O Brasil e seu grande salto para trás

bolson

Presidente Jair Bolsonaro é o engenheiro do “Grande Salto para Trás” do Brasil.

Após a conquista do poder em 1949, a participação na Guerra da Coreia e o sucesso do 1º Plano Quinquenal (1953-1957), o líder chinês Mao Tsé-tung lançou o Grande Salto para Frente (1958-1962), um programa de profundas reformas cujo objetivo era acelerar o crescimento da economia chinesa.  O grande salto para frente de Mao Tsé-Tung acabou tendo efeitos inesperados e acabou colhendo um fracasso que quase terminou o experimento do socialismo na China.

Image result for salto para trás bolsonaro

Cartaz de propaganda oficial da política do “Grande Salto para Frente” implementada pelo Partido Comunista da China sob a liderança de Mao Tsé-tung.

Pois bem, quase 6 décadas depois do programa de reformas de Mao Tsé-tung, temos no Brasil um governo cujo lema parece ser a realização do “Grande Salto para Trás“, justamente numa época em que a China é uma das economias mais fortes do planeta, justamente porque se livrou das consequências mais negativas de seu próprio salto.

Esse grande salto para trás está se manifestando em todos as frentes em que o governo Bolsonaro mais investe, a começar pelas relações políticas e comerciais com os EUA, onde em troca de nada palpável, o Brasil está alienando grandes parceiros comerciais e colocando um risco aquele setor da economia que ainda mantém a balança comercial em tintas azuis que é o latifúndio agro-exportador (auto rebatizado de “agronegócio”).

Mas as ameaças não param na agricultura, pois o processo de desindustrialização iniciado pelo governo de Fernando Henrique Cardoso está sendo aprofundado, com o fechamento de fábricas importantes como a de caminhões da Ford em São Bernardo do Campo (SP) e da ROCHE no Rio de Janeiro , e a venda da EMBRAER para multinacional BOEING, justamente em um momento em que a empresa sediada em Chicago se encontra particularmente fragilizada por causa de vários acidentes inexplicáveis com suas aeronaves.

Image result for protesto fechamento ford

Operários protestam contra fechamento da fábrica de caminhões da multinacional Ford em São Bernardo do Campo (SP).

O “Grande Salto para Trás” também está  sendo dado na área da ciência e tecnologia, pois o encurtamento do orçamento federal para a área está comprometendo pesquisas essenciais para o Brasil, e nos afastando daquela comunidade de países que podem gerar ganhos bilionários com novos produtos e técnicas. A maioria das universidades e institutos de pesquisas federais se encontram hoje, na melhor das hipóteses, em estado comatoso e muitos grupos de pesquisa estão sendo inviabilizados, o que vem incentivando a que ocorra um processo de migração de jovens pesquisadores para outros países que estão executando o caminho oposto do Brasil, a começar pela China e pela União Europeia.

Mas nenhuma outra área está dando um salto para trás tão eloquente quanto a do meio ambiente. Além do avanço do processo de desmatamento na Amazônia e no Cerrado, o Brasil hoje experimenta uma regressão completa na proteção de áreas ecológicas de extremo valor sob as mãos de todo tipo de agente, o que já está causando o retorno de graves processos de contaminação ambiental, a começar pelo garimpo de ouro ilegal que está liberando toneladas de mercúrio nos rios da Amazônia. Para garantir isso, o governo Bolsonaro, sob a batuta do ainda ministro Ricardo Salles, vem tentando desmanchar o sistema nacional de proteção ambiental, utilizando métodos que seriam inaceitáveis em qualquer país que clame ser democrático. 

Related image

Após vários anos sob controle, o desmatamento na Amazônia voltou a crescer em 2018 e está ainda mais acelerado em 2019.

O grande salto para trás já é visível nos milhões de desempregados e domicílios desprovidos de uma pessoa sequer que esteja gerando renda. Esse processo de volta acelerada para o passado também está presente no aumento do número de ativistas sociais que estão sendo assassinados, bem como no aumento exponencial das taxas de feminicídio que estão espalhando terror e medo por todo o território nacional.

Diante desse quadro regressivo é preciso entender que para garantir o grande salto para trás, a imposição da repressão e da violência se tornará cada vez mais necessária, pois já existem demonstrações claras de que a maioria do nosso povo não quer retornar para o passado.  Assim, restará o caminho do enfrentamento a esse esforço concentrado de desmanche do Brasil enquanto um nação viável para a maioria do seu povo. Mesmo sabendo que isto aumentará o nível de repressão e violência não há outro caminho a não ser impedir que o “Grande Salto para Trás” seja executado sem a devida oposição de todos os que querem que o Brasil caminhe para frente, especialmente no tocante ao estabelecimento de um sistema social onde a riqueza gerada coletivamente deixe de ser apropriada por uma minoria que sequer mora aqui.

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s