Estudo mostra que mudança climática tornou chuva extrema mais provável em toda a Europa Ocidental

germany-AdobeStock_408782721

Chuvas fortes que levaram a graves inundações na Europa Ocidental, tornadas mais prováveis ​​pelas mudanças climática

As chuvas extremas que caíram sobre Alemanha, Bélgica, Holanda e Luxemburgo de 12 a 15 de julho deste ano se tornaram de 1,2 a 9 vezes mais prováveis de ocorrer em qualquer área da Europa Ocidental devido às mudanças climáticas. A conclusão é de um novo estudo rápido de atribuição do grupo World Weather Attribution, divulgado nesta terça-feira (24) na Europa. A equipe internacional com 39 cientistas climáticos também constatou que as chuvas na região são agora entre 3-19% mais fortes devido ao aquecimento causado pelo Homem.

Os resultados reforçam as conclusões do relatório recém-divulgado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que afirmou que agora há provas inequívocas de que os seres humanos estão aquecendo o clima do planeta e que a mudança climática causada pelo homem é o principal motor por trás das mudanças nos eventos extremos. O relatório concluiu que, à medida que as temperaturas aumentam, a Europa Ocidental e Central estará exposta a chuvas extremas e enchentes cada vez maiores.

“Este evento mostra claramente como as sociedades não são resilientes aos extremos climáticos atuais”, avalia Hayley Fowler, professor da Universidade de Newcastle. “Devemos reduzir as emissões de gases de efeito estufa o mais rápido possível, bem como melhorar os sistemas de alerta e gestão de emergência e tornar nossa infraestrutura ‘resistente ao clima’.”

Para Friederike Otto, Diretor Associado do Instituto de Mudanças Ambientais da Universidade de Oxford, as inundações mostraram que mesmo os países desenvolvidos não estão a salvo. “Este é um desafio global urgente e precisamos nos apressar a enfrentá-lo. A ciência é clara e tem sido assim há anos”.

“Os enormes custos humanos e econômicos dessas enchentes são um lembrete forte de que os países ao redor do mundo precisam se preparar e reduzir as emissões de gases de efeito estufa antes que tais eventos fiquem ainda mais fora de controle”, diz Maarten van Aalst, diretor do Centro Climático da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho, além de professor da Universidade de Twente.

Mais emissões, mais eventos extremos

Figura: Esquerda – precipitação acumulada em dois dias (acumulação de 48h de 13 de julho às 00:00 UTC – 15 de julho de 2021, 00:00 UTC). Direita – Precipitação acumulada ao longo de 24 horas para cada um dos dias individuais do evento de precipitação extrema.

Em um único dia, mais de 90 mm de chuvas caíram na região dos rios Ahr e Erft na Alemanha, muito mais do que os registros anteriores. As enchentes mataram pelo menos 220 pessoas na Bélgica e na Alemanha.

Os cientistas analisaram registros meteorológicos e simulações computadorizadas para comparar o clima de hoje (cerca de 1,2°C mais quente desde o final do século XIX) com o clima do passado. Inicialmente, o estudo se concentrou em duas áreas particularmente afetadas: a região Ahr e Erft da Alemanha, onde, em média, 93 mm caíram em um dia, e a região Meuse belga, onde 106 mm caíram em dois dias. Os cientistas analisaram a precipitação em vez dos níveis do rio porque algumas estações de medição foram destruídas pelas enchentes.

Os pesquisadores encontraram uma grande variabilidade anual nestes padrões de precipitação muito locais. Por isso, a equipe calculou a influência da mudança climática em uma região mais ampla: qualquer lugar em uma área maior da Europa Ocidental, incluindo o leste da França, oeste da Alemanha, leste da Bélgica, Holanda, Luxemburgo e norte da Suíça.

“É difícil analisar a influência da mudança climática nas chuvas fortes em níveis muito locais, mas pudemos mostrar que, na Europa Ocidental, as emissões de gases de efeito estufa tornaram eventos como estes mais prováveis”, disse Sjoukje Philip, pesquisadora climática do Instituto Real Holandês de Meteorologia (KNMI).

“As autoridades locais e nacionais da Europa Ocidental precisam estar cientes dos riscos crescentes de precipitação extrema para estarem mais bem preparadas para potenciais eventos futuros”, afirma Frank Kreienkamp, Chefe do Escritório Regional de Clima do serviço meteorológico alemão.

Estudo sintetiza descobertas científicas

O estudo “Rapid attribution of heavy rainfall events leading to the severe flooding in Western Europe June 2021”, será publicado aqui 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s