive a reabertura de shopping centers.  Essa é uma decisão lamentável em vista dos valores altos de contaminação e óbitos que persistem em Campos dos Goytacazes.

Falo isto com base no fato de que outras cidades que reabriram shopping centers tiveram aumentos exponenciais nas taxas de contaminação e de óbitos por COVID-19. Essa reabertura consiste em ceder aos necrocomerciantes que querem empurrar seus produtos, a maioria deles supérfluos e desnecessários para a sobrevivência humana em meio a uma pandemia letal que todos os dias estão tirando para sempre do convívio coletivo pessoas que certamente teriam tido suas vidas poupadas se um isolamento social efetivo tivesse sido adotado.

Por mais tentador para alguns voltar aos shoppings só para caminhar em um ambiente hermético e com aparência de limpo, todos os que prezarem suas vidas e dos seus familiares deveriam desprezar essa autorização do prefeito Rafael Diniz e continuar em casa, deixando os shoppings centers às moscas.  É que não há como garantir que o coronavírus não vá a começar a circular com força nesses espaços fechados e com atmosferas climatizadas, justamente as condições ideais para a propagação desse vírus letal.

O mais lamentável é notar que, em meio à pandemia da COVID-19, da necropolítica emerge agora o necrocomércio.  Mas se dependerem do meu dinheiro, esses que colocam o lucro acima da vida irão falir. Já o destino de Rafael Diniz terá em breve o seu mandato lamentável encerrado pelo voto popular. Simples assim.

Santa Catarina deu o pontapé para virar o novo epicentro da pandemia da COVID-19 no Brasil

Qualquer semelhança com o naufrágio do Titanic não será coincidência

SANTA

A reabertura do comércio (shoppings centers inclusos) em Santa Catarina está gerando a afluência de pessoas de todas as faixas etárias (como mostra o vídeo abaixo mostrando a abertura de um shopping na cidade de Blumenau) que saem à procura de sabe-se lá o que para comprar, levando idosos e crianças a uma mistura nada recomendável para um período de pandemia em progressão.

Dado tudo o que eu já estudei sobre as formas de disseminação do coronavírus, especialmente em áreas de aglomeração, não fica difícil fazer o prognóstico de que o estado, incluindo a capital Florianópolis, estará nos noticiários nas próximas semanas na condição do próximo epicentro da pandemia da COVID-19 no Brasil. Lembro que no momento, existem ao menos quatro epicentros (São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas e Ceará), o que é uma das características da propagação espacial do coronavírus.

A pressão pelo consumo é uma das ferramentas mais poderosas que o Capitalismo possui sobre as pessoas, e evidentemente é dessa condição que deriva a necessidade de que os governantes ajam com a devida responsabilidade. Mas, lamentavelmente, a começar pelo presidente Jair Bolsonaro, não é isto o que está ocorrendo.

Assim, não é à toa, que mesmo com a óbvia subnotificação que está ocorrendo, o Brasil já é o 11o. colocado tanto no número de infecções como no de mortes causadas pelo coronavírus.  

Finalmente, sou só eu que fico com a impressão de que o pessoal entrando nesse shopping em Camboriú poderia bem estar na condição de passageiros do Titanic no dia em que ele afundou? Primeiro, a música, e depois, o naufrágio.