PRTB decide colocar General Mourão para substituir Bolsonaro em debates e entrevistas, mas “esquece” de avisar o PSL

A atual campanha eleitoral está recheada de esquisitices, mas eu diria que a notícia publicada pelo jornal “Valor Econômico” dando conta que a cúpula do PRTB , partido do general Hamilton Mourão, decidiu entrar com um pedido no Tribunal Superior Eleitoral em que requisita substituir  Jair Bolsonaro em entrevistas à TV e debates eleitorais, mas “esqueceu” de consultar cúpula do dublê de capitão e deputado federal que convalesce em hospital ou a seu partido, o PSL [1].

mourao bolsonaro

A situação criada por esse pedido sem consulta é para lá de inusitada. É que se este padrão de conduta for mantido durante um eventual governo comandado pelo “capitão”, o que poderemos esperar?

Por essas e outras é que no dia 08 de Agosto de 2018, postei aqui no blog um texto intitulado “Que diria Carlos Marighella da chapa presidencial do capitão e do general?” [2]. Não precisava ter o mesmo tino e faro de Carlos Marighella para saber que dificilmente um capitão vai mandar num general, especialmente quando o general é um profissional condecorado, e a carreira do capitão quase acabou numa malograda operação conhecida como “Beco sem saída” [3] .

Ironicamente, mais de três décadas depois, a chapa do general e do capitão é que ameaça colocar o Brasil num beco sem saída.

 


[1] http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-09-12/mourao-justica-bolsonaro.html

[2] https://blogdopedlowski.com/2018/08/08/que-diria-carlos-marighella-da-chapa-presidencial-do-capitao-e-do-general/

[3http://observatoriodaimprensa.com.br/jornal-de-debates/capitao-bolsonaro-a-historia-esquecida/

Um pensamento sobre “PRTB decide colocar General Mourão para substituir Bolsonaro em debates e entrevistas, mas “esquece” de avisar o PSL

  1. profpaulobrites disse:

    Há muito eu já comentava que os apoiadores de Bolsonaro não percebiam o óbvio – capitão não manda em general por uma simples questão de hierarquia militar. Então, quem seria o presidente “de facto”? Minhas premissas parecem se relaizar mais rápido do que eu imagina, foi só uma questão de oportunidade.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s