Mais uma barriga: a comunidade científica campista não subiu no palanque de Caio Vianna

Li com alguma curiosidade a nota publicada por Aldir Sales [Aqui! ] dando conta da presença do deputado estadual Waldeck Carneiro no palanque eleitoral do candidato Caio Vianna (PDT) na noite de ontem (25/11). É que segundo essa nota, a presença do reitor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Raul Palácio, e de uma representante do Diretório Central de Estudantes da Uenf no mesmo palanque eleitoral representaria uma pretensa subida no palanque de Caio Vianna (ver imagem abaixo).

1_waldeck-1702536

Sem querer me ater muito à oportunidade de um reitor de universidade pública subir em palanque eleitoral, o mesmo valendo para uma sindicalista estudantil, é uma barriga jornalística (para não dizer uma fake news) que a comunidade científica campista tenha subido no palanque de quem quer que seja na atual campanha eleitoral. Isto não quer dizer que pesquisadores e docentes não tenham colaborado individualmente para a confecção de programas ou votado neste ou naquele candidato, mas daí dizer que todo o coletivo de pesquisadores esteve ontem no palanque de Caio Vianna é, no mínimo, um exercício de “wishful thinking” (ou melhor de um pensamento desejoso).

Eu particularmente lamento que nenhum dos dois candidatos que estão no segundo turno tenha tomado a iniciativa de convidar a tal “comunidade científica” aludida por Aldir Sales para uma reunião aberta a todos os interessados. É que assim se poderia ter discutido francamente toda as potencialidades existentes nas instituições de ensino superior sediadas na cidade de Campos dos Goytacazes. Nesta conversa franca se poderia ter debatido as melhores opções para a construção das saídas que o nosso município tão urgentemente necessita após quatro anos de destruição da capacidade do governo municipal de se posicionar como um agente de transformação da nossa realidade social e econômica. Resta apenas agora desejar que o vencedor passe a agir concretamente para firmar parcerias e financiar projetos de pesquisa que gerem a necessária alavancagem para sairmos da crise em que nos encontramos.

Sobre a presença do deputado estadual Waldeck Carneiro no palanque de Caio Vianna após o diretório municipal do PT ter definido uma posição de neutralidade eu só tenho a lamentar. É que tendo o PT conseguido sair da obscuridade em que se encontrava a partir da militância aguerrida da professora Odisséia Carvalho, o mínimo que qualquer deputado do PT deveria fazer, em nome do fortalecimento do partido em Campos dos Goytacazes, seria respeitar as instâncias municipais que se decidiram democraticamente pela neutralidade no segundo turno.  Depois ainda tem militante do PT que reclama que outras forças de esquerda tenham conseguido ocupar mais espaço político, traduzido em um número maior de votos, e avançando mais do que o seu partido no esforço de construção partidária no atual ciclo eleitoral. É por esse tipo de intromissão de cima para baixo que eu, apesar de ser um dos primeiros filiados do PT no estado do Rio de Janeiro, decidi me desfiliar já em 1997 quando voltei ao Brasil. 

Na surdina governo Witzel quer tirar recursos das universidades estaduais para suposta aplicação no combate ao coronavírus

cheque uerjSob argumento de financiar combate ao coronavírus, governo Witzel quer passar a tesoura no orçamento das universidades estaduais.

Além de não cumprir a lei no tocante ao pagamento dos duodécimos das universidades estaduais, o governo Witzel parece estar agora se movendo para retirar dinheiro dos orçamentos aprovados para estas instituições sob o argumento de financiar o combate ao coronavírus em território fluminense.

A situação assume contorno sérios, pois além de ferir o que foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) para garantir o funcionamento das universidades, esse movimento retiraria recursos fundamentais para pesquisas em andamento  não apenas sobre o COVID-19, mas também sobre outras doenças com contornos epidêmicos como são os casos da dengue, da zika e da chikungunya. 

Na verdade para ser coerente com seu discurso de compromisso de combater a disseminação exponencial do coronavírus, o governador Wilzon Witzel deveria já ter criado um gabinete de crise com os principais pesquisadores existentes em todas as instituições de pesquisa existentes no Rio de Janeiro para definir estratégias de contenção da difusão da COVID-19.

Fui informado que uma audiência especial  deverá ser realizada na próxima segunda-feira (13/04)  pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Alerj, presidida pelo deputado Waldeck Carneiro (PT), para discutir mais essa grave ameaça sobre a saúde financeira das universidades estaduais do Rio de Janeiro.

Desde já é urgente que se enviem correspondências para o deputado Waldeck Carneiro (waldeckcarneiro@alerj.rj.gov.br) exigindo a publicização desse audiência e a tomada de uma posição firme contra essa intenção do governo Witzel que retirará recursos justamente das instituições que possuem a capacidade instalada de gerar as respostas científicas que a sociedade fluminense demanda neste momento.

Notícias da Aduenf: Em debate na UENF, deputados indicam que a aprovação da PEC 47 demandará mobilização nas ruas

Em debate realizado na UENF, deputados apontam para necessidade de mobilizar nas ruas o apoio à PEC 47


Em um debate realizado no mini auditório do Centro de Ciências do Homem da UENF, e que contou com a presença dos deputados do PT/RJ, Waldeck Carneiro (estadual)  e Wadih Damous (federal), de representantes da ADUENF, SINTUPERJ/UENF e do DCE/UENF, e do reitor Luís Passoni, a maioria das falas girou em torno da necessidade de se garantir a aprovação da PEC 47 que poderá permitir que as universidades estaduais possam efetivamente utilizar os recursos aprovados pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Em suas falas os deputados Waldeck Carneiro e Wadih Damous fizeram questão de enfatizar a necessidade de que sejam realizadas mobilizações de rua para garantir a aprovação desta e outras questões fundamentais para sobrevivência do serviço público em todos os níveis de governo.

A fala dos dois deputados mostraram uma grave preocupação acerca do ataque em curso contra uma série de garantias constitucionais, a começar pelo financiamento da educação pública superior. Para o deputado estadual Waldeck Carneiro, a ausência de qualquer tipo de ação para garantir novas receitas para o tesouro fluminense irá exacerbar as graves dificuldades pelo qual o serviço público e a população já sentem neste momento.  Já o deputado federal Wadih Damous apontou para o fato de que no Rio de Janeiro se encontram as expressões mais avançadas das políticas ultraneoliberais que estão gestadas pelo governo do presidente Michel Temer.

Ambos os deputados enfatizaram a necessidade de que haja forte mobilização para impedir o processo de destruição do serviço público, em especial das universidades públicas, especialmente as do Rio de Janeiro.

A ADUENF aproveitou o evento para entregar um ofício ao deputado Wadih Damous solicitando a imediata retirada de pauta da PEC 366/2017 apresentada pelo deputado Andrés Sanchez do PT/SP que visa estabelecer a cobrança de mensalidades nas universidades públicas brasileiras.

FONTE: http://aduenf.blogspot.com.br/2017/11/em-debate-realizado-na-uenf-deputados.html