Tradutor oficial de Yoani Sanchez na Itália lança carta denunciando a blogueira cubana como mercenária

sanchez-yoani-lupi-giordano222-685x342

Quem não se lembra da passagem meteórica pelo Brasil da “blogueira” cubana Yoani Sánchez que foi recebida no Brasil com tapete verde-amarelo pela direita tupiniquim, e em especial por órgãos da mídia corporativa. Agora, eis que o tradutor oficial de Yoani no jornal italiano “La Stampa” nos últimos seis anos, Gordiano Lupi, acaba de lançar uma espécie de carta-testemunho que detona a sua imagem de paladina da democracia em Cuba.

Uma questão interessante nessa carta é a questão levantada por Lupi: a quem serve Yoani, ao castrismo ou aos exilados de direita em Miami?

Abaixo minha tradução do original italiano que pode ser encontrado (Aqui! em italiano) ou (Aqui! em inglês)

Yoani Sánchez , seu jornal é a minha liberdade

Por Gordiano Lupi

Yoani Sánchez encerrou o contrato com a La Stampa e fez-me um homem livre, porque até ontem eu não poderia dizer que ele estava pensando, mas apenas fazer a tradução de suas falas. Agora que eu já não tenho qualquer ligação e que os interesses dos mais ricos e blogueira mais premiada do mundo são administrados por seu agente, Erica Beba, eu posso tirar meus sapatos de pedra que me estavam fazendo mal.

Eu cometi o erro de acreditar na luta Yoani Sánchez, acreditar que era uma luta de David e Golias, uma luta que foi a partir de baixo para combater o poder, uma luta idealista pela liberdade de Cuba. Agora eu tenho que explicar – ao som de amargas decepções – que a oposição Yoani era letra morta, para não mencionar confortável, como se para fazer o mundo acreditar que em Cuba não há liberdade de expressão. Comecei a duvidar de que Yoani não era tanto uma agente da CIA- como diziam seus detratores – como a família Castro, mas uma assalariada para jogar areia nos nossos olhos. Mas mesmo se não fosse nada disso, bastaria dizer que eu percebi que você tem que lidar com uma pessoa que dá prioridade aos interesses de todo idealista. Um blogueira que leva a sua vida tranquila em Cuba, que ninguém sabe e ninguém incomoda, e que não é ameaçada, presa, silenciada, que não tem nenhum problema para entrar e sair da sua terra. Por seu belo rosto recebi ofensas e ameaças de seguidores de Fidel Castro e de comunistas italianos, para partilhar de uma luta que não existe, um sonho de liberdade esperado por muitos, mas certamente que não é dela, que só pensava no dinheiro proveniente de doações e contratos. Nesse ponto, eu não sei se Yoani Sánchez é uma agente da CIA ou da Revolução Cubana. Eu não sei e não me importo em saber. Eu só sei que não é a pessoa que eu pensava. E isto é suficiente para mim.

Um episódio que me abriu os olhos à realidade, correu há mais de um ano atrás, quando eu mandei a minha sogra à casa de Yoani para pedir esclarecimentos sobre uma viagem à Itália. Bem, eles a fizeram esperar nas escadas. Nem sequer a deixaram ir para um quarto. Um comportamento muito estranho para o povo cubano. Eu deveria ter acreditado na minha sogra, quando ela me disse: ” Essas pessoas não lutam pela liberdade de Cuba Elas estão interessadas ​​apenas encher os bolsos”. Eu não acreditei na minha sogra e estava errado. Eu acreditava em uma luta ideológica que não existia. Na verdade, o objetivo de Yoani Sánchez foi sempre a de se tornar rica e famosa. Agora, ela conseguiu. Agora poderá ficar longe de mim , pois eu mesmo perdi o direito de voltar a Cuba, enquanto a princesa de blogueiros pode entrar e sair, como se fosse uma mosca que fica  zumbindo em Havana e um pouco em Miami. A palavra borboleta não combina com ela, pois mosca-varejeira é o termo mais apropriado . Agora Yoani Sánchez vai abrir uma falsa revista , como as chamamos aqui na Itália , que poderá ser traduzida por outra pessoa, pois eu não irei. Um falso jornal como a “La Avanti” de Valter Lavitola , com todo o respeito para Lavitola. Yoani vai abrir um jornal , junto com seus amigos, que ninguém em Cuba não vai ler, porque só estará disponível online. Mas o que isso importa? Ela apenas quer alguém para financiá-la, e que será lido em Miami e na Espanha, onde a comunidade cubana continua a se iludir com uma paladina inexistente.

Até agora, viajamos bastante juntos, querida Yoani. Mas suficiente é suficiente. Continuarei minha jornada sozinho, longe de suas ambições. Ele também toca Cuba é claro, que faz parte da minha vida, embora muitos cubanos tenham me decepcionado . Vou tentar não pensar sobre isso, por respeito a minha esposa, que é cubana, e não tem nada a ver com a sua arrogância burguesa. E como Fidel Castro disse que a história vai decidir, vamos ver quem vai ser absolvido.

FONTE: http://www.tellusfolio.it/index.php?prec=%2Findex.php&cmd=v&id=17330#

8 pensamentos sobre “Tradutor oficial de Yoani Sanchez na Itália lança carta denunciando a blogueira cubana como mercenária

  1. Renato disse:

    Caro Marcos Pedlowski,

    Para tentar traduzir um sentimento parecido com este, formule-se a seguinte frase: “O rancor é como uma comida estragada que a gente come e nos apodrece por dentro.”
    Entretanto, os Antigos Gregos da antiguidade clássica já sabiam que, ainda assim, seria melhor ingerir uma comida estragada do que aprender algo errado, pois a comida você pode colocar pra fora do corpo e o conhecimento errado vai te prejudicar para o resto da sua vida, e não será tão fácil desaprender ou esquecer algo errado!”
    Guiemo-nos pelo princípio de que a liberdade é o direito universal de todo ser humano e todos temos o pleno direito de sentirmo-nos como bem desejarmos.
    O cuidado que devemos ter conosco é o de sempre observarmos a realidade com a devida isenção de qualquer posicionamento idealista, e olhar com nitidez cristalina para a realidade para não sermos vítimas das nossas próprias ilusões. Há muitas confusões de entendimentos e de sentimentos por formulações erradas sobre a realidade.
    Uma coisa é fato, conforme o próprio pensador marxista a que os revolucionários se pautam para praticar os seus abusos contra a humanidade. No entendimento do próprio Karl Marx, que estudou a história desde a sua origem, constatando-se que, o comunismo e o socialismo já existiram nas sociedades primitivas mas não nas sociedades modernas e desenvolvidas como as atuais.
    Assim também Cuba não é, e não pode ser um modo de produção socialista ou comunista, porque isso simplesmente não existe numa sociedade complexa como a atual. Cuba é uma ditadura pessoal de Fidel Castro.
    Revolução é só o nome que deram para saquear as propriedades de outrem e se apoderar do patrimônio alheio sem ter que pagar pelo devido valor, pelo devido preço para se obter o direito merecidamente conquistado, com o empenho do suor do próprio rosto no trabalho, e não na luta armada.
    O modelo cubano é um fracasso histórico, mas não para Fidel Castro, que é um bilionário, e isso é fato. O modelo de Cuba não serve de exemplo para o mundo moderno.
    Vale lembrar que Marx fez suposições sobre a superação do modo de produção vigente, assim como o modo de produção feudal foi superado pelo atual modo de produção capitalista, o capitalismo também será suplantado por um modo de produção mais evoluído, que ainda não sabemos como, quando e qual será, porque ainda não aconteceu tal superação no processo histórico do mundo. Vimos até agora, apenas enganadores e usurpadores corruptos se apoderando do Estado, e impondo suas formas de governos antidemocráticas, tudo sob o pretexto de fornecer maior provimento aos pobres e ludibriando a boa fé ou até a ingenuidade de quem mais sente as privações dos bens materiais.

    Agradeço por poder expressar minha humilde opinião.

    Renato Silva.

    • Renato, em que pesem suas considerações sobre o Estado cubano, creio que o fundamental dessa postagem é mostrar que a pseudo-paladina da democracia cubana não passa, segundo seu tradutor oficial na Itália, de uma pessoa que apenas busca enriquecer às custas do povo cubano.

      • Renato disse:

        Muito obrigado pelo comentário à minha resposta Professor Marcos Pedlowski.
        Compreendo o desapontamento do denunciante e percebo que o fundamental de sua postagem seria mostrar que Yoani, “uma pseudo-paladina da democracia cubana, não passaria de uma pessoa que apenas busca enriquecer às custas do povo cubano”. Porém já procurei no Youtube diversos vídeos da blogueira cubana Yoani Sánchez e a considero honesta pela essência da sua mensagem, assim como vejo uma essência, verdadeiramente autêntica” nas fotos de Sebastião Salgado sobre o povo africano.

      • Bom, Renato, eu penso diferente de você em relação à Yoani. Mas cada qual com a sua opinião, não? Obrigado por acompanhar o blog e enviar seus comentários.

  2. Roberto Vieria disse:

    Caro Marcos, mas e a denuncia? O texto só traz acusações, e nem tão fortes assim. Em que fato se baseia a tal denuncia? Porque deixou a sogra dele na escada? Não sei o que há por traz desta moça, se algo há, mas o texto deixa transparecer claramente uma mágoa pessoal do ex-tradudor. Da mesma forma que ele escreve o texto poderia dizer, sem prova nenhuma, que ele esta magoado por ter ficado de fora do esquema de enriquecimento da moça. Isto é, no meu entender, um texto deste não merecia ser compartilhado, pois não diz nada!

    • Pois é, Roberto. Para um bom entender, um pingo no “i” basta. Mas, aparentemente, você está precisando refletir melhor sobre o conjunto da carta do Gordiano Lupi, começando pelo título da mesma. Acho que é mais odo que mágoa, é desapontamento mesmo.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s