Partido Novo apaga texto onde fala que professores recebem muitos direitos

Não demorou para que o Partido Novo, sempre adepto de práticas antigas, demonstrasse a fragilidade de seu programa de governo que peca em ter coragem de enfrentar os problemas reais do país e se resume em apoiar-se escorar na iniciativa privada.

 

Por Cleber Lourenço

Não demorou para que o Partido Novo, sempre adepto de práticas antigas, demonstrasse a fragilidade de sua linha de pensamento e também daqueles que o apoiam que peca em ter coragem de enfrentar os problemas reais do país e se resume em escorar-se na iniciativa privada.

Em resumo, um texto com a mesma semelhança de um folhetim de supermercado, cheio de produtos, neste caso os serviços públicos.

Em 16 de março a página oficial do partido trazia o texto: “COMO TER UM ENSINO BÁSICO DE QUALIDADE NO BRASIL?” (clique aqui para ver o arquivo em cache).

Que seguia a risca a cartilha neoliberal famosa em nunca propor soluções concretas que não sejam lotear a soberania nacional e vender para a iniciativa privada, permaneceu durante meses no ar até ser recentemente redescoberto por internautas que criticaram o texto que basicamente colocava a culpa dos problemas da educação brasileira na conta dos professores do Brasil.

O texto escrito por André Capela, diretor da fundação Lemmanm, uma organização sem fins lucrativos brasileira criada em 2002 pelo empresário Jorge Paulo Lemann e atuante na área da educação no Brasil trás trechos como:

…Gostemos ou não, a educação pública básica brasileira encontra-se em situação de falência em decorrência de um sistema de ensino que oferece muitos direitos aos professores…

E ainda justifica que esses benefícios seriam uma espécie compensação do estado brasileiro pelos baixos salários.

E ainda propõe de maneira pueril, resolver os problemas de a médio prazo com a distribuição de vouchers que dariam a opção dos brasileiros escolher uma escola particular para matricular seu filho. Demonstrando total falta de conhecimento com as questões sociais do país uma vez que diversos especialistas e estudos mostram uma gradual queda da qualidade de ensino também nas instituições privadas.

novo 3

Ainda segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2016 rede privada apresentou mais quedas no índice que mede a qualidade do ensino médio do que a rede pública, se somarmos isso ao fato de que o país ainda abriga governantes como Geraldo Alckmin e Beto Richa que reagem com extrema-violência contra opositores de eventuais fechamentos temas a seguinte conclusão:

Trocar centenas de alunos de uma escola pública para uma privada irá apenas mudar de lugar o problema, sem políticas sociais para inclusão de jovens, sem o devido acompanhamento de crianças e adolescentes em situações risco o problema permanecerá o mesmo.

A justificativa de apoiadores do candidato João Amoedo é de que todos que apoiam o partido podem publicar no blog oficial e que está especificado no final do texto que nem sempre eles podem representar a opinião do partido. Porém achamos muito difícil um texto passar assim sem uma verificação do partido, afinal de contas o que impede então alguém de postar algo defendendo Karl Marx ou até mesmo uma publicação contra o candidato para o planalto do próprio partido?

Na página em cache ainda é possível ver alguns comentários criticando e questionando a fragilidade e a forma leviana como a educação no Brasil foi tratada.

Agora basta saber se o Partido Novo (com políticas velhas) percebeu a besteira que falou ou se simplesmente ficou com vergonha de suas convicções.

FONTE: https://acoluna.co/partido-novo-apaga-texto-onde-fala-que-professores-recebem-muitos-direitos/?amp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s