Mais desmatamento significa cerveja mais cara

A Anbev avisa: Se a destruição da floresta amazônica continuar, o preço da cerveja vai subir

fogo amazoniaA Anbev chama atenção para destruição da floresta amazônica com um novo tipo de cerveja

BERLIN taz | Se a floresta estivesse indo bem, a cerveja também sairia barata, pelo menos no Brasil. Lá, o grupo cervejeiro Anbev quer chamar a atenção para a destruição contínua da floresta amazônica com a nova cerveja do tipo “Colorado Amazonas”.

coorado

O especial sobre isso: o preço da garrafa cai quando a destruição da floresta amazônica diminui e aumenta quando a tendência é negativa. Segundo a Anbev, o dinheiro com a venda da cerveja vai exclusivamente para comunidades, moradores e pequenos proprietários do Parque Nacional da Amazônia, no estado do Pará.

A cerveja só é vendida online em uma lata de 310 mililitros. O preço inicial era de 5,49 reais, o equivalente a 90 centavos de euro. Um novo preço é calculado a cada semana. Isso se baseia no desenvolvimento do desmatamento na área de floresta tropical nas últimas quatro semanas em comparação com o mesmo período do ano anterior. Hoje isso é um péssimo negócio para os bebedores de cerveja – e para a floresta tropical: uma semana depois do início, a cerveja já estava em 8,01 reais, quase o dobro do preço de lançamento.

No Brasil, há uma pressão crescente de empresas e investidores sobre o presidente Jair Bolsonaro para agir contra a destruição da floresta amazônica em vez de favorecê-la. Em 2019, o primeiro ano de Bolsonaro no cargo, a destruição da floresta aumentou em mais de 85% – uma área com quase metade do tamanho de Hesse desapareceu. Graves incêndios florestais na floresta amazônica chegaram às manchetes em todo o mundo no verão passado. Especialistas acreditam que a maioria dos incêndios na região amazônica foi iniciada por humanos, como fazendeiros que cortaram e queimaram. Os fortes ventos fizeram com que muitos incêndios saíssem do controle.

O coronavírus empurra a floresta tropical para o segundo plano

Este ano, a situação é ainda mais dramática, mas ficou em segundo plano devido à pandemia do coronavírus. Imagens de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), por exemplo, mostram como enormes nuvens de fumaça estão escurecendo atualmente os céus dos estados do sul e sudoeste do Brasil. Manaus, a capital do estado do Amazonas, também é coberta por uma enorme nuvem de fumaça que dificulta a respiração dos seus habitantes.

Em comparação ao drástico ano anterior, de acordo com os dados atuais, a destruição de florestas diminuiu, mas em agosto 6.086 quilômetros quadrados de floresta desapareceram – isso é mais do que em todo o ano de 2018. Se a Anbev mantiver seus preços para o “Colorado Amazonas”, ele logo se tornará um bem de luxo tornar-se. A Anbev é subsidiária da belga Anheuser-Busch Inbev, grupo cervejeiro com as maiores vendas do mundo, que na Alemanha vende Beck’s, Franziskaner e Hasseröder, entre outras marcas.

fecho

Este texto foi escrito originalmente em alemão e publicado pelo jornal TAZ [Aqui!].

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s