Desaparecimento de insetos sinaliza para apocalipse ecológico na Europa

O jornal britânico “The Guardian” publicou hoje um artigo assinado pelo editor de ciência do “Observer”,  Robin McKie, tratando do desaparecimento de diferentes espécies de insetos nas ilhas britânicas, no que parece ser a sinalização de que há um apocalipse ecológico ocorrendo debaixo de nossos narizes, na medida em que espécie antes abundantes estão com suas populações em franca diminuição [1].

apocalipse ecológico

As estatísticas apresentadas por McKie são particularmente sombrias. Segundo ele, populações nativas de joaninhas estão caindo; três quartos de espécies de borboletas – como a dama pintada e a borboleta de Glanville – caíram significativamente em números; enquanto as abelhas, das quais existem mais de 250 espécies no Reino Unido, também estão sofrendo grandes quedas em suas populações, com grandes abelhões amarelos, abelhas solitárias de ceramistas e outras espécies declinando acentuadamente nos últimos anos. Outros insetos ameaçados incluem a cigarra New Forest, o besouro bronzeado e o besouro de óleo.  

Quanto às mariposas, os dados são particularmente alarmantes. A mariposa tigre, que já foi difundida no Reino Unido, registrou uma queda de 99% nos seus números entre 1968 e 2007 e agora está ameaçada de extinção, um destino que também já se abateu sobre outras espécies nas últimas décadas.

Tansy beetle 2.png

Um besouro bronzeado repousa sobre uma folha.

Este apocalipse dos insetos seria o resultado do impacto múltiplo dos impactos ambientais: poluição, mudanças de habitat, uso excessivo de agrotóxicos e aquecimento global. 

McKie sinaliza que este declínio na população de insetos poderá ter consequências cruciais no futuro da humanidade.  É que apesar de muitos insetos terem uma aparência inquietante,  eles estão colocadas na base da cadeia alimentar da vida selvagem, fato que os torna de vital importância para a composição e a natureza das áreas agrícolas.

Interessante notar que esse apocalipse ecológico já vem sendo sinalizado também com o desaparecimento de comunidades de aves que até recentemente possuíam populações consideráveis no continente europeu.

Somados os problemas com a diminuição das populações de insetos e aves sinalizam que as coisas não vão nada bem no tocante à manutenção da biodiversidade e, por extensão, dos sistemas produtivos agrícolas que, curiosamente, podem estar entre os principais vilões por essa hecatombe ecológica.


[1] https://www.theguardian.com/environment/2018/jun/17/where-have-insects-gone-climate-change-population-decline

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s