The Intercept libera novos documentos secretos entregues por Edward Snowden

O site The Intercept, que tem o jornalista Glenn Greenwald como  um dos seus principais colaboradores, liberou hoje um novo conjunto de arquivos contendo documentos secretos entregues pelo ex-técnico da National Security Agency (NSA) dos EUA, Edward Snowden.

Os arquivos contém tópicos relacionados ao papel da NSA nos interrogatórios de prisioneiros pelas forças militares e de inteligência dos EUA, à Guerra do Iraque, à chamada Guerra ao Terror, e ao uso da internet e de aparelhos móveis de comunicação. 

O acesso a estes arquivos é, por um lado, uma demonstração de que as formas de controle que existem às informações sensíveis geradas por organizações estatais não são completamente intransponíveis. Por outro, este acesso deverá oferecer uma série de novas revelações bombásticas sobre os métodos de ação da NSA e, por extensão, dos órgãos de inteligência dos EUA.

Quem quiser ter acesso aos arquivos liberados hoje pelo “The Intercept”, basta clicar  (Aqui!).

Espionagem cibernética reversa: Hackers russos teriam invadido contas de e-mail de Barack Obama

26hack-superJumbo

O New York Times acaba de colocar na sua plataforma online uma matéria que torna pública a invasão das contas de correio eletrônico do presidente estadunidense Barack Obama em outubro de 2014, e de outros membros do staff que serve diretamente na Casa Branca (Aqui!). A matéria do New York Times (ver extrato abaixo) dá conta que a invasão teria sido mais severa do que inicialmente informado pelo governo estadunidense, o que representaria um duro golpe contra a segurança cibernética daquele país.

Hackers

Um aspecto que diferencia os ataques de hackers russos é que, ao contrário dos chineses que concentram suas atividades sobre alvos de natureza comercial, eles se concentram em alvos de natureza política, como nesta invasão das contas de e-mail de Barack Obama.

O interessante é que, coincidência ou não, os estadunidenses chamaram recentemente a atenção sobre a questão da segurança das comunicações eletrônicas ao serem denunciados pelo ex-analista da National Security Agency (NSA), Edward Snowden, de possuírem acesso direto a centenas de milhões de contas de correio eletrônico graças a um sofisticado sistema de espionagem de e-mails e ligações telefônicas.  Duas vítimas notórias dessa espionagem foram a primeira ministra alemã Angela Merkel e a presidente Dilma Rousseff.

Agora, ao que parece, os russos deram o troco em Barack Obama. É aquela velha máxima de quem aqui espiona, aqui mesmo é espionado.

O NSA ataca novamente! Kaspersky identifica dedo de agência estadunidense na infecção de computadores em 30 países

Enquanto o Brasil inteiro se sacode ao ritmo do samba, o mundo da espionagem cibernética não para! Pelo menos é que dá a entender, um artigo produzido por jornalistas ligados à Bloomberg News que repercutiram a descoberta pela empresa russa  Kaspersky Lab Inc. de mais uma campanha de espionagem engendrada pela National Security Agency (NSA). Segundo os jornalistas Chris Strohm, Jon Morgan e Elizabeth Wasserman. a Kaspersky detectou a contaminação de computadores, discos rígidos e pentes de memória em rota para serem comercializados em diferentes partes do mundo.

Segundo a matéria da Bloomberg, a estratégia da NSA incluiu a inoculação de vírus espiões em discos rígidos produzidos pelas empresas Western Digital Technologies Inc., Samsung Electronics Co. e Seagate Technology Plc.

A extensão da contaminação e de quantas pessoas foram “presenteadas” com produtos inoculados pela NSA ainda não foi totalmente esclarecido pelos representantes da Kaspersky LAb. Inc, mas deverão gerar uma série de medidas contrárias aos interesses estadunidenses que já haviam sido abalados pela divulgação do chamado “Snowden leaks”.

Quem quiser saber mais sobre este assunto, basta clicar Aqui! e Aqui!

Wikileaks prepara novo vazamento de arquivos secretos

Getty Images

Julian Assange

Julian Assange: ativista criticou a centralização da informação em poucas mãos e acusou o Google de manter estreitas relações com o governo americano

Da EFE

Lisboa – O fundador do Wikileaks, Julian Assange, revelou neste domingo que a organização prepara um novo vazamento de arquivos secretos e criticou o Google por considerá-lo a serviço do governo dos Estados Unidos.

As declarações foram dadas durante participação em um fórum sobre “Vigilância de Massas” no Festival de Cinema de Lisboa e Estoril (Leffest), por meio de teleconferência, já que continua recluso na embaixada do Equador em Londres.

O ativista australiano não forneceu detalhes sobre o conteúdo do vazamento nem a data que os arquivos serão divulgados.

Durante o discurso, Assange fez duras críticas ao governo e às agências de inteligência americanas por tentarem controlar o maior número possível de dados em nível mundial. Ele destacou que apesar dos muitos ataques contra o Wikileaks, a organização conseguiu sobreviver e segue funcionando.

“Não conseguiram destruir nem um só documento, eles (americanos) perderam”, ressaltou o ativista australiano, refugiado na representação diplomática do Equador em Londres desde julho de 2012, após a Corte Suprema Britânica ter autorizado sua extradição para a Suécia.

Os suecos acusam Assange de ter cometido crimes sexuais no país, fato negado pelo ativista. Ele afirma que a extradição é interesse dos Estados Unidos, que quer ele seja julgado assim como Chelsea Manning, soldado que vazou documentos diplomáticos para o Wikileaks em 2010 e condenado a 35 anos de prisão.

Chelsea Manning, ex-analista de inteligência do exército americano, era conhecida como Bradley Manning na época do vazamento, e passou por uma operação de mudança de sexo. A militar atuou em operações americanas no Iraque.

O fundador do Wikileaks defendeu que a principal ameaça de segurança em nível mundial é o poder ilimitado das agências de inteligência. Ele descartou que a vigilância em massa seja o método mais adequado para combater o terrorismo.

Assange criticou a centralização da informação em poucas mãos, algo que, em sua opinião, transformaria o mundo em totalitário, e acusou o Google de manter estreitas relações com o governo americano. 

FONTE: http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/wikileaks-prepara-novo-vazamento-de-arquivos-secretos

Diretoria da ADUENF denuncia monitoramento de serviços de internet na UENF

No dia 08 de Outubro publiquei uma postagem neste blog que havia uma forte possibilidade de que mecanismos de identificação de computadores teria sido usada para identificar a origem de uma denúncia anônima feita no Ministério Público (Aqui!).

Pois bem, no dia de hoje (16/10) a diretoria da Associação de Docentes da UENF lançou um informe a seus associados dando conta de que as máquinas usadas pelos professores está sendo monitorada, dando inclusive dicas de como identificar o procedimento sendo utilizado pela UENF para realizar este monitoramento (Aqui!). O aspecto mais grave do informe da ADUENF aos seus associados é que este monitoramento estaria alcançando inclusive os computadores usados nos ambientes domésticos dos professores.

Esta é uma denúncia grave, pois implica na violação do direito básico à privacidade e sem que qualquer informação tivesse sido dada de que o mesmo estava ocorrendo. Tal procedimento, se confirmado pela reitoria da UENF, implicaria em um escândalo semelhante ao que foi denunciado pelo ex-analista da National Security Agency (NSA), Edward Snowden. E o pior é que estaria sendo feito não por uma agência de espionagem, mas pela direção de uma instituição universitária pública.

Agora vamos esperar pelas repercussões deste escândalo. Pelo que tipo essas repercussões não serão pequenas e não deverão ficar restritas ao ambiente interno do campus da UENF.

E agora que o gato foi colocado para fora do saco, vamos ver como se comporta o “grande irmão” uenfiano. De toda forma, George Orwell teria adorado a ironia de ver o seu grande irmão se materializando dentro da universidade criada por Darcy Ribeiro. 

O grande irmão de George Orwell está vivo e forte na UENF

O grande irmão de George Orwell está entre nós! Mas, como assim?  É que me foi chamada a atenção para o fato de que na UENF um denunciante anônimo junto ao MP teve sua máquina identificada após uma meticulosa busca interna. Essa descoberta inclusive já teria resultado em juras de justa retribuição, além de declarações de que isso não passa de mais uma manobra visando ganhos eleitorais em 2015.
Então qual é o aviso aos que quiserem denunciar algum malfeito: das duas uma: ou se faz a entrega denúncia publicamente no MP, ou não se faz no horário do expediente! Do contrário, o NSA uenfiano vai te identificar!
E em homenagem àqueles que identificaram tão celeramente alguém que comunicou ao MP uma transgressão interna em vez de apurá-la antes que a justiça o faça, posto uma singela imagem do presidente do Barack Obama no ´período em que explodiu o escândalo causado pelas denúncias feitas por Edward Snowden.
hes-not-your-dad (1)

Leitura obrigatória! Os arquivos de Snowden

snowden

Viajar nos traz sempre a chance de entrar em contato com um mundo de informações que normalmente não temos chance de acessar, a despeito de toda as comodidades que a internet nos oferece nesse sentido. Na recente viagem que fiz ao Reino Unido, topei com o livro recém-lançado por Luke Harding e que trata do escândalo de espionagem revelado pelo ex-analista da National Security Agency (NSA) dos EUA, Edward Snowden.  Já comecei a ler o livro e a sua leitura é rápida e fácil, e o livro é cheio de detalhes interessantes.

Felizmente quem tiver interesse em saber mais como Edward Snowden se tornou um dos maiores casos de vazamento de informações na história recente da espionagem, o livro também já foi lançado em português e atende pelo sugestivo nome de “Os arquivos Snowden: a história secreta do homem mais procurado do mundo“, e foi lançado pela Editora Leya.

Uma coisa que me intriga é o atual silêncio sobre as discussões que estavam sendo realizadas pelo Brasil e pelos EUA em torno das escutas telefônicas feitas no telefone pessoal da presidente Dilma Rousseff. Acho que vou ter que ler o livro de Harding para saber mais também sobre isso.