Rio de Janeiro em crise? Nada que atrapalhe os negócios do Bradesco

bradesco 0

O blog Transparência RJ trouxe à luz nesta 3a. feira um daqueles “negócios da China” que continuam acontecendo todos os dias no Rio de Janeiro, desta vez envolvendo o banco Bradesco (Aqui!). 

É que segundo apurou o Transparência RJ,o  Bradesco receberá R$ 250 milhões do (des) governo do Rio de Janeiro pelo processamento da folha de pagamento do funcionalismo fluminense por apenas um ano (ver abaixo extrato da publicação no Diário Oficial do  dia 17/08)

bradesco 1

Outro aspecto peculiar que foi ressaltado pelo Transparência RJ se refere ao fato de que o contrato entre o estado do Rio de Janeiro e o Bradesco já está no quinto termo aditivo mas que, porém, não foi encontrado o histórico anterior nem o próprio contrato no Portal de Transparência mantido pela Secretaria Estadual de Fazenda. 

Em relação aos valores que o Bradesco já faturou com um serviço que mantem os servidores do Rio de Janeiro atrelados à instituição, isto não foi, tampouco, possível apurar. Enquanto isso os hospitais, escolas e universidades continuam completamente abandonados em situações cada vez mais degradadas.

O fato é que a crise do Rio de Janeiro é seletiva, mas muito seletiva!

Brasil 247:Olimpíada gera isenção fiscal de R$ 3,8 bilhões para 780 empresas

jogos

Lei assinada pela presidente eleita Dilma Rousseff em 2013 concede isenção de impostos para um total de 780 empresas envolvidas nos jogos olímpicos da Rio 2016; entre elas estão o Comitê Olímpico Internacional (COI), a Globo, a Odebrecht, o Bradesco, a Coca-Cola e a Nike. É uma exigência do COI ao país-sede, compromisso firmado na candidatura do país, e praxe em outras edições; no Brasil, o total previsto é de R$ 3,8 bilhões

247 – Uma lei assinada pela presidente eleita Dilma Rousseff em 2013 concede isenção de impostos para um total de 780 empresas envolvidas nos jogos olímpicos da Rio 2016. 

Entre elas estão o Comitê Olímpico Internacional (COI), a Globo, a Odebrecht, o Bradesco, a Coca-Cola e a Nike. É uma exigência do COI ao país-sede, compromisso firmado na candidatura do país, e praxe em outras edições. No Brasil, o total previsto é de R$ 3,8 bilhões.

“A Lei tem o propósito de criar incentivos fiscais para o comitê organizador. Isso é nos moldes da Copa do Mundo para desonerar custos da realização”, informou o comitê ao blog do jornalista Rodrigo Mattos. “O Rio-2016 requer as habilitações. Só as empresas que estão com regularidade fiscal que podem ser incluídas, e só em notas para pagamento do Rio-2016.”

As isenções se restringem aos serviços ou produtos usados pelas empresas ou entidades para os Jogos, no período de janeiro de 2013 e 2017. Cada empresa passa a ter o direito a não pagar os impostos a partir do momento em que a Receita a inclui na lista. No caso das empresas nacionais, elas não precisam pagar nenhum imposto de importação para produtos ou serviços vindos do exterior. Também não pagam IPI de produtos adquiridos no país para realizar os Jogos, nem têm de quitar PIS/Pasep e Cofins por serviços contratados. Firmas vinculadas ao COI não têm de pagar nem imposto de renda.

A Globo Comunicações foi incluída na lista da Receita em maio de 2015 como prestadora de serviços e transmissora oficial do evento. O pagamento da importação de equipamentos também está isento. A emissora disse que ganhos com publicidade não estão livres de impostos. Com cotas de R$ 255 milhões, a Globo ganhará R$ 1,5 bilhão só em propaganda direta com os Jogos. “O valor da desoneração das emissoras é pequeno em relação ao total da isenção prevista em lei”, disse a assessoria.

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/economia/244945/Olimp%C3%ADada-gera-isen%C3%A7%C3%A3o-fiscal-de-R$-38-bilh%C3%B5es-para-780-empresas.htm

Do Face ao Blog: Pezão, Bradesco e a “democracia”

bradesco

Por Álvaro Nascimento

Então é assim que funciona?
1. Pezão não paga os salários dos servidores;
2. O Bradesco põe anúncio de página inteira no jornal oferecendo crédito consignado “ao servidor público do Estado do Rio de Janeiro”, a juros que conhecemos bem;
3. Nas próximas eleições o mesmo Bradesco contribui com alguns milhões para a campanha do mesmo Pezão.

E o socialismo é que é perverso???!!!!!! Sei.

FONTE:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=600981883386445&set=a.407718959379406.1073741826.100004239160894&type=3&theater

(Des) governo Pezão continua brincando com a paciência dos servidores

As últimas 24 horas expressam uma completa desorganização do (des) governo estadual do Rio de Janeiro no que se refere ao pagamento do décimo-terceiro salário dos servidores referente a 2015, bem como o pagamento de pensionistas e os salários de dezembro para frente.

Uma demonstração desse aparente caos interno são as duas notas vindas do blog do jornalista Fernando Molica do jornal  O DIA que aparecem logo abaixo.

molica 1 molica 2

A primeira nota aponta para um giro de 180 graus na decisão de parcelar o pagamento do décimo terceiro salário de 2015  a partir de um empréstimo bancário que seria fornecido pelo Bradesco a sabe-se lá qual custo. De quebra, a mesma Assembleia Legislativa que aprovou recentemente o pagamento de dívidas da Supervia (leia-se Odebrecht) junto à Light, também terá de aprovar a improvisação cara que  foi engendrada pelo (des) governador Pezão e sua equipe de notáveis.

Já a segunda nota aparece a informação de que em 2016 o pagamentos dos salários se dará no sétimo dia útil de cada mês, o que empurrará o pagamento do mês de Dezembro para o dia 12 de janeiro de 2016!

Tamanha falta de respeito aos servidores é agravada pela prática das bilionárias isenções fiscais que têm sido executadas por este (des) governo sem que haja qualquer retorno palpável ao tesouro estadual, agravando uma crise que já ocorreria por causa da queda do valor do petróleo.

Agora resta ver como se comportarão os servidores estaduais e seus sindicatos ao longo de 2016. É que tudo indica que essa situação caótica pode ser apenas um ensaio tímido do que ainda está sendo preparado para o ano que começa em 15 dias.