Feira de Ciências para ampliar a resistência em defesa da Uenf

No dia 11 de Março uma feira de ciências será realizada no campus da Universidade Estadual do Norte Fluminense como processo do calendário de atividades de resistência  contra a tentativa de desmanche que está sendo imposto pelo (des) governo Pezão.

O objetivo desta atividade é possibilitar que a população de Campos dos Goytacazes e municípios vizinhos para que conheçam as múltiplas atividades que a Uenf realiza em prol do desenvolvimento regional, e que hoje estão sob grave risco de interrupção por causa da falta de custeio por parte do (des) governo comandado por Luiz Fernando Pezão.

Abaixo o cartaz que foi criado para difundir esta atividade.  Ajude a divulgar e venha a Uenf participar de sua defesa!

uenf-resiste

Novo roubo em unidade experimental mostra quão elusiva e impossível é a vida dentro da Uenf sob ataque do (des) governo Pezão

uenf-1

Há hoje nas universidades estaduais do Rio de Janeiro um debate sobre a realização de um esforço para que se alcance um mínimo de normalidade para que estas instituições estratégicas possam continuar funcionando. 

Na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) tem ocorrido um esforço descomunal para que se garantir a confecção de um calendário acadêmico que mais parece um Frankstein de datas de maneira a que os estudantes possam voltar ao campus Leonel Brizola em Campos dos Goytacazes e ao campus avançado de Macaé.

Lamentavelmente esse esforço não recebe nenhuma contrapartida real do (des) governo Pezão que continua se fazendo de morto em face de suas responsabilidades, enquanto o pau continua literalmente cantando dentro das universidades, colocando em risco inclusive a vida dos que teimam em continuar fazendo essas instituições cumprirem suas obrigações com a sociedade.

Um exemplo disso foi um roubo que ocorreu na madrugada desta 5a, feira no interior das unidades experimentais que a Uenf têm no interior das dependências do Colégio Agrícola Antonio Sarlo quando um grupo de assaltantes invadiu a área, imobilizou e manteve em cativeiro um estudante de doutorado do Programa de  Pós Graduação Produção Animal que dormia num alojamento existente no local, para depois roubarem animais usados em pesquisas, balanças digitais, computadores,  e aparelhos de ar condicionado. 

E o pior é que dada a greve em curso na Polícia Civil do Rio de Janeiro não está sendo possível sequer a confecção de um Boletim de Ocorrência, quiça a apuração do caso que já causou sérios prejuízos financeiros cujas estimas iniciais são de um prejuízo de quase R$ 100.000,00, mas que comprometerá a continuação de pesquisas com custos ainda incalculáveis para a Uenf e a ciência fluminense.

Esse caso expressa bem o quadro de abandono de nossas instituições de ensino superior e o completo descompromisso do (des) governo Pezão com a coisa pública. A questão que se coloca é a seguinte: por quanto tempo mais estamos dispostos a aturar tanto desmando por parte do (des) governo Pezão?

(Des) governo Pezão contra a parede: liminar para antecipar empréstimo está na chuva

Diferentes veículos da mídia corporativa estão informando que um dos principais instrumentos do dito acordo feito entre o (des) governo Pezão e o governo “de facto” de Michel Temer está na iminência de dar com os burros n´água.´Falo aqui da antecipação de um empréstimo bancário para pagar as dívidas existentes com os servidores públicos, dando como contrapartida a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE).

O íncrivel é que todas as expectativas geradas para o (des) governador Pezão e dele para seus aliados acabam de ser fulminadas por representantes de instituições e órgãos do governo federal que certamente participaram das tratativas travadas em Brasília com o ministro/banqueiro Henrique Meirelles. É que em vez da prometida liminar no STF para adiantar o empréstimo que pagaria salários atrasados e distrairia os servidores do tamanho do confisco que estão para sofrer, o (dses) governo Pezão está novamente defrontado com a perspectiva de ter que privatizar a CEDAE para ver se depois consegue um empréstimo que agora parece inviável.

Diante desse cenário, não resta ao (des) governador vazar que se sente “decepecionado” e “traído” por seus interlocutores em Brasília. Mas, convenhamos, o que parece estar acontecendo diante do aparecimento de tantas evidências de malfeitos que ocorreram nos últimos anos nos gabinetes do Palácio Guanabara, há muita gente que não quer colocar suas assinaturas em documentos que depois poderão ser imensas fontes de dor de cabeça.

De toda maneira, ao não obter a tão sonhada liminar, o (des) governo Pezão e seus aliados na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a começar pelo seu eterno presidente, deputado Jorge Picciani (PMDB), devem já saber que a privatização da CEDAE que já era um pílula amarga, tornou-se mais difícil ainda de ser engolida.

Enquanto isso, o Espírito Santo está logo ali, como um longo espectro ameaçador, a nos lembrar a todos do que pode acontecer quando medidas neoliberais levam o funcionalismo estadual, especialmente os servidores da segurança, ao extremo de sua capacidade de tolerar o pisoteio de direitos trabalhistas.

E é bom que alguém ensine ao (des) governador Pezão aquela fundamental Lei de Murphy que diz “Nada estão ruim que não possa piorar”. A ver!

Reunidos em assembleia, professores da Uenf aprovam atividades de resistência e pedido de impeachment do (des) governador Pezão

20170201_1609201

Reunidos em assembleia na tarde desta 4a. feira, os professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense avaliaram e aprovaram uma série de atividades para avançar o processo de luta contra o ataque que vem sendo realizado contra as universidades estaduais pelo (des) governo Pezão.

Uma das decisões se refere à realização de uma atividade que permitirá a que a população do Norte e Noroeste Fluminense, em especial a da cidade de Campos dos Goytacazes, possa ver de perto os projetos de pesquisa e extensão que estão sendo realizados na Uenf.

Os professores também decidiram que irão participar dos atos que estão sendo convocados pelo MUSPE para derrubar o pacote de maldades do (des) governo Pezão que inclui a privatização da CEDAE e a redução de salários.

A principal decisão política da assembleia foi a aprovação da preparação do pedido de impeachment do (des) governador Luiz Fernando Pezão por causa dos seus atos destrutivos contra a Uenf e as universidades estaduais.

Finalmente, os professores também decidiram manter o estado de greve como uma sinalização da sua disposição de lutar contra o projeto de desmanche das universidades estaduais pelo (des) governo Pezão.

Após a tomada dessas decisões, várias comissões foram formadas para implementar as decisões aprovadas na assembleia.

A Uenf resiste!

Fake news: O DIA dá exemplo insuperável com capa mentirosa

O conceito de “fake news” ganhou grande espaço recente nas eleições estadunidenses quando o agora presidente eleito Donald Trump abusou de seu uso para tentar negar várias noticias altamente negativas contra sua campanha. Em português literal, “fake news” pode ser traduzido como “notícia falsa”, e existe até um debate sobre o papel que a internet está jogando em propagá-las. Uma coisa é certa, as “fake news” é um fenômeno que está sendo exponencializado pela internet, mas não foram criadas agora.

Querem ver um ótimo exemplo disso? Olhemos a capa do jornal O DIA desta 5a. feira (19/01) já que ela nos dá um exemplo primoroso de “fake news“com sua manchete garrafal de que o (des) governo Pezão ” fecha hoje o acordo que vai salvar os servidores”.

o-dia

Vamos lá, quem é que se sente salvo por um ajuste fiscal com medidas draconianas que incluem a privatização de uma empresa estatal lucrativa como a CEDAE e a tunga salarial que pode chegar a 11% no caso dos servidores da ativa? 

Até o mais ingênuo dos leitores do “O DIA” deve imaginar que há algo muito estranho nesse suposto salvamento dos servidores que terão seus salários sangrados, enquanto as isenções fiscais continuam intocadas e as Organizações Sociais (OSs) continuarão abocanhando muitas centenas de milhões de reais pela prestação com baixíssima qualidade de vários tipos de serviços públicos essenciais.

A verdade é que os únicos sendo “salvos” pelo arrocho que está vindo de Brasília são o próprio (des) governo Pezão, as corporações privadas, incluindo os proprietários do jornal O DIA.

Já os servidores e a população que depende de seus serviços vão continuar mergulhados na imensa crise (seletiva) que os (des) governos de Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão impuseram na segunda economia da federação brasileira.

Ah, sim, antes que eu me esqueça. Essa capa também o dom de produzir  uma “fake news” premonitiva que é anunciar o encerramento da  greve dos policiais civis. Combinadas as duas fake news refletem apenas o desejo dos proprietários do “O DIA” de bem servir ao (des) governo Pezão em vez de informar corretamente os seus leitores.

E depois ainda tem gente na mídia corporativa que não consegue entender a notável e profunda queda de leitores que seus veículos vêm exprimentando nas últimas décadas. É que em tempos de internet, até as “fake news” têm vida curta e junto com elas os seus propagadores.

Uenf entra em 2017 entregue às cabras

bode

Ao chegar no campus Leonel Brizola da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) nesta segunda-feira (09/01) tive um momento de sobressalto ao  ver uma cabra correndo em minha direção. É que a velocidade de aproximação era tanta que pensei que seria alvo de uma recepção pouco amistosa. Felizmente, o caprino em questão estava apenas em uma inexplicada e desabalada carreira para o interior do estacionamento mais próximo. De lá ele me deu uma leve encarada e seguiu o seu destino.

Mas afinal, o que está errado com esta cena? É que para mim a cabra expõe literalmente o bode em que o (des) governo Pezão submergiu as universidades estaduais ao desprovê-las de verbas de custeio, inclusive para o corte da grama. 

Por outro lado, fica sempre a pergunta do porquê de não se ver a devida reação por parte da comunidade universitária da Uenf em face de tamanho ataque às condições básicas de funcionamento da universidade que foi pensada por Darcy Ribeiro para levar o Norte e Noroeste Fluminense a um ciclo mais virtuoso no Terceiro Milênio. 

De minha parte, não vejo outra saída a não se sair da letargia para se partir para um questionamento direto da legitimidade do (des) governador Pezão para continuar à frente do poder executivo fluminense. É quem deixa uma universidade como a Uenf à mercê das cabras para aparar a grama é capaz de fazer muito pior, muito pior, com o que ainda restou do serviço público estadual.