Pesquisadores da UENF fazem registro histórico do local onde Fernando Santa Cruz e outros 11 militantes teriam sido incinerados

Um dia após o Ministério Público Federal (MPF) ter reconhecido que o pai do presidente da OAB-Nacional, Filipe Santa Cruz, o militante desaparecido Fernando Santa Cruz foi incinerado nos fornos da Usina Cambahyba em Campos dos Goytacazes, pesquisadores do Núcleo Cidade, Cultura e Conflito (NUC) da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) estiveram no local e realizaram um importante registro das ruínas da tinga usina de açúcar e álcool (ver imagens abaixo).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essas imagens são fundamentais para que se mantenha a memória histórica dos acontecimentos violentos que marcaram o extermínio dos que se insurgiram contra o regime militar, especialmente em um momento em que a violência cometida naquele período está sendo relativizada e naturalizada desde a presidência da república.

Outro registro igualmente importante dos fatos envolvendo a Usina Cambahyba é o documentário “Forró em Cambaíba“, realizado sob a direção do jornalista Vitor Menezes, que registra a ocupação do MST nas terras da antiga Usina Cambaíba, em Campos dos Goytacazes (RJ), o assassinato do líder sem terra Cícero Guedes dos Santos, e as denúncias do ex-delegado do Dops, Cláudio Guerra, de que o local foi usado para queimar cadáveres durante a Ditadura Civil-Militar brasileira.

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s