Comissão de Educação da ALERJ visita campus da UENF e ouve reclamações da comunidade universitária

Após uma semana de mobilizações, inclusive uma que contou a participação dos estudantes da Uenf na cidade do Rio de Janeiro, a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro esteve na sede social da Associação de  Docentes (Aduenf) para um encontro político com a comunidade universitária. Além do presidente da Comissão Educação, o deputado Comte Bittencourt (PPS), estiveram presentes os deputados Flávio Serafini (PSOL) e Dr. Julianelli (PSOL). 

Durante a sua fala, o deputado estadual Flavio Serafini (PSOL) criticou a opção do governo Pezão pelas tercerizações e corte de verbas no ensino superior estadual. Para Serafini, é essa política que causa o atraso no pagamentos, a  diminuição da bolsa dos cotistas para 300 reais e desrespeito à data-base dos técnicos e professores. Serafini lembrou ainda que o (des) governo Pezão tem margem no orçamento para aumentar em 50% o gasto com o funcionalismo. Isso, ao lado do respeito aos 6% para as universidades estaduais, seria possível sair da atual cris, acrescentou o parlamentar do PSOL.

Um momento desconfortável para a reitoria da Uenf em sua eterna submissão ao (des) governo do Rio de Janeiro se deu quando o vice-reitor Edson Corrêa afirmou que, apesar de todos os problemas a Uenf estava limpa e bem cuidada. Nesse momento, o presidente da Comissão de Educação, Comte Bittencourt (PPS) afirmou que de anda adianta a Uenf estar com boa aparência, se os estudantes estão sofrendo com o atraso crônico no pagamento de suas bolsas!

O saldo político dessa reunião foi importante, na medida em que a partir dessa visita outras ações deverão ser coordenadas pelos sindicatos da Uenf, e agora com o conhecimento de causa do comando da Comissão de Educação da Alerj.

Por último, um fato notado foi a ausência do reitor da Uenf, Silvério Freitas, nesse evento político. Aliás, não foi só ali que o reitor não apareceu nos últimos meses, deixando a impressão de que o timoneiro já abandonou a nau desgovernada.

 IMG-20150522-WA0001 IMG-20150522-WA0000IMG-20150522-WA0002

O Diário faz matéria sobre aula pública e crise das bolsas na UENF

Protestos contra atraso de bolsas na UENF em novo ato,

Sheila Leal
Clique na foto para ampliá-la
Mobilizados contra atraso no pagamento das bolsas pelo Estado, os alunos se concentraram na Praça São Salvador

Redação com ABr

No quinto dia seguido de manifestações contra o atraso de três meses no pagamento das bolsas universitárias, alunos da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) se reuniram no final da tarde desta sexta-feira (15), na Praça do Santíssimo Salvador, Centro de Campos, para uma aula pública. Os temas foram a atual conjuntura política e a importância do movimento, com críticas ao governador Luiz Fernando Pezão. Na segunda-feira (18/5), será realizada assembleia para definir os rumos do movimento.

Para a aula, foram convidados os professores Roberto Dutra e Marcos Pedlowski, ambos do Centro de Ciências do Homem (CCH). Pedlowski falou do papel da universidade para o desenvolvimento humano e da comunidade na qual está inserida, sobre investimentos na educação e a importância do movimento. “A universidade está de joelhos não só porque não faz o que tem que ser feito mas, principalmente, porque não dialoga com a comunidade, só dialoga com o governo, e isso não é diálogo, é consentimento”, disse.

Sobre o atraso nas bolsas, disse que “o que resolve é o que vocês (alunos) estão fazendo, informando à população sobre a crise na universidade. A Uenf tem muitos alunos que são pobres e dependem da bolsa. Pezão não poderia ter cortado o orçamento da universidade. Tinha que priorizar o pagamento das bolsas”, concluiu. Em seguida, o professor Roberto Dutra fez suas ponderações.

Reitoria promete pagamento

De acordo com o diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Bráulio Fontes, na segunda-feira (18/), às 17h, haverá assembleia no Restaurante Universitário (Bandejão) para definir os rumos da manifestação. para segunda está programada a liberação da Programação de Desembolso (PD) por parte da Secretaria de Fazenda para viabilizar o pagamento das bolsas.

A reitoria da Uenf informou que já conseguiu liberação dos recursos da Faperj de R$ 1,8 milhão para pagar as bolsas de fevereiro e março, e que o dinheiro deve entrar na conta dos alunos dias 20 e 21. Ainda segundo a reitoria, a liberação de recursos de abril está em negociação.

Cerca de 900 alunos não recebem a bolsa desde fevereiro, com valores de R$ 300 a R$ 2.300, nas modalidades mestrado e doutorado, de iniciação científica, residência médico veterinária, universidade aberta, extensão, apoio acadêmico, de ensino e multiplicadores.

Uma semana de protestos – As manifestações dos alunos da Uenf começaram no dia 8, quando os residentes do Hospital Veterinário (HV) paralisaram as atividades. Na terça-feira (12) os bolsistas fecharam os portões do campus. Na quinta (14), 200 pessoas, entre alunos, professores e demais servidores administrativos, saíram em passeata pelas ruas do Centro da cidade.

FONTE: http://www.odiariodecampos.com.br/protestos-contra-atraso-de-bolsas-na-uenf-em-novo-ato-21302.html

A grande lição na aula pública na Praça São Salvador foi dada pelos estudantes da UENF

aula pública

Estive hoje com meu colega do Centro de Ciências do Homem, o sociólogo Roberto Dutra, numa aula pública na Praça São Salvador, que foi organizada pelo Diretório Central de Estudantes da Uenf. Essa ideia remonta a iniciativas semelhantes realizadas pelo Movimento dos Indignados que possuía professores da Universidad Complutense de Madrid, e que também realizou aulas públicas nas praças e ruas da capital espanhola para explicar a razão dos protestos que agitavam toda a Espanha em 2011.

Eu diria com base na experiência de hoje que a Uenf está alcançando, sem qualquer colaboração de seus atuais gestores, um dos pilares do modelo idealizado por Darcy Ribeiro que era a de formar profissionais com consciência cidadã, e que pudessem contribuir para resolver os problemas mais prementes que afetam a sociedade brasileira.

Ver os estudantes da Uenf mobilizados para defender o seu caráter público e gratuito, hoje diretamente ameaçado pela política de asfixia financeira imposta pelo (des) governo Pezão, é para mim uma indicação clara de que, neste preciso momento histórico, são os estudantes que estão nos dando uma importante lição de como a luta por interesses individuais não anula a luta pela preservação da grande conquista que a universidade representa para o estado do Rio de Janeiro, mas especialmente a região Norte Fluminense.

Se mais professores saíssem às ruas para ver, interagir e aprender com nossos estudantes é bem provável que não estivéssemos afundados numa crise institucional tão profunda e ameaçadora sobre a essência do projeto idealizado por Darcy Ribeiro. Felizmente nossos estudantes estão dando aulas que vão certamente nos ajudar a encontrar o caminho para dias melhores.

Estudantes da UENF vão às ruas denunciar o atraso das bolsas

Em mais uma atividade realizada para denunciar a grave crise financeira que afeta a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), centenas de estudantes ocuparam nesta 5a. feira as ruas da região central de Campos dos Goytacazes. A causa principal deste movimento é a falta de pagamentos de quase 900 bolsas desde fevereiro de 2015, o que vem acarretando numa grave crise para o funcionamento da universidade criada por Darcy Ribeiro para ser um motor de desenvolvimento científico e tecnológico na região Norte Fluminense. A passeata teve o apoio da Associação de Docentes da Uenf (Aduenf) e do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Estaduais do Rio de Janeiro (Sintuperj) e também de membros da comunidade universitária da UFF e do Instituto Federal Fluminense (IFF). 

Proferindo gritos de denúncia contra o descaso do (des) governo Pezão, os estudantes também não pouparam a reitoria da Uenf que é vista como omissa em relação à grave crise social que hoje ameaça a permanência de centenas de estudantes, visto que as bolsas representam a principal, senão a única, fonte de recursos que os mesmos possuem para realizar seus estudos em tempo integral.

Abaixo imagens da passeata que se iniciou no interior do campus Leonel Brizola e se encerrou na Praça São Salvador, ponto tradicional para a realização de manifestações políticas na cidade de Campos dos Goytacazes.

IMG_3211 IMG_3214 IMG_3208 uenf praça

Estudantes fazem assembleia e decidem manter fechamento da UENF no dia 13/05

Em assembleia realizada no final desta 3a. feira (12/05), os estudantes decidiram manter amanhã (13/05) o fechamento do campus Leonel Brizola como forma de protesto contra o atraso no pagamento das bolsas acadêmicas desde o mês de fevereiro. A assembléia também decidiu pela realização de reuniões no dia de amanhã para preparar novas atividades que deverão durar até que seja feito o pagamento integral dos atrasados.

A diretoria da ADUENF, sindicato dos professores, esteve presente e apresentou seu apoio integral ao movimento dos estudantes.

Abaixo imagens da assembleia. 

IMG-20150512-WA0019 IMG-20150512-WA0010 IMG-20150512-WA0024

Jornal Terceira faz matéria sobre crise na UENF

Alunos da Uenf fazem paralisação nesta segunda por atraso de bolsas

Estudantes afirmam que todas as bolsas da universidade estão com atraso no repasse

Alunos participaram de uma reunião no início desta tarde (Foto: Priscilla Alves)

Bolsistas da Universidade Estadual Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) fizeram uma paralisação nesta segunda-feira (11) por causa do atraso no repasse de verbas. Segundo eles, todas as bolsas estão com os repasses atrasados. Os alunos se reuniram na porta do restaurante universitário no início desta tarde para discutir os rumos da paralisação. Segundo eles, a partir de hoje as atividades na Uenf estão paralisadas e a partir das 6h desta terça-feira (12), eles vão ocupar a entrada da instituição de ensino para impedir a entrada e o funcionamento.

Além do ato nesta segunda, os 18 bolsistas do programa de residência veterinária do Hospital Veterinário da Uenf já haviam paralisado as atividades desde a última sexta-feira (8). Eles trabalham 60 horas por semana e atendem mais de mil animais por mês. Atualmente, o hospital funciona com professores e técnicos, mas o número de atendimentos foi reduzido.

“Os nove bolsistas mais antigos estão sem receber há três meses e quem entrou agora, há dois meses, ainda não recebeu também. Optamos pela paralisação e vamos ficar até sexta sem realizar nossas atividades ou até que saia a bolsa ou alguma notícia”, contou a veterinária Milene Botelho Bartolasi.

Segundo informações do Diretório Central dos Estudantes (DCE), a paralisação já havia sendo tema de discussão entre os alunos por causa dos atrasos, mas uma possível interrupção dos serviços de funcionários do restaurante universitário, nesta segunda, agravou a situação.

“Funcionários do bandejão ameaçaram parar porque também estão sem receber, mas desistiram depois de uma negociação com a reitoria. Estudantes estão passando necessidades por causa do atraso das bolsas e aqui na Uenf tivemos um corte de cerca de R$ 35 milhões sem nenhuma justificativa. Temos estudantes que a única refeição do dia que fazem é aqui no bandejão”, desabafou Gilberto Gomes, um dos diretores do DCE.

Estudantes de doutorado, que recebem bolsas de R$ 2.300 também estão sem receber e com atividades acadêmicas prejudicadas.

“São cerca de R$ 7 mil atrasados no somatório para cada aluno de doutorado. Precisamos prestar conta das nossas atividades e não podemos ficar sem verbas. É complicado porque não temos uma posição e a reitoria não diz nada. A situação está insustentável. A maioria dos alunos não é da cidade e tem muitos gastos para ficar aqui. Não estamos conseguindo honrar nossos compromissos”, comentou o doutorando Gabriel Taveira.

Sempre respeitando o princípio do contraditório e buscando as diferentes versões para um mesmo fato, o jornal Terceira Via tentou contato com a reitoria da Uenf e com a secretaria Estadual de Fazenda, sem obter respostas. Ainda assim, o jornal aguarda e publicará as versões para este fato.

Fonte: http://jornalterceiravia.com.br/noticias/campos_dos_goytacazes/69327/alunos-da-uenf-fazem-paralisacao-nesta-segunda-por-atraso-de-bolsas

Indignados com a crise causada pelo (des) governo Pezão, estudantes decidem fechar a UENF nesta 3a. feira (12/05)

fechamento

Não é de hoje que a situação dos estudantes da UENF está caótica. 

Há três meses que as bolsas estudantis de todas as modalidades estão atrasadas. 

Estudantes que tiveram dificuldades para retornarem às suas aulas no início deste semestre. 

Estudantes de pós-graduação com pesquisas atrasadas pois não têm recursos para manutenção das mesmas.

Projetos de Extensão paralisados e com risco de acabarem pela falta de bolsistas que não podem continuar com seus projetos pois estão sem receber.

Residentes do Hospital Veterinário da UENF que têm que paralisar suas atividades na tentativa de serem ouvidos pelo (des)Governo do Estado. 

Com o seu descaso, o Governo do RJ não prejudica apenas a Universidade, mas também a sociedade atendida pelos projetos de Pesquisa, Extensão, pelo HV e pelo Ensino que é o principal prejudicado pela forma como o Governo escolhe tratar a UENF.

Apenas com a organização e com atividades que mostrem para esse Governo que os Estudantes da UENF não estão nem um pouco satisfeitos com essa situação é que conseguiremos reverter esse quadro.

A Hora já passou, galera! Vamos nos reunir e organizar nosso Movimento!

FONTE: https://www.facebook.com/uenf.dce/photos/gm.1587139194894176/763547887085832/?type=1

Cansados do descaso do (des) governo Pezão, estudantes da UENF trancam novamente a BR-101

Apesar da mídia local ter majoritariamente ignorado o fato, estudantes da UENF trancaram a BR-101 no trecho que passa pelo rodoviária de Campos dos Goytacazes para protestar contra a falta de pagamento de bolsas acadêmicas que já entra no terceiro mês. A situação das bolsas é apenas a ponta do iceberg da greve crise financeira que está sendo imposta na universidade pelos cortes orçamentários realizados pelo (des) governo Pezão.

bolsa 1 bolsa 2

Além de ter tido as linhas telefônicas cortadas, a UENF agora está sem papel higiênico nos banheiros, e fornecidas pela reitoria da UENF confirmam atrasos nos pagamentos de serviços essencias como água e eletricidade. 

Em resposta a este processo de desmanche é que os estudantes foram ontem à BR-101 para protestar. No dia de hoje uma assembléia reunindo toda a comunidade universitária da UENF deverá discutir atividades que complementem os esforços sendo realizados pelos estudantes nas últimas semanas.

Reitoria da UENF aplica a estratégia Kibon para tirar proveito político da visita de deputado estadual

IMG_5080

Quem acompanha minimamente a vida interna da UENF sabe que a reitoria foge da ALERJ, como o diabo foge da cruz. É que pela lógica palaciana que é aplicada por seus membros, eles só frequentam o Palácio Tiradentes onde está instalada a ALERJ quando instados pelos deputados, ou orientados pelos ocupantes de outro palácio, o da Guanabara.

Assim, é que sempre me causa estranheza quando os sindicatos trabalham para que parlamentares visitam o campus Leonel Brizola para ver de perto a situação caótica em que estamos paulatinamente sendo colocados pelo (des) governo do PMDB, e a reitoria aparece para levá-los para dentro de uma sala de reuniões e tirar fotografias, as quais depois serão publicadas na página oficial da UENF, sem qualquer menção de como este ou aquele parlamentar foi parar no campus. Esse comportamento me lembra aquela metáfora que coloca um grupo empurrando o carrinho de sorvetes, e um esperto caminhando ao lado de braços cruzados enquanto grita “Kibon! Kibon!”

papinha

E este comportamento de tentar lucrar com os esforços feitos pelos sindicatos representativos das três categorias que formam a UENF se repetiu nesta 6a. feira (13/03) durante a visita do deputado estadual Marcos Antonio da Silva, o Papinha. Agora, quem observar bem a imagem acima, verá que os representantes da reitoria, a começar pelo vice-reitor, demonstram uma certa estupefação. Eu intuo que deve ser por causa do trabalho que devem estar tendo para explicar como deixaram a universidade chegar ao fundo do poço sem, sequer, dar ao trabalho de reunir a comunidade universitária e informar quão mal andam as coisas, e quais são as medidas que estão sendo tomadas para defender os interesses da UENF.

 

DCE/UENF convoca assembleia estudantil para discutir próximas atividades

ASSEMBLEIA

Luta que segue!

O Conselho Representativo do DCE-UENF vem por meio deste comunicado convocar Assembleia Geral para discutir as seguintes pautas:

1 – Informes;
2 – Definição das próximas atividades.

Dia: 11 de março de 2015.

Horário: 17:00

Local: Restaurante Universitário Cícero Guedes

Ressaltamos a necessidade de todos os estudantes estarem presentes, as assembleias convocadas pelo DCE são de suma importância por ser o espaço de deliberações dos estudantes e onde decidimos e encaminhamos as propostas de mobilizações, atos e atividades.

Essa luta é de todos! Participem, Uenfianos!

Conselho Representativo do DCE-UENF

FONTE: https://www.facebook.com/events/700235080084797/