Dia do professor é sempre dia de luta

florestan

Venho de uma família de professoras que passaram parte significativa de seus vidas se dedicando ao duro trabalho de educar várias gerações de brasileiros.  Pelas mãos da minha avó materna, Alzira Cunha Siqueira, passaram centenas de jovens que viviam numa área rural que até hoje está inserida numa das regiões mais pobres do Paraná. E mesmo após duas décadas de sua morte, ela ainda é lembrada pelos seus estudantes pela firmeza com que tratava as tarefas da sua profissão.

Fiz o pequeno prólogo acima para dizer que normalmente não dou atenção ao chamado “Dia do Professor” que acontece a cada 15 de Outubro, É que dia do professor na minha família sempre aconteceu todos os dias, sem a expectativa de muita deferência ou falsas celebrações por parte dos governantes.  Mas nesse ano faço uma exceção porque acredito que vivemos um ataque sem precedentes nas frágeis estruturas que pensadores como Florestan Fernandes, Darcy Ribeiro, Paulo Freire, Anísio Teixeira lutaram para que fossem lançadas num país marcado por diferenças sociais colossais.

Apesar de não serem novos, esses ataques estão vindo de todos os níveis de governo sob a forma de fechamento de escolas, redução de verbas, perseguição aos educadores e imposição de regras draconianas sobre os conteúdos que podem ser oferecidos aos estudantes em nome de uma suposta e inalcançável neutralidade ideológica.

O fato inescapável é que todos esses ataques à educação pública fazem parte de uma estratégia de manter nossa população numa condição de amorfismo ideológico enquanto o nosso país é transformado num amplo pasto para as grandes corporações multinacionais que daqui tiram nossas riquezas enquanto deixam destruição social e ambiental no seu rastro de enriquecimento.

Assim, por mais que a asfixia financeira que me tem sido imposta pelo (des) governo Pezão pelo confisco dos meus salários, não vou desanimar ou me deixar dobrar no ofício que me foi passado a partir das minhas raízes familiares.  É que o principal custo de me deixar desanimar, além de ter custos que extrapolam minhas necessidades pessoais, seria o de não honrar devidamente aquilo que me foi mostrado desde os primeiros anos que me tornei um ser humano alerta da realidade em que vivem a maioria dos brasileiros.

Viva Florestan, Darcy, Paulo, Anísio, Alzira, e tantos outros que dedicaram as suas vidas à tarefa de liberar o nosso povo da ignorância e da pobreza!

Um pensamento sobre “Dia do professor é sempre dia de luta

  1. Coelho disse:

    Um dos método de medir o numero de idiotas em um país é saber quantos bandidos e destruidores de família são eleitos para o congresso !!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s